Pandemia tirou 1.633 milhões de euros de receitas ao alojamento turístico português

15-09-2020 (13h09)

Os estabelecimentos de alojamento turístico portugueses somavam no fim de Julho uma quebra de receitas que superava os 1.633 milhões de euros, com as regiões menos preponderantes em turismo, como o Alentejo e o Centro, a serem as que registam menores quebras relativas, como já o assinalara o presidente do Turismo de Portugal.

(clique para ler: “Small is beautiful” triunfou no turismo em Portugal este Verão).

Os dados hoje publicados pelo INE indicam que a quebra média de proveitos dos estabelecimentos de alojamento é de 70,1%, mas no Alentejo está em 47,5%, significando 42,8 milhões de euros, e no Centro está em 59,4%, com menos 109,5 milhões.

O Norte de Portugal e a Madeira surgem seguidamente, ambas com quedas inferiores à média, mas já acima de 60%, respectivamente com -66% ou menos 228 milhões de euros e -68,5% ou menos 160,3 milhões.

A quebra relativa mais forte do período ocorre nos Açores, com -78,9% ou menos 51,5 milhões de euros, e com quedas mais fortes que a média nacional estão também o Algarve, com -74% ou menos 473,7 milhões de euros, e Lisboa e Vale do Tejo, com -73,6% ou menos 567 milhões.

Lisboa e Vale do Tejo, que em valor tem a maior queda do período, representando 34,7% da quebra total no alojamento turístico, mantém-se ainda assim a região onde o sector arrecadou mais proveitos nos meses de Janeiro a Julho, inclusive, com um total de 202,9 milhões, seguida pelo Algarve, com 166,1 milhões, Porto e Norte, com 117,4 milhões, Centro, com 74,8 milhões, Madeira, com 73,8 milhões, Alentejo, com 47,4 milhões, e Açores, com 13,7 milhões.

Estes dados mostram o Centro a ultrapassar a Madeira, que é tradicionalmente a 4ª maior região turística portuguesa em proveitos do alojamento turístico, a seguir a Lisboa, Algarve e Porto, mas que tem até Julho uma queda cerca de 51 milhões mais forte que o Centro.

De facto, a Madeira teve uma queda que representa 9,8% da queda total de receitas do alojamento turístico, enquanto a queda no Centro representou 6,7%.

 

Clique para mais notícias: Alojamento turístico português

Clique para mais notícias: Hotelaria

Clique para mais notícias: Portugal

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

Marriott estreia marca Aloft no Japão

01-10-2020 (16h22)

A Marriott International abriu o primeiro hotel da sua marca Aloft no Japão, em Tóquio, uma unidade hoteleira com um design arrojado e cores brilhantes, num piscar de olho ao movimento cultural dos anos 1960 Miyuki-zoku.

Quebra de dormidas de turistas estrangeiros em Portugal atingiu 4,46 milhões

01-10-2020 (15h28)

O alojamento turístico português sofreu em Agosto uma quebra das dormidas de turistas residentes no estrangeiro em 72%, com quebras acima de 80% em sete dos 16 principais emissores, nomeadamente os de longo curso.

Algarve teve mais turismo de portugueses em Agosto do que há um ano, apesar da pandemia

01-10-2020 (12h07)

O alojamento turístico do Algarve teve este Agosto mais 9% de dormidas de turistas residentes em Portugal, apesar dos tempos de pandemia, que provocou uma quebra dos estrangeiros em 67,5%.

Meliá sinaliza confiança na China com novo hotel em Chengdu

29-09-2020 (11h32)

A Meliá Hotels International inaugurou um hotel da sua marca Gran Meliá em Chengdu, na China, país que considera pioneiro na recuperação da crise provocada pela pandemia da covid-19.

Covid-19 custou 30 milhões de dormidas à hotelaria espanhola só em Agosto

23-09-2020 (17h03)

A pandemia de covid-19 retirou à hotelaria espanhola 30,2 milhões de dormidas em Agosto, tradicionalmente o seu melhor mês, com quase 80% dessa quebra a dever-se aos mercados internacionais, que reduziram as dormidas em 83,4% ou 24 milhões.

Opinião e Análise