CTP diz que viabilização do aeroporto do Montijo é “boa notícia”

31-10-2019 (12h55)

Foto de Nuno Carvalho, Click and Play, distribuída pela APAVT
Foto de Nuno Carvalho, Click and Play, distribuída pela APAVT

"Quero ver se finalmente vejo os ‘caterpillars' no Montijo", disse o presidente da Confederação do Turismo de Portugal (CTP), Francisco Calheiros, ao considerar "uma boa notícia" a viabilização do aeroporto pela Agência Portuguesa do Ambiente (APA).

“É uma boa notícia sair esse parecer. (…) Há muito tempo que estávamos à espera deste Estudo de Impacte Ambiental”, afirmou Francisco Calheiros em declarações à Lusa.

Para o presidente da CTP, a construção do novo aeroporto na Base Aérea n.º 6, no Montijo, vai permitir dar resposta à falta de capacidade do aeroporto de Lisboa, aumentando a capacidade para se negociar novas rotas aéreas e, consequentemente, incrementar o turismo.

No que diz respeito às mitigações exigidas pela APA, Francisco Calheiros espera que o Governo e a ANA Aeroportos de Portugal, que já reagiu com “surpresa e apreensão” a algumas das medidas impostas para minimizar o impacte ambiental, “se sentem o mais rapidamente possível” para que consigam “resolver o que é necessário fazer para se avançarem com as obras”.

A APA emitiu na quarta-feira a proposta de Declaração de Impacte Ambiental (DIA) relativa ao aeroporto do Montijo e respectivas acessibilidades, tendo a decisão sido “favorável condicionada”, viabilizando o projecto.

“A DIA é favorável condicionada, viabilizando assim o projeto na vertente ambiental. A DIA inclui um pacote de medidas de minimização e compensação ambiental que ascende a cerca de 48 milhões de euros”, referiu o comunicado da APA.

Entre as principais preocupações ambientais estão a avifauna, ruído e mobilidade.

Segundo explica a APA no documento, esta declaração vem “na sequência do parecer, igualmente favorável condicionado, emitido pela Comissão de Avaliação composta por dezenas de especialistas e organismos da administração pública”.

O projecto pretende promover a construção de um aeroporto civil na Base Aérea n.º 6 do Montijo (BA6), em complementaridade de funcionamento com o aeroporto de Lisboa, visando a repartição do tráfego aéreo destinado à região de Lisboa e a acessibilidade rodoviária de ligação da A12 ao novo aeroporto.

Em 8 de Janeiro, a ANA e o Estado assinaram o acordo para a expansão da capacidade aeroportuária de Lisboa, com um investimento de 1,15 mil milhões de euros até 2028 para aumentar o actual aeroporto de Lisboa (Aeroporto Humberto Delgado) e transformar a BA6 num novo aeroporto.

(PressTUR com Agência Lusa)

Ver também:

ANA vê com “surpresa e apreensão” medidas propostas pela Agência do Ambiente

Agência do Ambiente aprova aeroporto do Montijo mas impõe medidas de 48 milhões de euros

Clique para ver mais: Aviação

Clique para ver mais: Portugal

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

Universidade Europeia lança livro "Turismo e Hospitalidade de A a Z"

03-07-2020 (19h13)

A Universidade Europeia lançou o livro "Turismo e Hospitalidade de A a Z", que "aborda o turismo e a hospitalidade numa perspectiva multidisciplinar que permite apresentar um roteiro semântico" pela indústria do turismo.

TAP informa mercado sobre acordo de princípio entre Estado e privados

03-07-2020 (19h02)

A TAP informou hoje o mercado, através de um comunicado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), do acordo de princípio atingido esta quinta-feira à noite entre os privados e o Estado, para viabilizar a empresa.

Frasquilho avisa que próximos tempos na TAP serão difíceis, mas superados

03-07-2020 (18h57)

O presidente do Conselho de Administração da TAP, Miguel Frasquilho, alertou os trabalhadores numa mensagem a que o PressTUR teve acesso que os próximos tempos serão difíceis, mas serão superados “com alguns sacrifícios”.

Neya Lisboa Hotel distinguido com um Energy Globe Award

03-07-2020 (18h47)

O Neya Lisboa Hotel, a primeira unidade do grupo Neya Hotels, foi distinguido com um Energy Globe Award, que destaca "projectos inovadores no sector da eficiência energética, energias renováveis e conservação de recursos em prol do ambiente".

Reino Unido declara Açores e Madeira destinos seguros, mas mantém quarentena obrigatória no regresso

03-07-2020 (18h06)

O Reino Unido anunciou hoje que Açores e Madeira deixaram de representar “um risco inaceitavelmente alto” para os viajantes britânicos, no mesmo dia em que revelou que Portugal está fora da lista de países para onde os ingleses podem viajar sem ter de cumprir 14 dias de quarentena no regresso.

Opinião e Análise