Câmara de Lisboa aprovou Regulamento do Alojamento Local

30-10-2019 (14h47)

A Câmara de Lisboa aprovou hoje o Regulamento do Alojamento Local, incluindo agora o eixo da Baixa/Avenida da Liberdade/Avenida da República nas zonas onde estão proibidos novos estabelecimentos e alargando a zona de “contenção relativa” ao Bairro das Colónias.

O regulamento foi aprovado na reunião privada do executivo autárquico realizada esta manhã nos Paços do Concelho e contou com os votos favoráveis dos socialistas, que lideram a Câmara de Lisboa, do PCP e da vereadora do PSD Teresa Leal Coelho, a abstenção do BE e os votos contra do vereador do PSD João Pedro Costa e do CDS-PP, disse à Lusa fonte da autarquia.

Passam agora a ser consideradas zonas de contenção absoluta as zonas do Bairro Alto/Madragoa, Castelo/Alfama/Mouraria, Colina de Santana, a Baixa e os eixos Avenida da Liberdade/Avenida da República/Avenida Almirante Reis.

Em comunicado, o BE assinala “os avanços importantes” na regulação do alojamento local, que resultou na suspensão de licenças de novos estabelecimentos em zonas que atingiram um rácio de 20% entre o número de fogos de habitação permanente e o número de estabelecimentos de alojamento local.

Na primeira versão do documento, as zonas da Baixa e da Avenida da Liberdade, Avenida da República e Almirante Reis eram excluídas das áreas de contenção, por se considerar que têm um uso predominantemente terciário.

Nas zonas de contenção absoluta estão proibidos novos registos de estabelecimentos de alojamento local, excepto quando digam respeito a operações de reabilitação de edifícios em ruínas ou reabilitação integral de edifícios devolutos há mais de três anos e integrem oferta de habitação para arrendamento a preços acessíveis.

A zona de contenção relativa, que passa a ter um registo de alojamento local limitado, é agora alargada também ao Bairro das Colónias, mantendo-se a Graça integrada nesta categoria.

Na nota do BE ressalva-se que, apesar de esta não ser a proposta dos bloquistas, “permite avançar mais na regulação do alojamento local” e “dar continuidade à regulação existente, que estaria em risco caso este regulamento não fosse aprovado, deixando o alojamento local liberalizado a partir de 18 de Novembro”.

“Provamos mais uma vez que é possível chegar a acordo para garantir, neste caso, que tenhamos um Regulamento de Alojamento Local estabilizado a partir de hoje, uma ferramenta indispensável para combater a grave crise na habitação que se vive em Lisboa”, é ainda referido no comunicado do BE, que tem um acordo de governação do município com o PS.

A primeira versão do regulamento tinha sido aprovada pelo executivo municipal em abril, com os votos favoráveis dos socialistas e a abstenção do BE, tendo PSD, CDS-PP e PCP votado contra.

(PressTUR com Agência Lusa)

 

Clique para ver mais: Portugal

Clique para ver mais: Hotelaria

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

Universidade Europeia lança livro "Turismo e Hospitalidade de A a Z"

03-07-2020 (19h13)

A Universidade Europeia lançou o livro "Turismo e Hospitalidade de A a Z", que "aborda o turismo e a hospitalidade numa perspectiva multidisciplinar que permite apresentar um roteiro semântico" pela indústria do turismo.

TAP informa mercado sobre acordo de princípio entre Estado e privados

03-07-2020 (19h02)

A TAP informou hoje o mercado, através de um comunicado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), do acordo de princípio atingido esta quinta-feira à noite entre os privados e o Estado, para viabilizar a empresa.

Frasquilho avisa que próximos tempos na TAP serão difíceis, mas superados

03-07-2020 (18h57)

O presidente do Conselho de Administração da TAP, Miguel Frasquilho, alertou os trabalhadores numa mensagem a que o PressTUR teve acesso que os próximos tempos serão difíceis, mas serão superados “com alguns sacrifícios”.

Neya Lisboa Hotel distinguido com um Energy Globe Award

03-07-2020 (18h47)

O Neya Lisboa Hotel, a primeira unidade do grupo Neya Hotels, foi distinguido com um Energy Globe Award, que destaca "projectos inovadores no sector da eficiência energética, energias renováveis e conservação de recursos em prol do ambiente".

Reino Unido declara Açores e Madeira destinos seguros, mas mantém quarentena obrigatória no regresso

03-07-2020 (18h06)

O Reino Unido anunciou hoje que Açores e Madeira deixaram de representar “um risco inaceitavelmente alto” para os viajantes britânicos, no mesmo dia em que revelou que Portugal está fora da lista de países para onde os ingleses podem viajar sem ter de cumprir 14 dias de quarentena no regresso.

Opinião e Análise