Companhias aéreas consideram "intolerável" aumento das multas para 20 mil euros em Portugal

26-11-2021 (15h44)

Foto: Unsplash / Ken Yam
Foto: Unsplash / Ken Yam

A Associação das Companhias Aéreas em Portugal (RENA) disse à Lusa que considera “intolerável” o aumento para 20 mil euros das multas em que as companhias aéreas incorrem a partir de 1 de Dezembro caso transportem passageiros sem teste negativo à covid-19.

“O quadro sancionatório já é suficientemente adequado e dissuasor. O Estado entende, a partir de 1 de Dezembro deste ano, forçar as companhias aéreas e estas já estão a atendê-lo. Actualmente, as multas são de 2.000 euros, por passageiro, pelo que o quadro sancionatório, ao nível do que foi dito e publicado, é intolerável e absurdo”, criticou o director executivo da RENA, António Moura Portugal.

Para a RENA, é conveniente separar as duas questões: “as medidas de controlo de fronteiras e as exigência que o Governo” coloca às companhias aéreas.

“Estamos à espera do diploma e temos dúvidas sobre a legalidade desta medida. Há seis meses, a Presidência Portuguesa elegeu como bandeira e conquista o certificado digital. É uma boa medida, mas mostramos a nossa perplexidade” com o que foi anunciado.

Na quinta-feira, o primeiro-ministro, António Costa, afirmou, após a reunião do Conselho de Ministros, que as companhias aéreas que transportassem passageiros sem teste negativo à covid-19 incorriam em multas de 20 mil euros por pessoa, além de poderem mesmo perder a licença de voo para território nacional.

“É obrigação de todas as companhias de aviação, no momento do check in só permitirem o embarque dos voos para Portugal de pessoas que provem estar devidamente testadas e não podem transportar para Portugal ninguém que não esteja devidamente testado”, disse o governante.

Além disso, frisou: “Constatamos que, infelizmente, as companhias de aviação não têm cumprido a sua obrigação e por isso alterámos o quadro contraordenacional e passaremos a aplicar uma coima de 20 mil euros por cada passageiro que seja desembarcado no território português sem que esteja devidamente testado”.

O director executivo da RENA, por seu turno, questionou o agravamento da multa, questionando “para quê? (...) Não é para o teste ou para o vírus, mas por não cumprir uma verificação do Estado”, disse.

“É uma afirmação sem fundamento [do Governo] e é um qualificativo que as companhias aéreas não aceitam”, advertiu o responsável, apesar de dizer que a RENA espera o diploma para ter uma posição avalizada.

As novas medidas contemplam ainda o controlo mais apertado às chegada dos passageiros com a contratação de empresas de segurança privada que vão verificar se todas as pessoas têm testes.

Além disso, foi também referido que se forem detectadas pessoas infectadas com o novo coronavírus estas permanecerão em áreas reservadas, a criar, e que as despesas de alojamento e alimentação correrão por conta das companhias.

O director executivo alerta para o facto de se estar a falar de “tarefas inspectivas de pessoas que não foram contratadas e formadas para o fazer”.

(Notícia Lusa)

 

Clique para ver mais: Aviação

Clique para ver mais: Portugal

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

ADHP promove Curso de Especialização em Direcção Hoteleira

14-01-2022 (11h59)

A Associação dos Directores de Hotéis de Portugal (ADHP) vai promover a próxima edição do Curso de Especialização em Direcção Hoteleira (CEDH), entre 2 de Fevereiro e 31 de Maio de 2022, actualizando o conteúdo com cinco novos módulos.

AHRESP quer que empresas fiquem livres de encargos do apoio excecional à família

13-01-2022 (13h46)

A Associação da Hotelaria, Restauração e Similares de Portugal (AHRESP) defendeu hoje que o apoio excepcional à família, no âmbito da covid-19, seja tratado entre os trabalhadores e a Segurança Social, ficando as empresas livres de encargos financeiros e administrativos.

38 crianças estão em quarentena em unidade hoteleira em Macau

13-01-2022 (13h19)

Quase 40 crianças de uma creche de Macau foram hoje colocadas em quarentena compulsória em quartos de hotel depois de um funcionário daquela instituição ter estado num banquete na China onde uma pessoa testou positivo para a covid-19.

Hotel em Porto Santo recebe militares infectados da Corveta António Enes

13-01-2022 (13h10)

Quarenta e um militares infectados com covid-19 a bordo da Corveta António Enes, ancorado em Porto Santo, estão hoje a ser retirados do navio, seguindo para uma unidade hoteleira onde vão continuar o isolamento.

Primeiro hotel Mama Shelter da Península Ibérica inaugurado hoje em Lisboa

12-01-2022 (16h36)

O Mama Shelter Lisboa é, a partir de hoje, a primeira unidade hoteleira da marca francesa na Península Ibérica, com 130 quartos num edifício de oito andares entre o Príncipe Real e a Avenida da Liberdade.

Opinião e Análise