Vila Galé vai manter abertos sete hotéis em Portugal para quem precisa “imperiosamente”

20-03-2020 (16h01)

O Vila Galé Hotéis, segundo maior grupo hoteleiro português, informou que vai manter abertos sete dos seus 27 hotéis em Portugal continental, para “apenas garantir o alojamento daqueles que por necessidades imperiosas não podem deixar de o fazer, não se destinando nesta fase a estadias de lazer”.

Os hotéis que se vão manter em funcionamento são o Vila Galé Porto, o Vila Galé Coimbra, o Vila Galé Cascais, o Vila Galé Ópera (Lisboa), o Vila Galé Évora, o Vila Galé Ampalius (Vilamoura) e o Vila Galé Cerro Alagoa (Albufeira).

O grupo assinalou que devido à pandemia de covid-19 teve que encerrar a maioria dos hotéis em Portugal, mas que verificou “existir um conjunto de profissionais no nosso país com necessidades de alojamento, sejam eles profissionais de empresas que não podem suspender os seus serviços para garantir os serviços mínimos necessários ou clientes em trânsito que não conseguem voos de regresso”.

É para esses que fez a opção de deixar sete hotéis abertos, acrescenta o grupo, que diz ainda ter “criado um preço especial para o alojamento nesta fase”, que “são igualmente aplicáveis aos clientes já alojados que necessitem de estender a sua estadia”.

O grupo garante na mesma informação que tem em prática “medidas de prevenção e de reforço da higiene nos hotéis, de acordo com as directivas da Direção Geral de Saúde e do Governo português”, como, entre outras, aumento da “frequência de limpeza das áreas públicas e comuns e intensificámos o recurso a desinfetantes” e a suspensão do funcionamento dos bares e restaurantes, bem como das atividades de animação, eventos e reuniões.

O grupo informou ainda que pequenos-almoços e jantares serão servidos nos quartos, terá a opção de room service, bem como spas, saunas banhos turcos, jacuzzis, piscinas e serviços de massagens.

A informação divulgada pelo Vila Galé Hotéis através do seu website indica também que flexibilizou “as políticas de cancelamento ou adiamento de reservas motivados pelo novo coronavírus, sendo que qualquer reserva poderá ser cancelada sem qualquer custo”.

O grupo indica ainda na mesma informação que no Brasil, onde tem tem nove unidades e é líder em resorts de praia, as suas unidades estão prontas a receber clientes “com a segurança e qualidade de atendimento que é marca registrada da Vila Galé”, realçando que aumentou “a frequência da higienização de áreas públicas (incluindo lobbies, elevadores, maçanetas, banheiros de uso comum, entre outros)” e está “produtos de limpeza profunda”.

Para ver mais clique: “Comunicado Oficial” Vila Galé

https://www.vilagale.com/pt/grupo/noticias/comunicado-oficial

 

Clique para mais notícias: Vila Galé

Clique para mais notícias: Hotelaria

Clique para mais notícias: Coronavírus

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

Vila Galé abre hotel na capital económica do Brasil no dia 20

07-08-2020 (14h06)

A Vila Galé Hotels, segunda maior rede hoteleira portuguesa e nº 1 no Brasil em resorts de praia, marcou para dia 20 a sua ‘chegada’ a São Paulo, capital económica brasileira, com um hotel ‘focado’ em pintura na rua Bela Cintra.

Accor pondera despedir 1.000 trabalhadores em todo o mundo

05-08-2020 (19h02)

O grupo hoteleiro Accor está a ponderar despedir mil trabalhadores em todo o mundo, entre um universo de 18.000, após ter registado um prejuízo de 1.512 milhões de euros no primeiro semestre de 2020.

Novo hotel em Valpaços aposta em spa com com tratamentos à base de azeite

05-08-2020 (13h33)

Valpaços, no distrito de Vila Real, Trás-os-Montes, conta com uma nova unidade hoteleira que, localizada num concelho produtor de azeite de Trás-os-Montes DOP (Denominação de Origem Protegida), tem como diferencial precisamente um spa com tratamentos à base de azeite.

Iberostar aposta no tratamento de dados com soluções da Minsait

04-08-2020 (14h11)

A Minsait, que pertence à Indra, anunciou o fornecimento de uma solução analítica completa concebida para centralizar e gerir todos os dados ao grupo de turismo Iberostar.

Pandemia ‘destruiu’ cerca de 20 milhões de dormidas no alojamento turístico português até Junho

03-08-2020 (14h59)

A pandemia provocou uma quebra de dormidas no alojamento turístico português que se situa na ordem dos 20 milhões, de acordo com os dados divulgados hoje pelo INE, que indica 1,07 milhões de pernoitas no mês de Junho, elevando para 10,5 milhões o total no semestre.

Opinião e Análise