FIA começa no Sábado com mais de 600 expositores

03-07-2013 (11h09)

A Feira Internacional de Artesanato de Lisboa (FIA) vai começar no Sábado, dia 6 de Julho, e conta com mais de 600 expositores oriundos de 40 países, entre os quais Cabo Verde que é o país convidado desta edição em que se comemoram os 25 anos do certame.

A presença de Cabo Verde ocorre no ano em que o país candidata a Morna a Património Imaterial da Humanidade. A Embaixada de Cabo-Verde e a AIP - Feiras, Congressos e Eventos unem-se para dar a conhecer os ritmos, as cores e os sabores do destino.
A ocupar uma área de exposição de 30.000 m2, a feira vai ocupar três pavilhões.
No Pavilhão 1 estão as regiões portuguesas, com artesanato e artesãos credenciados e design.
No Pavilhão 2 estarão expositores de diversos paises, nomeadamente, Alemanha, Cuba, Equador, França, Indonésia, Itália, Mali, Moçambique, Perú, Reino Unido, Senegal, Tunísia, Ucrânia, Zimbabwe, Brasil, China, Egipto, Espanha, Índia, Irão, Kosovo, Marrocos, Nepal, Polónia, Quénia, Ruanda, Tailândia, Turquia, Vietname, Japão ou Suíça, entre outros.
O Pavilhão 3 terá uma área reservada à gastronomia regional e tradicional portuguesa e à cozinha internacional.
Ao longo de nove dias, os visitantes poderão contar com um programa de actividades culturais, nomeadamente, música, dança, folclore, desfiles, workshops ou seminários, ver ao vivo artesãos e artistas a criar peças únicas e, em alguns casos, aprender algumas artes através da participação em workshops e experimentação de variadas técnicas de artesanato sob a supervisão de mestres artesãos.
A ‘Arte de Trabalhar e Entrelaçar Fibras Vegetais’ dão mote ao concurso e exposição que o Instituto do Emprego e Formação Profissional - IEFP, numa iniciativa bienal, organiza com o objectivo de distinguir artesãos portugueses pela capacidade e originalidade dos seus trabalhos.
Por seu lado, a AIP – Feiras, Congressos e Eventos distingue durante a realização da FIA Lisboa a Melhor Peça de Artesanato Tradicional e Contemporâneo. A iniciativa que decorre todos os anos por ocasião do salão pretende dinamizar o artesanato nacional.
Em 2012 a FIA Lisboa acolheu mais de 130 mil pessoas em 9 dias de feira. A diversidade de oferta dos expositores, as propostas artesanais aliadas ao design mais contemporâneo, as iniciativas multiculturais e a ampliação da área dedicada à gastronomia, contribuíram para o sucesso da FIA Lisboa 2012, certame que é já uma referência consagrada nas feiras do sector.
A FIA decorre entre 6 e 14 de Julho na FIL, Parque das Nações, entre as 15h00 e as 24h00 (área exposicional) e as 12h30 e as 24h00 (área gastronomia).
O preço de entrada individual é 5 euros, enquanto estudantes, portadores de cartão Jovem, Seniores (>65 anos) pagam 2 euros e as crianças até aos 10 anos têm entrada gratuita.

Para saber mais sobre a FIA, clique aqui

Clique para ler mais: Lisboa&Vale do Tejo
Clique para ler mais: FIA
Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

Marriott apresenta novo director-geral do Penha Longo Resort

11-08-2020 (13h45)

A Marriott International, maior rede hoteleira do mundo, designou o britânico Oliver Key, “com mais de 25 anos de experiência nalguns dos melhores hotéis no Reino Unido, Estados Unidos da América, Emirados Árabes Unidos e Indonésia”, para dirigir o seu resort 5-estrelas em Portugal, o Penha Longo, da marca Ritz Carlton.

Ávoris promove Johan Tyren para liderar operadores turísticos

23-07-2020 (10h17)

O Grupo Ávoris, que em Portugal tem o operador turístico Jolidey e as agências B the Travel Brand, entre outras marcas, promoveu Johan Tyren para liderar a área de operação turística, após as saídas de Enric Riera, José Segura e Fernando Sánchez Doctor.

Pedro Oliveira nomeado director financeiro do IHG para a Península Ibérica

21-07-2020 (12h51)

Pedro Oliveira, que conta sete anos como funcionário do InterContinental Hotels Group, foi promovido a area director of finance and business support para a região da Península Ibérica.

Um olhar sobre a aviação comercial perante a pandemia de covid-19

20-05-2020 (20h51)

Há pouco mais de três meses muitas das companhias aéreas do mundo debatiam-se com problemas de falta de aviões que assegurassem as suas estratégias de crescimento e melhoria da sua eficiência. Reclamavam e pediam compensações da Boeing, pelo atraso no regresso à operação do B737 Max, bem como da Airbus, pelos sucessivos atrasos na entrega de novas aeronaves. Hoje, entre muitas outras, as dificuldades passam por encontrar lugar para parquear as suas frotas e em determinar quando as irão colocar novamente nos céus. Quase ninguém quer ouvir falar em ter mais aviões.

Nunca acreditaram. Sempre falaram e… nada fizeram!...

19-05-2020 (18h00)

Uns disseram que «não haveria lei dos vouchers», claro que não, pois se «os agentes de viagens não têm voz em Portugal»…

Opinião e Análise