Mosteiro românico de Amarante adjudicado a empresário francês para abrir hotel em 2023

07-02-2020 (16h13)

A concessão do mosteiro de São Salvador de Travanca, fundado no século XII, em Amarante (Porto), foi adjudicada ao empresário francês Jean-Claude Frederic Frajmund que o vai transformar num hotel com 40 quartos, anunciou hoje fonte governamental.

“Foi concluído mais um concurso Revive (programa dos Ministérios da Economia, Cultura e Finanças com a colaboração das autarquias locais), relativo ao Mosteiro de S. Salvador de Travanca, em Amarante (distrito do Porto), tendo sido adjudicado a Jean-Claude Frederic Frajmund, de nacionalidade francesa, para a instalação de um estabelecimento hoteleiro”, lê-se num comunicado divulgado hoje pelo gabinete do Ministro de Estado, da Economia e Transição Digital.

O mosteiro românico beneditino fundado no século XII, que faz parte do percurso cultural da Rota do Românico, vai ser transformado num projeto turístico que deverá “aliar a história do imóvel e o ambiente medieval, ao conforto e sofisticação da modernidade, com uma componente de saúde e bem-estar”, lê-se no comunicado.

A abertura da unidade hoteleira está prevista para o início de 2023 e o vencedor do concurso comprometeu-se a pagar uma renda anual de “27.618 mil euros, para a instalação de um hotel de quatro estrelas, com cerca de 40 quartos”.

O imóvel, que está situado no fundo de um vale e envolvido por inúmeras quintas características da região Norte do país, vai ser concessionado durante 50 anos para exploração para fins turísticos.

O mosteiro de São Salvador de Travanca é um dos 33 imóveis incluídos na primeira fase do Revive, um programa que tem o objetivo de “valorizar e recuperar o património sem uso”, bem como “reforçar a atratividade dos destinos regionais e o desenvolvimento de várias regiões do país”, explica o Governo.

“Este imóvel é o 13.º a ser adjudicado no âmbito do Programa Revive, o qual representa já um total de 114,5 milhões de euros de investimento na recuperação de património público e cerca de 2,4 milhões de euros em rendas anuais.

O programa integra, atualmente, um total de 49 imóveis, dos quais 21 se localizam em territórios do interior.

Estão abertos os concursos para a concessão do Palacete dos Condes Dias Garcia (São João da Madeira/Aveiro), Quinta do Paço de Valverde (Évora) e Forte da Barra de Aveiro (Ílhavo).

(PressTUR com Agência Lusa)

 

Clique para ver mais: Hotelaria

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

Accor pondera despedir 1.000 trabalhadores em todo o mundo

05-08-2020 (19h02)

O grupo hoteleiro Accor está a ponderar despedir mil trabalhadores em todo o mundo, entre um universo de 18.000, após ter registado um prejuízo de 1.512 milhões de euros no primeiro semestre de 2020.

Novo hotel em Valpaços aposta em spa com com tratamentos à base de azeite

05-08-2020 (13h33)

Valpaços, no distrito de Vila Real, Trás-os-Montes, conta com uma nova unidade hoteleira que, localizada num concelho produtor de azeite de Trás-os-Montes DOP (Denominação de Origem Protegida), tem como diferencial precisamente um spa com tratamentos à base de azeite.

Iberostar aposta no tratamento de dados com soluções da Minsait

04-08-2020 (14h11)

A Minsait, que pertence à Indra, anunciou o fornecimento de uma solução analítica completa concebida para centralizar e gerir todos os dados ao grupo de turismo Iberostar.

Pandemia ‘destruiu’ cerca de 20 milhões de dormidas no alojamento turístico português até Junho

03-08-2020 (14h59)

A pandemia provocou uma quebra de dormidas no alojamento turístico português que se situa na ordem dos 20 milhões, de acordo com os dados divulgados hoje pelo INE, que indica 1,07 milhões de pernoitas no mês de Junho, elevando para 10,5 milhões o total no semestre.

Portugueses proporcionam “ligeira melhoria” em Junho da actividade turística em Portugal

03-08-2020 (11h21)

O mercado dos residentes em Portugal, proporcionou ao turismo um mês de Junho ‘ligeiramente' menos negativo que os anteriores, informou hoje o INE, que indicou que uma queda das suas dormidas no alojamento turístico duas décimas menor que os 60%, enquanto da parte do turismo internacional a queda manteve-se acima dos 95%.

Opinião e Análise