APL aprova concessão a consórcio internacional do terminal de cruzeiros de Lisboa

16-01-2014 (15h45)

A APL, segundo anunciou, decidiu hoje adjudicar a concessão do serviço público do terminal de cruzeiros de Lisboa, maior em Portugal no ano de 2013, ao consórcio formado pela Global Liman Isletmeleri, com 40%, Grupo Sousa, Investimentos, com 30%, Royal Caribbean Cruises, com 20%, e Creuers del Port de Barcelona, com 10%.




Um comunicado da APL diz que a concessão é por 35 anos e que o contrato será assinado “depois do envio da respetiva minuta para o Tribunal de Contas e da pronúncia da Autoridade da Concorrência”.
A APL destaca que “o futuro concessionário do serviço público no Terminal de Cruzeiros de Lisboa congrega a experiência e as competências que advêm da gestão de vários terminais de passageiros no mundo inteiro, e do facto de incluir um dos maiores armadores do mundo e um armador português” e salienta que com a concessão “vê concretizados os objectivos a que se propôs” com o concurso internacional, designadamente “a construção do novo Terminal de Cruzeiros de Lisboa e um crescimento sustentado do número anual médio de passageiros movimentados ao longo da concessão, dando, assim, execução ao Plano Estratégico dos Transportes”.
O comunicado avança que entre as contrapartidas do novo concessionário figura “o investimento de construção da nova gare de passageiros”, um projecto do arquitecto português João Carrilho da Graça que requer um investimento de cerca de 22,7 milhões de euros.
Relativamente à operação corrente do terminal de cruzeiros, o comunicado diz que “o futuro concessionário propõe-se pagar à APL 300 mil euros por ano de taxa fixa e 0,22 euros por passageiro de taxa variável”, a que se somará “a contrapartida pelos serviços prestados (pilotagem e outros), que no ano de 2013 ascendeu a cerca de 2,5 milhões de euros”.
O comunicado destaca também a projecção que os membros do consórcio têm na actividade de cruzeiros, onde sobressai a Royal Caribbean Cruises que além de ser a segunda maior operadora de cruzeiros do mundo, com mais de cinco milhões de passageiros/ano, também gere terminais de cruzeiro em Itália (Civitavecchia e Nápoles), Estados Unidos (Port Everglades, Fort Lauderdale e Cape Liberty), México (Costa Maya e Langosta), Honduras (Roatan), Belize (Belize) e Turquia (Kusadasi), que anualmente têm cerca de doze milhões de passageiros.
A A Global Liman Isletmeleri, por sua vez, “gere terminais de cruzeiro na Turquia, em Kusadasi, Bodrum e Antalya, por onde passam quase um milhão de passageiros/ano”, e a Creuers del Port de Barcelona gere terminais de cruzeiro em Barcelona, Málaga e Singapura, por onde passam mais de três milhões de passageiros/ano.
O grupo português Sousa “transporta cerca de 300.000 passageiros/ano” entre o Porto Santo e o Funchal.
“O racional de todo o processo [de adjudicação] foi sempre o incentivo do aumento do tráfego de passageiros em Lisboa dado o notável impacte na economia da cidade e mesmo da região”, acrescenta o comunicado.


Lisboa volta a ser em 2013 o 1º destino português em cruzeiros

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

Willie Walsh será o novo director-geral da IATA a partir de 1 de Abril

24-11-2020 (17h10)

O irlandês Willie Walsh, ex-CEO do IAG, vai substituir Alexandre de Juniac como director-geral da Associação Internacional de Transporte Aéreo (IATA) a 1 de Abril de 2021.

Grupo Lufthansa muda lideranças na Swiss, Brussels e Lufthansa Cargo

20-11-2020 (17h39)

O Grupo Lufhtansa nomeou novos chief executive officers (CEO) para as suas subsidiárias Swiss, Brussels e Lufthansa Cargo.

Airmet promove Luís Henriques a director-geral

20-11-2020 (10h56)

Luís Henriques, que integrou este ano o grupo de gestão de agências de viagens Airmet como director-geral Comercial, assumiu esta segunda-feira, dia 16, o cargo de director-geral do grupo.

easyJet promove Javier Gándara a director para o Sul da Europa

07-10-2020 (15h01)

A companhia aérea easyJet promoveu o seu actual responsável pelo mercado de Portugal e Espanha, Javier Gándara, para director-geral para o Sul da Europa.

TAP explica finalmente saída da família Pedrosa da administração da TAP, SA

02-10-2020 (18h26)

A Administração da TAP explicou hoje ao pessoal que a saída de Humberto Pedrosa e David Pedrosa do Conselho de Administração da TAP, SA deve-se a terem passado a ser apenas accionistas da holding TAP SGPS, de que a empresa de aviação é subsidiária, e ‘formaliza’ a saída de David Neeleman.

Opinião e Análise