Convento do Carmo em Moura vai ser um 4-estrelas após investimento de seis milhões

21-08-2019 (21h22)

A Sociedade de Promoção de Projetos Turísticos e Hoteleiros (SPPTH), gestora do Convento do Espinheiro, em Évora, venceu a concessão do Convento do Carmo, em Moura, que irá converter num hotel de 4-estrelas para abrir em 2022, após um investimento de seis milhões de euros.

A recuperação do imóvel para a criação de um hotel com cerca de 50 quartos foi adjudicada à SPPTH— Sociedade de Promoção de Projetos Turísticos e Hoteleiros no âmbito do Programa Revive, uma iniciativa dos ministérios da Economia, Cultura e Finanças em colaboração com as autarquias para recuperar património sem uso e reforçar a atractividade de destinos regionais.

O Convento do Carmo, de que a SPPTH ficará com a concessão por 50 anos para fins turísticos, foi edificado em 1251 e foi o primeiro da ordem carmelita fundado na Península Ibérica.

“No século XVI sofreu transformações profundas, tendo sido construída nessa altura a igreja, os claustros e as capelas”, descreve um comunicado, acrescentando que “foi deste convento que saíram os monges que fundaram o Convento do Carmo, em Lisboa”.

O imóvel está localizado no centro histórico de Moura, próximo do castelo e da biblioteca municipal de Moura e o conjunto que engloba a igreja e o claustro do convento está classificado como imóvel de interesse público desde 1944, sublinha a nota de imprensa.

“Juntaram-se todos os ingredientes necessários para que tivéssemos investimento em Moura e para criar riqueza e mais camas turísticas para o futuro”, disse esta quinta-feira à agência Lusa o presidente da Câmara de Moura, Álvaro Azevedo.

“Voltarmos a ter o nosso Convento do Carmo com o brilho que merece”, salientou o autarca, acrescentando que “é um motivo de orgulho muito grande” o facto de “grupos credíveis e com provas dadas verem Moura como um lugar importante para investir”.

“Queremos apostar no turismo e não temos aqui outro projecto desta dimensão e desta qualidade”, realçou ainda Álvaro Azevedo.

No Programa Revive foram lançados até ao momento 18 concursos, estando actualmente abertos os concursos para a concessão do Mosteiro de Lorvão, em Penacova, do Castelo de Vila Nova de Cerveira e do Forte da Ínsua, em Caminha.

Os próximos concursos previstos serão para o Mosteiro de Travanca (Amarante), Santuário do Cabo Espichel (Sesimbra) e Forte da Barra de Aveiro (Ílhavo).

(PressTUR com Agência Lusa)

 

Clique para ver mais: Portugal

Clique para ver mais: Hotelaria

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

Accor pondera despedir 1.000 trabalhadores em todo o mundo

05-08-2020 (19h02)

O grupo hoteleiro Accor está a ponderar despedir mil trabalhadores em todo o mundo, entre um universo de 18.000, após ter registado um prejuízo de 1.512 milhões de euros no primeiro semestre de 2020.

Novo hotel em Valpaços aposta em spa com com tratamentos à base de azeite

05-08-2020 (13h33)

Valpaços, no distrito de Vila Real, Trás-os-Montes, conta com uma nova unidade hoteleira que, localizada num concelho produtor de azeite de Trás-os-Montes DOP (Denominação de Origem Protegida), tem como diferencial precisamente um spa com tratamentos à base de azeite.

Iberostar aposta no tratamento de dados com soluções da Minsait

04-08-2020 (14h11)

A Minsait, que pertence à Indra, anunciou o fornecimento de uma solução analítica completa concebida para centralizar e gerir todos os dados ao grupo de turismo Iberostar.

Pandemia ‘destruiu’ cerca de 20 milhões de dormidas no alojamento turístico português até Junho

03-08-2020 (14h59)

A pandemia provocou uma quebra de dormidas no alojamento turístico português que se situa na ordem dos 20 milhões, de acordo com os dados divulgados hoje pelo INE, que indica 1,07 milhões de pernoitas no mês de Junho, elevando para 10,5 milhões o total no semestre.

Portugueses proporcionam “ligeira melhoria” em Junho da actividade turística em Portugal

03-08-2020 (11h21)

O mercado dos residentes em Portugal, proporcionou ao turismo um mês de Junho ‘ligeiramente' menos negativo que os anteriores, informou hoje o INE, que indicou que uma queda das suas dormidas no alojamento turístico duas décimas menor que os 60%, enquanto da parte do turismo internacional a queda manteve-se acima dos 95%.

Opinião e Análise