Portugal é “um mercado muito importante” onde a Globalia quer crescer — Javier Hidalgo, CEO

22-01-2020 (14h32)

Clã Hidalgo na Fitur. Ao centro: Javier Hidalgo, Juan José Hidalgo e María José Hidalgo
Clã Hidalgo na Fitur. Ao centro: Javier Hidalgo, Juan José Hidalgo e María José Hidalgo

A Globalia, dona da Air Europa e dos hotéis Be Live, entre outras empresas de turismo, como o operador Travelplan, presente em Portugal, vê o país como um mercado "muito importante" onde ambiciona crescer em várias áreas de negócio, disse ao PressTUR Javier Hidalgo, CEO do grupo.

A Globalia aguarda uma decisão das autoridades da concorrência para concluir uma fusão da sua divisão de viagens com a Ávoris (ex-Barceló Viajes), numa operação que permitirá formar um grupo com cerca de 6.000 trabalhadores e 4.000 milhões de euros de facturação.

Javier Hidalgo espera obter uma decisão das autoridades da concorrência em Março e começar a implementar o novo modelo de negócio a partir do segundo semestre deste ano.

Em declarções ao PressTUR durante a Fitur, em Madrid, o CEO da Globalia disse que “ainda não” há planos para o negócio da nova empresa para o mercado português, mas garantiu que é um mercado “muito importante, que está a crescer” e “tem um produto excepcional”.

“Nós estamos a crescer com a nossa cadeia hoteleira e continuamos a enviar muitos turistas para Portugal. E também continuamos a crescer com a nossa companhia aérea [a Air Europa]”, acrescentou Javier Hidalgo.

“Estamos a ver opções tanto em Lisboa como na zona de Cascais, para ver se conseguimos ter algum hotel aí”, especificou Javier Hidalgo, acrescentando que, porém, ainda não tem planos concretos.

A divisão hoteleira do grupo, a Be Live Hotels, tem dois hotéis em Portugal, ambos no Algarve.

Como mercado emissor, o CEO da Globalia destacou a importância de Portugal para os voos da Air Europa, que é alvo de uma proposta de compra pelo IAG, de que fazem parte a British Airways, a Iberia, a Vueling, a Aer Lingus e a Level. “Nós temos muitas conexões desde Lisboa e Porto para o nosso hub em Madrid e para todo o nosso mercado da América Latina e dos Estados Unidos. E muito Brasil”.

A Globalia tem um acordo assinado para vender a Air Europa ao IAG por mil milhões de euros, mas o negócio ainda aguarda ‘luz verde’ das autoridades da concorrência, pelo que deverá poder ser concluído no segundo semestre deste ano ou mesmo em 2021.

Questionado sobre a aposta no Brasil, Javier Hidalgo salientou que a Air Europa abriu em Dezembro uma rota para Fortaleza, capital do estado nordestino do Ceará. “Portanto, sim, continamos a crescer no Brasil”, disse.

 

Clique para ver mais: Globalia

Clique para ver mais: Air Europa

Clique para ver mais: Be Live

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

CCB quer fechar contrato este ano com Mota Engil para hotel e zona comercial

01-10-2020 (16h57)

O Centro Cultural de Belém (CCB) espera assinar ainda este ano o contrato com a construtora Mota Engil, para a construção e exploração de um hotel e zona comercial nos módulos que faltam ao edifício original.

Marriott estreia marca Aloft no Japão

01-10-2020 (16h22)

A Marriott International abriu o primeiro hotel da sua marca Aloft no Japão, em Tóquio, uma unidade hoteleira com um design arrojado e cores brilhantes, num piscar de olho ao movimento cultural dos anos 1960 Miyuki-zoku.

Quebra de dormidas de turistas estrangeiros em Portugal atingiu 4,46 milhões

01-10-2020 (15h28)

O alojamento turístico português sofreu em Agosto uma quebra das dormidas de turistas residentes no estrangeiro em 72%, com quebras acima de 80% em sete dos 16 principais emissores, nomeadamente os de longo curso.

Algarve teve mais turismo de portugueses em Agosto do que há um ano, apesar da pandemia

01-10-2020 (12h07)

O alojamento turístico do Algarve teve este Agosto mais 9% de dormidas de turistas residentes em Portugal, apesar dos tempos de pandemia, que provocou uma quebra dos estrangeiros em 67,5%.

Meliá sinaliza confiança na China com novo hotel em Chengdu

29-09-2020 (11h32)

A Meliá Hotels International inaugurou um hotel da sua marca Gran Meliá em Chengdu, na China, país que considera pioneiro na recuperação da crise provocada pela pandemia da covid-19.

Opinião e Análise