Lisboa tem nova proposta para degustar “encontro de Sabores Lusófonos e Atlânticos”

29-12-2014 (20h26)

Restaurante Rio Luanda abre na Avenida da Liberdade

Chama-se Rio Luanda, fica em Lisboa e propõe-se ser um “encontro de Sabores Lusófonos e Atlânticos” da autoria do chef chef Napoleão Valente em parceria com o escritor de novelas da TV Globo Aguinaldo Silva.



A partir da esquerda e de cima: Cacusso em carolo de milho, Esparguete de Gambas, Polvo com cebola confit, Vitela com crosta de farinheira, Mufete de Cacusso e Caldinho de Feijão

Localizado na Avenida da Liberdade, no antigo espaço do Brasileiríssimo, o novo restaurante propõe-se apresentar “uma cozinha contemporânea onde a gastronomia portuguesa, brasileira e angolana são a base de inspiração”.
O chef é formado pela Escola Superior de Hotelaria e Turismo do Estoril e pela Escola de Hotelaria e Turismo de Lisboa e, segundo uma informação sobre o seu lançamento, avançou para a criação do novo restaurante “depois do desafio lançado pela TAP para desenvolver os menus dos voos de Luanda para Lisboa”, fazendo parceria com “Aguinaldo Silva, “que encontrou neste chef a sintonia do gosto pela divulgação da gastronomia lusófona e da cozinha contemporânea”.
À mesa, os comensais poderão “degustar diversos pratos típicos” dos países inspiradores, mas o seu propósito é “apresentar propostas de fusão que combinam os sabores destes três países”, de que são apontados como exemplos “Camarão cozido com farofa de amêijoas a bulhão pato e molho de lima” e “Cheesecake de Tamarino com bolacha de tapioca e cóli de tamarino”.
Outras “propostas de fusão” anunciadas são “Polvo com cebola confit e purê de inhame e espinafres salteados”, “Bacalhau com camarão, vieira, farofa de amêijoa a bulhão e harmonização”, “Entremeada a baixa temperatura com farofa de couve mineira e puré de feijão preto”, “Vitela com crosta de farinheira com grelos salteados e batata frita”.
“Mandioca com ginga com sagu de ginga e gelado de mandioca” é uma das sobremesas destacadas pelos promotores do Rio Luanda, que destacam que apesar da sua aposta em propostas de fusão, os clientes também poderão degustar sabores que caracterizam cada um dos países que inspiraram a sua criação, como “Arroz à Baiana”, “Mufete de Cacusso”, “Moqueca de Camarão”, “Muamba de Ginguba”, “Feijoada à Brasileiríssimo”, “Calulu de bacalhau e tamboril”, “Caldo Verde à moda portuguesa” e “a famosa Picanha”.
A informação especifica ainda que o novo Restaurante Rio Luanda funciona de segunda a Sábado das 12h às 24h no Tivoli Forum da Avenida da Liberdade, com um preço médio na ordem de 20 euros.

Lisboa
Gastronomia
Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

Ávoris promove Johan Tyren para liderar operadores turísticos

23-07-2020 (10h17)

O Grupo Ávoris, que em Portugal tem o operador turístico Jolidey e as agências B the Travel Brand, entre outras marcas, promoveu Johan Tyren para liderar a área de operação turística, após as saídas de Enric Riera, José Segura e Fernando Sánchez Doctor.

Pedro Oliveira nomeado director financeiro do IHG para a Península Ibérica

21-07-2020 (12h51)

Pedro Oliveira, que conta sete anos como funcionário do InterContinental Hotels Group, foi promovido a area director of finance and business support para a região da Península Ibérica.

Um olhar sobre a aviação comercial perante a pandemia de covid-19

20-05-2020 (20h51)

Há pouco mais de três meses muitas das companhias aéreas do mundo debatiam-se com problemas de falta de aviões que assegurassem as suas estratégias de crescimento e melhoria da sua eficiência. Reclamavam e pediam compensações da Boeing, pelo atraso no regresso à operação do B737 Max, bem como da Airbus, pelos sucessivos atrasos na entrega de novas aeronaves. Hoje, entre muitas outras, as dificuldades passam por encontrar lugar para parquear as suas frotas e em determinar quando as irão colocar novamente nos céus. Quase ninguém quer ouvir falar em ter mais aviões.

Nunca acreditaram. Sempre falaram e… nada fizeram!...

19-05-2020 (18h00)

Uns disseram que «não haveria lei dos vouchers», claro que não, pois se «os agentes de viagens não têm voz em Portugal»…

IAG adia mudanças na gestão de topo

16-03-2020 (11h23)

O IAG, segundo maior grupo europeu de aviação, anunciou hoje o adiamento das alterações da sua gestão de topo, nomeadamente a substituição de Willie Walsh como CEO por Luis Gallego, justificando com a pandemia de covid-19 e designadamente a sua evolução em Espanha.

Opinião e Análise