Plano de reestruturação da SAA implica despedimentos e criação de nova empresa

16-07-2020 (13h36)

Os credores da falida companhia aérea sul-africana SAA aprovaram um plano de reestruturação, que resultará em cortes de empregos e na criação de uma nova empresa a partir das ruínas da empresa, anunciou o Ministério das Empresas Públicas.

Numa reunião, 86% dos credores da South African Airways (SAA) "votaram a favor do plano" de reestruturação da companhia pública, de acordo com uma declaração do ministério.

O plano prevê cortes de postos de trabalho, que não foram quantificados publicamente, referindo-se o Governo simplesmente a "indemnizações justas e razoáveis no interesse" do pessoal em causa. A SAA tem 5.200 empregados.

A reestruturação exigirá uma contribuição financeira que, segundo o principal partido da oposição, a Aliança Democrática (AD), ascenderá a 16,6 mil milhões de rands (873 milhões de euros).

Com o plano adoptado, a prioridade é "concretizar os compromissos do Governo em termos de financiamento", disse o Ministério das Empresas Públicas, sem apresentar quaisquer números.

"Uma nova companhia aérea, reestruturada e competitiva, criada a partir da antiga, é a melhor opção para voltar imediatamente para o ar", acrescentou o ministério.

Esta solução, que envolve "uma reestruturação fundamental da SAA", é "muito melhor para os credores e funcionários da SAA do que a liquidação", acrescentou.

Com dívidas muito avolumadas e recentemente colocada em liquidação judicial, a SAA não registou qualquer lucro desde 2011 e sobreviveu durante anos apenas sob injecção permanente de dinheiro público. A empresa foi forçada a encerrar muitas rotas em 2020, mesmo antes da pandemia de Covid-19.

O promotor considerou hoje a aprovação do plano de reestruturação "imoral".

"Centenas de milhares de sul-africanos que perderam os seus empregos por causa da Covid-19 (...) verão 16,6 mil milhões de rands [867 milhões de euros] ser engolidos num buraco negro", advertiu numa declaração.

(PressTUR com Agência Lusa)

Clique para ver mais: Aviação

Clique para ver mais: África

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

Companhia aérea brasileira Azul regista prejuízo de 450 milhões de euros no segundo trimestre

14-08-2020 (18h45)

A companhia aérea brasileira Azul registou um prejuízo de 2,9 mil milhões de reais (450 milhões de euros) no segundo trimestre de 2020, segundo balanço financeiro divulgado pela empresa.

EuroAtlantic vai ter novo horário na ligação para Bissau

14-08-2020 (18h12)

A euroAtlantic vai começar voar para a Guiné-Bissau num novo horário, com chegada diurna à capital guineense, a partir de 4 de Setembro, informou a companhia aérea.

Brasileira Azul lança empresa de aviação regional

12-08-2020 (20h37)

A companhia aérea brasileira Azul lançou na terça-feira uma nova subsidiária para o mercado de voos regionais, denominada Azul Conecta, que pretende chegar a 200 cidades nos próximos anos.

Portugal mantém-se no final de Julho a 8ª maior origem/destino de passageiros dos aeroportos espanhóis

12-08-2020 (17h03)

Os aeroportos espanhóis contabilizaram 1,077 milhões de passageiros em voos de/para Portugal nos primeiros sete meses deste ano, o que mantém o país como 8ª maior origem/destino de passageiros, ainda que a pandemia tenha causado uma quebra em 66% ou 2,087 milhões.

Pandemia já tirou mais de 105 milhões de passageiros aos aeroportos espanhóis

12-08-2020 (15h35)

Os aeroportos espanhóis tiveram em Julho quase sete milhões de passageiros, mas ainda assim ficaram 76,3% ou 22,4 milhões abaixo do mês homólogo de 2019, elevando a quebra desde o início do ano para 106,8 milhões (-67,9%), de acordo com os dados da AENA, gestora dos aeroportos espanhóis recolhidos pelo PressTUR.

Opinião e Análise