Grupo Royal Caribbean prolonga reservas flexíveis até 30 de Setembro

23-07-2020 (18h05)

Foto: Royal Caribbean
Foto: Royal Caribbean

O Grupo Royal Caribbean prolongou até 30 de Setembro o período em que permite reservas de cruzeiros com possibilidade de cancelamento até 48 horas antes da partida.

A medida, baptizada “Cruzeiro com Confiança”, é válida para novas reservas efectuadas até 30 de Setembro e para reservas existentes, para viagens até Abril de 2022, excepto na Celebrity Cruises, até 4 de Maio de 2022.

Ao cancelar a viagem, os clientes recebem um voucher no valor total pago.

 

Clique para ver mais: Royal Caribbean

Clique para ver mais: Cruzeiros

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

Carnival Cruises acrescenta duas embarcações à sua frota até 2023

24-06-2021 (11h29)

A companhia de cruzeiros Carnival Cruises, subsidiária do grupo Carnival Corporation, vai integrar na sua frota o Costa Magica, depois de um processo de regranding e renaming, e um navio de classe Excel, que estava previsto para a AIDA Cruises.

MSC Cruzeiros garante mais de 26.000 lugares em voos charter

22-06-2021 (18h15)

A MSC Cruzeiros anunciou que vai garantir mais de 26.000 lugares em voos charter entre Julho e Outubro para oferecer programas de voo e cruzeiro, de acordo com o seu protocolo de saúde e segurança, aos seus passageiros na Europa.

MSC Opera vai fazer escala na Tunísia no Verão de 2022

22-06-2021 (17h20)

A MSC Cruzeiros vai incluir o porto de La Goulette, em Tunes, Tunísia, no itinerário da sua embarcação MSC Opera, entre Abril e Outubro de 2022.

Melair Cruzeiros promove amanhã webinar sobre a Celebrity Cruises

21-06-2021 (16h03)

A Melair Cruzeiros organiza amanhã um webinar para profissionais de turismo dedicado à companhia de cruzeiros Celebrity Cruises.

MSC Cruzeiros retoma operações nos EUA em Agosto

16-06-2021 (14h49)

A MSC Cruzeiros anunciou hoje que vai retomar em Agosto as suas operações nos Estados Unidos, com itinerários a bordo dos navios MSC Meraviglia e MSC Divina.

Opinião e Análise