Câmara de Lisboa aprova apoio de 574 mil euros à Associação das Casas de Fado

05-08-2020 (18h21)

Foto: Unsplash / Robin Alves
Foto: Unsplash / Robin Alves

A Câmara Municipal de Lisboa aprovou a celebração de um protocolo com a Associação das Casas de Fado de Lisboa (ACFL), constituída por 11 empresas, que inclui um apoio financeiro de 574 mil euros.

O protocolo e o respectivo apoio financeiro tinham discussão e votação previstas para o passado dia 30 de Julho, mas acabaram por ser adiadas na sequência da contestação por várias casas de fado da capital que se sentiram excluídas por não fazerem parte desta associação.

Na reunião do executivo camarário realizada hoje foi acrescentado um ponto deliberativo para abrir a possibilidade de candidatura às outras casas de fado que ficaram de fora deste apoio agora aprovado de forma unânime.

"Reafirmar a receptividade da Câmara Municipal de Lisboa (CML) em apoiar o sector do Fado, declarado pela UNESCO Património Cultural Imaterial da Humanidade e Património de Lisboa, durante a crise económica do Covid-19, nas suas diferentes expressões, por forma a assegurar a sobrevivência dos seus agentes e artistas", lê-se no ponto acrescentado.

A ACFL congrega 11 empresas, num total de 16 estabelecimentos situados em Lisboa.

A CML justifica este apoio com a "necessidade de salvaguardar" um "património único português face a uma situação extraordinária de pandemia, causada pela Covid-19, que impede este sector de gerar as normais receitas económicas e coloca em risco a própria existência futura do mesmo".

A edilidade refere ainda a celebração, este ano, do centenário do nascimento de Amália Rodrigues (1920-1999), que aponta como "cantora, actriz e fadista portuguesa de referência internacional", e a vontade de tornar Lisboa o "epicentro" das celebrações que se desenvolvem até ao próximo ano e se iniciaram a 1 de Julho último.

A ACFL, por seu turno, propõe-se a desenvolver "duas iniciativas relevantes para o objectivo de promover o Património Cultural Imaterial da cidade e apoiar as casas de fado de Lisboa, nomeadamente através da produção de um magazine televisivo dedicado ao Fado e da realização de uma Festa do Fado".

Segundo o protocolo, a ACFL "pretende colaborar na implementação e desenvolvimento de várias iniciativas para promoção do Fado".

O apoio financeiro da CML, no valor de 574.385,09 euros, destina-se ao "desenvolvimento e prossecução das actividades, constantes do protocolo".

Em nota enviada à agência Lusa, a ACFL refere que tem as suas origens no trabalho conjunto das casas de fado inscritas na Associação de Turismo de Lisboa (ATL) e que desenvolveram, em parceria, diversas acções, nomeadamente no programa "StopOver", uma parceria da TAP Air Portugal com diversas entidades associadas do Turismo de Lisboa, há cerca de três anos.

"Estas parcerias resultaram na necessidade de constituição de uma estrutura que permitisse a representatividade formal, de forma a criar um programa para o desenvolvimento de acções que promovessem a importância do Fado, a Cultura Fadista e apoiasse os seus associados", lê-se na mesma nota.

Segundo a ACFL, as 11 empresas que a constituem apresentam um volume de facturação global superior a 13 milhões de euros, empregando 284 pessoas.
A ACFL "decidiu que mais do que solicitar apoios sem contrapartidas, deveria criar projectos com mérito para poderem ser apoiados, e constituírem um património que perdurasse", lê-se na mesma nota.

A ACFL afirma-se interessada na "entrada de novos elementos", segundo "as condições definidas", designadamente: o "cumprimento da legalidade institucional, nomeadamente comprovando o pagamento de direitos de autor e das licenças para persecução da actividade", entre outras, como ser um espaço onde apenas se escuta fado ou a "existência de um elenco, comprovado através da existência de contratos de trabalho ou contratos de prestação de serviços", de modo a "verificar e promover os direitos de estabilidade dos artistas".

(PressTUR com Agência Lusa)

Clique para ver mais: Portugal

Clique para ver mais: Empresas & Negócios

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

Governo reforça Programa Valorizar com mais de 10 milhões de euros

29-09-2020 (17h22)

O Governo vai reforçar o Programa Valorizar, até ao final do ano, com uma dotação orçamental superior a 10 milhões de euros para dar continuidade a um instrumento de "sucesso" que já financiou "750 projectos turísticos".

Governo apoia mais 24 projectos turísticos no Ribatejo e no Alentejo

29-09-2020 (17h16)

O Governo oficializou o apoio a mais 24 projectos turísticos no Ribatejo e no Alentejo, num investimento superior a 6,8 milhões de euros, no âmbito do Programa Valorizar.

Venda de passagens da TAP resistiu melhor nas rotas de África, América do Norte e Brasil

29-09-2020 (17h04)

A TAP teve no primeiro semestre, que inclui os três meses de impacto mais drástico da pandemia de covid-19 nas viagens e turismo, uma quebra das vendas de voos em 57,2% ou 729,67 milhões de euros, com as rotas de África, da América do Norte e do Brasil a serem as que melhor resistiram, ainda assim com quebras acima de 40%.

TAP mostra que reduziu mais a capacidade que os seus ‘pares’

29-09-2020 (16h35)

A TAP indicou hoje que no primeiro semestre, em reacção ao impacto da pandemia nas viagens e turismo, reduziu a sua capacidade medida em ASK (lugares x quilómetros voados) em 82%, o que significa um ‘corte’ 14 pontos mais forte que a média dos voos de/para países europeus, em que a redução foi de 68%.

Custos operacionais da TAP caíram menos que receitas no primeiro semestre

29-09-2020 (16h33)

A TAP apresentou um prejuízo fiscal de 724,1 milhões de euros, que representa um agravamento de 581,7 milhões em relação ao período homólogo de 2019, nomeadamente por uma quebra de receitas operacionais em 55,4% ou 802,8 milhões, enquanto os gastos operacionais baixaram 30% ou 460,2 milhões.

Opinião e Análise