Hoti Hotéis assina acordo amanhã para transformar Palacete dos Condes Dias Garcia em hotel

28-10-2020 (14h54)

Foto: revive.turismodeportugal.pt
Foto: revive.turismodeportugal.pt

A Hoti Hotéis assina amanhã o acordo para transformar o Palacete dos Condes Dias Garcia, em São João da Madeira, num hotel de 4-estrelas, com um investimento de cerca de quatro milhões de euros.

A inauguração da unidade hoteleira está prevista para meados de 2022 e a Hoti Hotéis deverá pagar uma renda anual ao Estado de 30.528 euros pela concessão de 50 anos, segundo um comunicado do Gabinete do Ministro de Estado, da Economia e Transição Digital.

A cerimónia de assinatura do contrato de concessão terá lugar na Câmara Municipal de São João da Madeira, amanhã às 11h30.

“Construído na viragem do século XIX para o século XX, este palacete é um exemplar arquitetónico do «estilo abrasileirado» ou «arquitetura dos brasileiros», símbolo da afirmação e do prestígio pessoal e riqueza do seu proprietário, António Dias Garcia, natural de São João da Madeira, que fez fortuna no Brasil”, descreve o comunicado.

A nota de imprensa acrescenta que “após o desaparecimento de António Dias Garcia nos anos 40 do século passado, o palacete funcionou como Instituto de Línguas, Centro de Formação da Indústria do Calçado, Liceu e Tribunal”.

O Programa Revive é uma iniciativa conjunta dos ministérios da Economia, Cultura e Finanças, com a colaboração das autarquias locais e a coordenação do Turismo de Portugal, que tem por objectivo “promover a recuperação de imóveis públicos de elevado valor patrimonial que não estão a ser usufruídos pelas comunidades, através da realização de investimentos privados que os tornem aptos para afetação a uma atividade económica lucrativa, com vocação turística”.

Foram lançados até ao momento concursos para a concessão de 22 imóveis dos 49 imóveis que estão incluídos no Programa, tendo sido adjudicadas 18 concessões, que representam um investimento total estimado em cerca de 138,6 milhões de euros e rendas anuais na ordem dos 2,4 milhões de euros.

Actualmente está aberto o concurso para a concessão do Mosteiro de Santo André de Rendufe, em Amares, prevendo-se para breve o lançamento dos concursos de concessão dos Fortes de S. João da Cadaveira e de S. Pedro, em Cascais, do Santuário de Cabo Espichel, em Sesimbra e da Casa do Outeiro, em Paredes de Coura.

 

Clique para ver mais: Hotelaria

Clique para ver mais: Hoti Hotéis

Clique para ver mais: Revive

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

Meliá anuncia dois hotéis em Nha Trang, no Vietname

03-12-2020 (12h14)

A Meliá Hotels International anunciou os hotéis Gran Meliá Nha Trang e Meliá Nha Trang, em Nha Trang, no Vietname, que têm inauguração prevista para 2023.

Dormidas de portugueses subiram em Outubro no Algarve com a Fórmula 1

02-12-2020 (15h46)

O Algarve conseguiu a única variação positiva de dormidas no alojamento turístico português durante o mês de Outubro, nas pernoitas de turistas residentes em Portugal, que o INE atribui à realização do Grande Prémio de Portugal de Fórmula 1, que se disputou no Autódromo do Algarve, em Portimão, no final do mês.

Holanda foi a ‘boa surpresa’ em Outubro para o alojamento turístico português

02-12-2020 (15h06)

A Holanda foi a excepção mais inesperada em Outubro às quebras de dormidas no alojamento turístico português, ao registar o menor decréscimo relativo de todos os principais emissores, de acordo com a estimativa rápida divulgada pelo INE.

Hilton anuncia novos hotéis em Cascais, Gaia e São Miguel

02-12-2020 (13h04)

A Hilton anunciou que vai abrir mais três hotéis em Portugal até 2023, em Cascais, Vila Nova de Gaia e em São Miguel, nos Açores, com as suas marcas Hilton, Curio Collection e DoubleTree.

Bairro Alto Hotel volta a encerrar temporariamente devido à pandemia

27-11-2020 (09h08)

O Bairro Alto Hotel voltou a encerrar temporariamente, justificando a decisão com “as sucessivas renovações do Estado de Emergência e as novas medidas de contenção e prevenção, cada vez mais restritivas, impostas pelo Governo português”.

Opinião e Análise