P&O Cruises prolonga suspensão de operação até 12 de Novembro

11-08-2020 (17h37)

Foto: www.pocruises.com
Foto: www.pocruises.com

Filial da Carnival cancela dois cruzeiros de longa duração

A P&O Cruises, filial da Carnival, anunciou que vai prolongar a sua suspensão de operação até 12 de Novembro e cancelar dois cruzeiros de longa duração.

O prolongamento da suspensão de operações e o cancelamento dos dois cruzeiros, previstos para Janeiro de 2021, de acordo com o comunicado da P&O Cruises, foram decisões tomadas de acordo com a orientação do FCO (Foreign & Commonwealth Office).

O Aurora tinha previsto um itinerário nas Caraíbas e na América do Sul, enquanto que o Arcadia tinha programada uma viagem de volta ao mundo.

Paul Ludlow, presidente da P&O Cruises, explicou, citado em comunicado, que os dois cruzeiros foram cancelados devido à necessidade de planeamento a longo prazo, a sua complexidade, a duração dos itinerários, e as alterações nas restrições nas diferentes fronteiras.

Os clientes que tiveram o seu cruzeiro cancelado vão receber automaticamente um Certificado de Cruzeiro Futuro (FCC) no valor de 125% do custo do cruzeiro, ou podem pedir um reembolso a 100% no website da companhia.

O presidente da companhia afirmou ainda que o navio Iona será entregue antes do Outono.

Clique para ver mais: Cruzeiros

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

Governo reforça Programa Valorizar com mais de 10 milhões de euros

29-09-2020 (17h22)

O Governo vai reforçar o Programa Valorizar, até ao final do ano, com uma dotação orçamental superior a 10 milhões de euros para dar continuidade a um instrumento de "sucesso" que já financiou "750 projectos turísticos".

Governo apoia mais 24 projectos turísticos no Ribatejo e no Alentejo

29-09-2020 (17h16)

O Governo oficializou o apoio a mais 24 projectos turísticos no Ribatejo e no Alentejo, num investimento superior a 6,8 milhões de euros, no âmbito do Programa Valorizar.

Venda de passagens da TAP resistiu melhor nas rotas de África, América do Norte e Brasil

29-09-2020 (17h04)

A TAP teve no primeiro semestre, que inclui os três meses de impacto mais drástico da pandemia de covid-19 nas viagens e turismo, uma quebra das vendas de voos em 57,2% ou 729,67 milhões de euros, com as rotas de África, da América do Norte e do Brasil a serem as que melhor resistiram, ainda assim com quebras acima de 40%.

TAP mostra que reduziu mais a capacidade que os seus ‘pares’

29-09-2020 (16h35)

A TAP indicou hoje que no primeiro semestre, em reacção ao impacto da pandemia nas viagens e turismo, reduziu a sua capacidade medida em ASK (lugares x quilómetros voados) em 82%, o que significa um ‘corte’ 14 pontos mais forte que a média dos voos de/para países europeus, em que a redução foi de 68%.

Custos operacionais da TAP caíram menos que receitas no primeiro semestre

29-09-2020 (16h33)

A TAP apresentou um prejuízo fiscal de 724,1 milhões de euros, que representa um agravamento de 581,7 milhões em relação ao período homólogo de 2019, nomeadamente por uma quebra de receitas operacionais em 55,4% ou 802,8 milhões, enquanto os gastos operacionais baixaram 30% ou 460,2 milhões.

Opinião e Análise