Jolidey suspende programação para Cuba e México até 30 de Abril

17-03-2020 (17h57)

O operador turístico Jolidey anunciou a suspensão temporária da programação para o México e para Cuba até 30 de Abril, devido à pandemia do novo coronavírus.

"Como consequência da situação originada pela pandemia que estamos a viver, informamos que nos vemos obrigados a suspender temporariamente a nossa programação com a nossa companhia aérea Evelop/Orbest para Cuba e para o México, de 22 e 23 de Março respectivamente, até ao próximo dia 30 de Abril", anunciou a operador do grupo Ávoris em comunicado.

No mesmo comunicado, o operador afirma que vai retomar as operações com regularidade e com toda a oferta de produtos no seu website, a partir de 1 de Maio.


Clique para ver mais: Agências & Operadores

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

Meliá reabre hotéis no Norte de Espanha e na Comunidade Valenciana

02-07-2020 (19h29)

A Meliá Hotels International anunciou a reabertura de seis hotéis no Norte de Espanha e dez hotéis na Comunidade Valenciana.

Conselho de Ministros prolonga agonia da crise na TAP

02-07-2020 (19h22)

O Governo manteve hoje, após o Conselho de Ministros que tinha sido apontado ser a derradeira instância para uma solução sobre a TAP, o discurso do ou aceitam o acordo ou haverá nacionalização, que repete pelo menos desde ontem.

Dom Pedro Madeira reabre a 16 de Julho

02-07-2020 (19h07)

O 4-estrelas Dom Pedro Madeira Ocean Beach Hotel, situado na costa leste da ilha da Madeira, a 5 minutos do Aeroporto Internacional da Madeira, vai reabrir a 16 de Julho com o selo Clean & Safe do Turismo de Portugal.

AIDA Cruises prolonga suspensão das operações até 31 de Agosto

02-07-2020 (17h35)

A companhia de cruzeiros AIDA Cruises anunciou hoje que prolongou a suspensão das suas operações até 31 de Agosto.

Bruxelas lança processo de infração a Portugal pelos ‘vouchers’ para reembolsos de clientes

02-07-2020 (13h19)

A Comissão Europeia decidiu hoje lançar processos de infração contra Portugal e outros nove Estados-membros por violação das leis comunitárias sobre direitos dos passageiros ao admitir vouchers para reembolsar clientes por viagens não efectuadas devido à pandemia de covid-19.

Opinião e Análise