PRR tem 7.700 milhões de euros para apoios directos e indirectos às empresas

16-04-2021 (16h27)

Foto: Markus Spiske / Unsplash
Foto: Markus Spiske / Unsplash

O Programa de Recuperação e Resiliência (PRR) terá 7.700 milhões de euros de apoios dedicados às empresas, de acordo com o Programa de Estabilidade (PE) aprovado na quinta-feira em Conselho de Ministros e entregue à Assembleia da República (AR).

Segundo o documento que ficou disponível pouco depois da meia-noite no site da Assembleia da República, estão previstos 5.000 milhões de euros de apoios directos às empresas e 2.700 milhões de apoios indirectos, a executar até 2026, no âmbito do PRR.

De acordo com um diagrama apresentado no PE, a maior fatia dos apoios directos às empresas vai para a capitalização, que receberá 1.550 milhões de euros, seguida da inovação, com direito a 1.364 milhões.

Abaixo dos 1.000 milhões de euros de apoios estarão a descarbonização, que contará com 715 milhões de euros, a transição digital (650 milhões), a qualificação de recursos humanos (630 milhões) e a bioeconomia (145 milhões).

Nos apoios indirectos, a maior fatia diz respeito às infraestruturas (690 milhões de euros), seguindo-se a digitalização da administração pública (578 milhões), a qualidade das finanças públicas (406 milhões), a gestão hídrica (390 milhões), o hidrogénio e energias renováveis (371 milhões), a justiça económica e ambiente de negócios (267 milhões) e ainda a eficiência energética dos edifícios (70 milhões).

No Programa de Estabilidade hoje conhecido, o Governo elenca oito pontos de apoio às empresas privadas: a descarbonização, a digitalização, a bioeconomia sustentável, a melhoria da rede rodoviária, o investimento nos recursos humanos, a promoção da investigação, desenvolvimento e inovação, a capacitação do sistema científico e a diminuição dos custos de contexto através da modernização da administração pública.

O Governo releva ainda, no PE, o papel do Banco Português de Fomento (BPF), que disponibilizará "soluções de financiamento, nomeadamente por dívida, em condições de preço e prazo adequadas à fase de desenvolvimento de empresas e projetos".

O Governo aprovou na quinta-feira o Programa de Estabilidade (PE) 2021/2025, documento no qual prevê que o Produto Interno Bruto (PIB) cresça 4% este ano, abaixo dos 5,4% anteriormente previstos, e 4,9% em 2022.

Quanto ao desemprego, o Governo prevê que a taxa deste ano fique nos 7,3%, acima dos 6,8% com que terminou 2020, mas abaixo da anterior previsão, de 8,2%.

O défice das contas públicas portuguesas ficará nos 4,5% este ano, a partir de 2022 atingirá o valor de 3,2%, e a partir de 2023 voltará a ficar abaixo dos 3%.

Este ano, a dívida pública deverá ficar nos 128% do PIB, baixando depois para 123% em 2022, para 121% em 2023, para 117% em 2024 e 114% em 2025.

 

Clique para ver mais: Empresas&Negócios

Clique para ver mais: Portugal

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

Vila Galé já tem 14 hotéis abertos em Portugal e nove no Brasil

05-05-2021 (18h15)

O grupo hoteleiro português Vila Galé anunciou hoje que já tem 14 hotéis abertos em Portugal e nove no Brasil, com "um plano muito rigoroso" de limpeza, novos equipamentos de proteção e uma plataforma digital que permite consultar as ementas dos restaurantes, reservar uma mesa e fazer check-in e check-out.

Vila Galé já tem 14 hotéis abertos em Portugal e oito no Brasil

05-05-2021 (16h29)

O grupo hoteleiro português Vila Galé anunciou hoje que já tem 14 hotéis abertos em Portugal e nove no Brasil, com “um plano muito rigoroso” de limpeza, novos equipamentos de proteção e uma plataforma digital que permite consultar as ementas dos restaurantes, reservar uma mesa e fazer check-in e check-out.

Finnair evidencia impacto desastroso da pandemia na aviação

05-05-2021 (15h56)

A Finnair, companhia de aviação que se posicionava como uma das melhores alternativas para ligações entre a Europa e a Ásia, indicou hoje que no mês de Abril transportou apenas 3,4 mil passageiros nesses voos, que comparam com 207,9 mil em Abril de 2019.

Ethiopian Mozambique cessa todos os voos a partir de amanhã, 6 de Maio

05-05-2021 (15h36)

A Ethiopian Airlines Mozambique, subsidiária moçambicana da maior companhia de aviação africana, anunciou que a partir de amanhã cessa todos os voos, por falta de procura devido à pandemia de covid-19, segundo indicou.

LATAM prolonga “bilhetes 100% reembolsáveis” até 31 de Maio

05-05-2021 (15h29)

“Todas as passagens emitidas até 31 de Maio poderão ser 100% reembolsáveis se o seu cliente não voar”, anunciou a companhia aérea LATAM.

Opinião e Análise