Reino Unido põe Madeira e Baleares na lista verde mas “sob vigilância”

25-06-2021 (11h51)

Foto: Unsplash / Marcus Siemens
Foto: Unsplash / Marcus Siemens

O ministro dos Transportes britânico, Grant Shapps, alertou hoje para o “risco de as coisas mudarem” e destinos como a Madeira e as Baleares serem despromovidos da "lista verde" para a "lista amarela" de viagens internacionais britânicas.

O Governo britânico anunciou na quinta-feira que a Madeira, Malta, ilhas Baleares espanholas e das Caraíbas, incluindo Barbados, e outros Territórios Ultramarinos Britânicos vão ser adicionados a partir de quarta-feira à “lista verde” de viagens internacionais.

Isto significa que viajantes daqueles destinos estão isentos de quarentena na chegada a Inglaterra, decisão reproduzida pela Escócia e Irlanda do Norte, mas não pelo País de Gales.

No entanto, Shapps vincou que, das 14 novas entradas, só Malta não está na “lista verde sob vigilância”, a qual identifica os destinos com maior risco de descerem novamente para a “lista amarela” devido a um risco mais elevado.

“Se as pessoas se encontrarem numa situação em que, a partir da semana que vem, querem sair, então estes são os locais para onde podem ir de férias. Claro, estando cientes de todas as ressalvas sobre o risco de as coisas mudarem pois, com este vírus, sabemos que isso acontece”, disse à Sky News.

Esta nova lista pretende evitar as cenas caóticas de turistas a regressarem à pressa quando as regras para os diferentes países mudam, como aconteceu com Portugal, quando passou da “lista verde” para a “amarela” em Junho.

Israel e Jerusalém também foram transferidos da “lista verde” para a "lista verde sob vigilância”, enquanto República Dominicana, Eritreia, Haiti, Mongólia, Tunísia e Uganda passam da “lista amarela” para a “vermelha”.

Actualmente, as viagens internacionais do Reino Unido são reguladas por um sistema de “semáforo”, que classifica os destinos de acordo com o risco epidemiológico.

Enquanto a “lista verde” isenta os viajantes de quarentena na chegada a território britânico, a “lista amarela” obriga a isolamento de 10 dias, bem como dois testes PCR, no segundo e oitavo dia.

A “lista vermelha”, cujos países representam um risco elevado devido à circulação de novas variantes do coronavírus, exige quarentena de 10 dias num hotel designado, além de dois testes PCR, sendo interdito viajar por motivos não essenciais para aqueles destinos.

Grant Shapps adiantou que serão exoneradas de quarentena no regresso dos países da “lista amarela” as pessoas totalmente vacinadas “mais tarde no verão”, mas não adiantou datas, alegando estar a estudar como fazer com os menores ou pessoas que não estão imunizadas.

 

Clique para ver mais: Madeira

Clique para ver mais: Reino Unido

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

PressTUR está a construir um novo site

14-01-2022 (15h05)

O PressTUR está a construir um novo site e espera apresentá-lo ao mercado em Março. Apresentamos as nossas desculpas pelos transtornos que esta situação possa causar. Subscreva a nossa newsletter para acompanhar as notícias e siga-nos no Facebook, LinkedIn e Twitter.

Estão abertas as inscrições para o 2ª edição do Check-In - Tourism Innovation on Campus

14-01-2022 (14h40)

A Nova School of Business and Economics (Nova SBE) anunciou que as inscrições para a 2ª edição do Check-In - Tourism Innovation on Campus estão abertas para startups até 6 de fevereiro.

ADHP promove Curso de Especialização em Direcção Hoteleira

14-01-2022 (11h59)

A Associação dos Directores de Hotéis de Portugal (ADHP) vai promover a próxima edição do Curso de Especialização em Direcção Hoteleira (CEDH), entre 2 de Fevereiro e 31 de Maio de 2022, actualizando o conteúdo com cinco novos módulos.

ONU melhora crescimento em África em 2021 para 3,8% e estima 4% este ano

14-01-2022 (11h26)

O Departamento das Nações Unidas para Assuntos Económicos e Sociais (UNDESA) melhorou a estimativa de crescimento para as economias africanas, antevendo uma expansão de 3,8% no ano passado e uma aceleração para 4% este ano.

Hong Kong proíbe trânsito de passageiros aéreos de 153 países, Portugal incluído

14-01-2022 (11h22)

O aeroporto de Hong Kong anunciou hoje a proibição do trânsito de passageiros de mais de 150 países a partir de Domingo, Portugal incluído, de forma a evitar a propagação da covid-19.

Opinião e Análise