Sistema de contabilização de ocupação de espaços destacada pela OMS

10-08-2020 (17h21)

Foto: Sergi Kabrera / Unsplash
Foto: Sergi Kabrera / Unsplash

O SmartOccupancy foi selecionado pela Organização Mundial do Turismo como finalista entre mais de 1.000 empresas de 100 países, como uma das “mais inovadoras e disruptivas” para mitigar o impacto da Covid-19 no turismo, foi hoje divulgado.

Em comunicado, a Checkpoint Systems, empresa responsável pelo SmartOccupancy, explica que face aos novos casos de Covid-19, o retalho europeu tomou medidas para “garantir a prevenção da saúde dos funcionários e dos clientes”, sendo que se trata de um sistema que “contabiliza de forma automática a taxa de ocupação”, de forma a zelar pela saúde e garantir o respeito pelo distanciamento social.

Os grandes centros comerciais, grandes superfícies, supermercados ou empresas de moda estão a instalar nos seus estabelecimentos ferramentas, tais como o SmartOccupancy, para controlar os níveis de ocupação em tempo real visando limitar o risco de possíveis contágios, cumprindo com os novos limites de ocupação.

(PressTUR com Agência Lusa)

Clique para ver mais: Empresas & Negócios

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

Governo reforça Programa Valorizar com mais de 10 milhões de euros

29-09-2020 (17h22)

O Governo vai reforçar o Programa Valorizar, até ao final do ano, com uma dotação orçamental superior a 10 milhões de euros para dar continuidade a um instrumento de "sucesso" que já financiou "750 projectos turísticos".

Governo apoia mais 24 projectos turísticos no Ribatejo e no Alentejo

29-09-2020 (17h16)

O Governo oficializou o apoio a mais 24 projectos turísticos no Ribatejo e no Alentejo, num investimento superior a 6,8 milhões de euros, no âmbito do Programa Valorizar.

Venda de passagens da TAP resistiu melhor nas rotas de África, América do Norte e Brasil

29-09-2020 (17h04)

A TAP teve no primeiro semestre, que inclui os três meses de impacto mais drástico da pandemia de covid-19 nas viagens e turismo, uma quebra das vendas de voos em 57,2% ou 729,67 milhões de euros, com as rotas de África, da América do Norte e do Brasil a serem as que melhor resistiram, ainda assim com quebras acima de 40%.

TAP mostra que reduziu mais a capacidade que os seus ‘pares’

29-09-2020 (16h35)

A TAP indicou hoje que no primeiro semestre, em reacção ao impacto da pandemia nas viagens e turismo, reduziu a sua capacidade medida em ASK (lugares x quilómetros voados) em 82%, o que significa um ‘corte’ 14 pontos mais forte que a média dos voos de/para países europeus, em que a redução foi de 68%.

Custos operacionais da TAP caíram menos que receitas no primeiro semestre

29-09-2020 (16h33)

A TAP apresentou um prejuízo fiscal de 724,1 milhões de euros, que representa um agravamento de 581,7 milhões em relação ao período homólogo de 2019, nomeadamente por uma quebra de receitas operacionais em 55,4% ou 802,8 milhões, enquanto os gastos operacionais baixaram 30% ou 460,2 milhões.

Opinião e Análise