Dormidas de portugueses na hotelaria espanhola aumentaram 8,1% em 2019 e atingiram 4,32 milhões

24-01-2020 (16h06)

Os hotéis espanhóis tiveram alojados em 2019 um total de 1,64 milhões de turistas residentes em Portugal, que fizeram 4,32 milhões de dormidas, de acordo com os dados do INE espanhol que indicam subidas em 8,6% do número de hóspedes portugueses e de 8,1% das suas pernoitas.

A informação permite ver também que no ano passado a estada média dos turistas portugueses baixou 0,5%, para 2,63 noites.

Assim, Portugal até foi dos emissores da União Europeia com aumento mais forte de turistas e dormidas na hotelaria espanhola e com menor decréscimo da estada média.

Cálculos do PressTUR com base nos dados do INE espanhol indicam que a hotelaria espanhol teve uma queda das dormidas de turistas residentes em países da União Europeia em 2019 em 1,9% ou 3,48 milhões, para 175,48 milhões, apesar de um aumento do número de hóspedes desses emissores em 0,7% ou perto de 280 mil, para 38,25 milhões, pela queda da estada média em 2,7%.

Os dados do INE espanhol consultados pelo PressTUR indicam que o aumento de turistas portugueses na hotelaria espanhola deu-se no primeiro semestre, com mais 13,9 mil em Março, mais 37,1 mil em Abril, mais 15,1 mil em Maio e mais 49,8 mil em Junho, bem como no mês de Agosto, em que houve um aumento de 14,2 mil, atingindo o total recorde do ano de 261,9 mil.

Fevereiro, Outubro e Dezembro, pelo contrário, foram meses de quebras, com menos 5,2 mil, menos 7,1 mil e menos 3,7 mil, respectivamente.

A estada média, porém, teve as maiores quebras nos primeiros meses do ano, com -9,7% em Março, que deverá estar associada à flutuação das datas das férias de Páscoa.

A estada média mais elevada foi a que se verificou em Julho, com 3,29 noites, com um aumento em 5,4% em relação ao mês homólogo de 2018.

Dezembro, pelo contrário, foi o mês em que se verificou a estada média mais baixa dos turistas residentes em Portugal, com 1,95 noites, 2,5% abaixo do mês homólogo de 2018.

Em dormidas, Junho, com mais quase 92 mil que no mês homólogo de 2018, foi aquele em que ocorreu o maior aumento, apesar de uma queda da estada média em 4,9%, pelo aumento de turistas residentes em Portugal em 27,7% ou 40,8 mil, para 188,2 mil.

Agosto manteve-se o mês em que a hotelaria espanhola teve não só o maior número de hóspedes residentes em Portugal, com 261,9 mil, como aquele em que contabilizou o maior número de pernoitas de turistas do mercado português, com 842,4 mil, apesar da descida da estada média em 4,4%.

 

Clique para mais notícias: Espanha

Clique para mais notícias: Hotelaria

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

CCB quer fechar contrato este ano com Mota Engil para hotel e zona comercial

01-10-2020 (16h57)

O Centro Cultural de Belém (CCB) espera assinar ainda este ano o contrato com a construtora Mota Engil, para a construção e exploração de um hotel e zona comercial nos módulos que faltam ao edifício original.

Marriott estreia marca Aloft no Japão

01-10-2020 (16h22)

A Marriott International abriu o primeiro hotel da sua marca Aloft no Japão, em Tóquio, uma unidade hoteleira com um design arrojado e cores brilhantes, num piscar de olho ao movimento cultural dos anos 1960 Miyuki-zoku.

Quebra de dormidas de turistas estrangeiros em Portugal atingiu 4,46 milhões

01-10-2020 (15h28)

O alojamento turístico português sofreu em Agosto uma quebra das dormidas de turistas residentes no estrangeiro em 72%, com quebras acima de 80% em sete dos 16 principais emissores, nomeadamente os de longo curso.

Algarve teve mais turismo de portugueses em Agosto do que há um ano, apesar da pandemia

01-10-2020 (12h07)

O alojamento turístico do Algarve teve este Agosto mais 9% de dormidas de turistas residentes em Portugal, apesar dos tempos de pandemia, que provocou uma quebra dos estrangeiros em 67,5%.

Meliá sinaliza confiança na China com novo hotel em Chengdu

29-09-2020 (11h32)

A Meliá Hotels International inaugurou um hotel da sua marca Gran Meliá em Chengdu, na China, país que considera pioneiro na recuperação da crise provocada pela pandemia da covid-19.

Opinião e Análise