Inverter quebra da estada média é uma missão do sector — Governo e hoteleiros

27-11-2019 (15h41)

Inverter a tendência de quebra da estada média dos turistas em Portugal é uma missão do sector, assumida pela Associação da Hotelaria de Portugal (AHP) e pela secretária de Estado do Turismo. Para saber como, o PressTUR ouviu os grupos Vila Galé, Pestana, SANA, Hoti Hotéis e PortoBay.

Nos primeiros nove meses deste ano, a estada média na hotelaria portuguesa foi de 2,64 noites, menos 2,8% que no período homólogo do ano passado, segundo os últimos dados divulgados pelo INE.

A estada média dos residentes no estrangeiro está com uma quebra de 3,3% até Setembro, para 3,03 noites, enquanto a dos residentes em Portugal caiu 1,2%, para 2,04 noites.

Esta evolução verifica-se num período em que a hotelaria portuguesa recebeu 21,149 milhões de hóspedes, mais 6,9% que um ano antes, que realizaram 55,890 milhões de dormidas, com um aumento em 3,9%.

Já a taxa de ocupação cama está com uma quebra de 0,8 pontos percentuais, para 50,2%, uma tendência que deverá manter-se nos próximos dois anos, prevê o presidente da AHP, Raul Martins.

“Os próximos dois anos serão de decréscimo da ocupação que terá de ser compensado pelo aumento da estada média e da receita total, até que o aumento da capacidade aeroportuária de Lisboa, com a construção do aeroporto do Montijo, comece a fazer aumentar o número de passageiros e turistas”, afirmou presidente da AHP, na abertura do 31º Congresso da Hotelaria e Turismo, na semana passada em Viana do Castelo.

Raul Martins destacou ser necessário “apostar no crescimento mais acelerado de outros mercados emissores que sirvam para colmatar perdas actuais e previsíveis por parte dos dois mercados externos mais importantes para Portugal (Reino Unido e Alemanha) e incentivar com acções promocionais o aumento da estada média dos turistas em Portugal”.

Em declarações aos jornalistas antes do Congresso, o presidente da AHP sugeriu que fosse criada pelo Turismo de Portugal uma iniciativa semelhante aos programas de Stopover das companhias de aviação, incentivando um turista que visita o Porto a prolongar a sua viagem com uma visita a Viana do Castelo ou ao Douro, por exemplo.

O tema da estada média também foi abordado no encerramento do Congresso pela nova secretária de Estado do Turismo, Rita Marques, que defendeu a valorização das infra-estruturas turísticas “criando espaços de fruição turístico-cultural que permitam que quem nos visita possa ficar cá mais do que as 2,7 noites que actualmente fica”.

“Falamos da Nacional 2, poderemos falar dos Caminhos de Santiago, falaremos das Rotas de Xisto. Enfim, tantos produtos que fomos desenhando que só fazem sentido se forem de facto agarrados como um todo, numa lógica matricial que permita que quem nos visita viaje Portugal lés-a-lés e possa explorar cada região, os vários destinos de Portugal, mas que tudo isto faça parte de uma trama que no fim conte uma história”, acrescentou Rita Marques.

Nos últimos cinco anos a estada média na hotelaria portuguesa caiu 8,3%, de 2,88 para 2,64 noites, com uma queda de 3,3% no mercado dos residentes em Portugal (de 2,11 para 2,04 noites) e 12,1% no mercado dos residentes no estrangeiro, de 3,44 para 3,03 noites.

Dados recolhidos pelo PressTUR mostram que de Janeiro a Setembro de 2018 a estada média fixou-se nas 2,72 noites, menos 2% que no período homólogo de 2017, em que alcançou as 2,78 noites, que já representava uma quebra de 2% em relação a 2016. Nos primeiros nove meses de 2016 houve um aumento de 0,1% para 2,83 noites, depois de uma quebra de 1,9% em 2015 e 1,8% em 2014.

Os dados permitem calcular que, se a estada média de Janeiro a Setembro deste ano fosse igual à do período homólogo de 2018, a hotelaria portuguesa teria mais 1,5 milhões de dormidas, incluindo mais cerca de 200 mil de turistas residentes em Portugal e mais cerca de 1,3 milhões de turistas residentes no estrangeiro.

Se a estada média dos primeiros nove meses deste ano fosse igual à do período homólogo de 2014, haveria mais cerca de cinco milhões de dormidas, incluindo mais meio milhão de turistas residentes em Portugal e mais cerca de cinco milhões de turistas residentes no estrangeiro.

Para ver as declarações dos hoteleiros ao PressTUR clique:

Hoteleiros defendem criação de experiências para aumentar a estada média

 

Clique para ver mais: Hotelaria

Clique para ver mais: Portugal

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

Turismo em Portugal teve “interrupção quase total” no mês de Abril, INE

29-05-2020 (19h33)

O alojamento turístico português, que em Abril de 2019 recebera 2,3 milhões de hóspedes e contabilizara 5,94 milhões de dormidas, este ano ficou por 68 mil hóspedes e 193,8 mil dormidas, tendo quebras em 97,1% e em 96,7%, respectivamente, de acordo com "a estimativa rápida" do INE divulgada hoje.


AHP propõe à Booking que aceite protelar devolução de dinheiro de reservas canceladas

29-05-2020 (19h13)

A AHP – Associação da Hotelaria de Portugal anunciou ter proposto à Booking, maior agência online em venda de estadas na hotelaria, que leve em conta as suas dificuldades de tesouraria e aumentem os prazos de devolução das reservas canceladas pela covid-19.

Pestana espera ter metade dos hotéis abertos em Setembro

29-05-2020 (15h15)

O Pestana Hotel Group, que vai reabrir dez hotéis e pousadas no dia 5 de Junho, avançou ao PressTUR esperar ter metade das suas unidades hoteleiras em funcionamento em Setembro.

Hoti Hotéis reabre nove hotéis a 5 de Junho

28-05-2020 (15h11)

O Grupo Hoti Hotéis, que tem 18 unidades hoteleiras em Portugal, anunciou que vai reabrir nove hotéis no dia 5 de Junho e tem previsto abrir mais dois até ao final de Junho.

The Vintage House reabre amanhã, 29 de Maio

28-05-2020 (14h26)

O The Vintage House, em Pinhão no Douro, vai reabrir amanhã, 29 de Maio, com o selo Clean & Safe e dois programa para casais ou famílias.

Opinião e Análise