Macau tem o maior JW Marriott da Ásia e o primeiro Ritz-Carlton só com suites

04-06-2015 (10h25)

Galaxy Macau Phase II

Macau, com a inauguração da segunda fase do Galaxy Macau, passou a contar com a maior unidade JW Marriott da Ásia, com 1.015 quartos, e o primeiro hotel The Ritz-Carlton “all-suites”, com 250 unidades de alojamento.



Com o Galaxy Macau Phase II, Macau passou a ter o 29º hotel JW Marriott na Ásia e o 89º The Ritz-Carlton em todo o mundo, sendo ambas as marcas pertencentes à Marriott International, que anunciou o objectivo de aumentar o número de unidades JW Marriott na Ásia para acima de 50 e duplicar o portefólioda The Ritz-Carlton na Ásia para o dobro, nos próximos cinco anos.
Henry Lee, COO da Marriott International para a região da Grande China, ao falar sobre a evolução de Macau, afirmou, citado em comunicado, que “a região sem dúvida que mudou significativamente nos anos recentes e estamos a assistir à transformação da cidade de um destino de jogo para um [destino] com um espectro mais diversificado de opções entretenimento e recreação para visitantes de todas as idades”.
O JW Marriott Hotel Macau conta com um número impressionante de 1.015 quartos e suites de luxo com vista para a região de Cotai e para uma das mais especiais características do Galaxy Macau, o grand resort deck de 75 mil metros quadrados que conta com jardins de oásis, a maior Skytop Wave Pool do mundo, os mais longos Skytop Adventure Rapids do mundo e uma praia com 350 toneladas de areia branca.
A oferta de restauração, a cargo do chef executivo Bruno Correa, inclui o restaurante de comida cantonesa clássica Man Ho, o restaurante 24h Urban Kitchen, que serve comida internacional e regional, e ainda os JW Pool Bar e The Lounge.
O hotel também conta com o maior JW Kids’ Club do mundo que recorre ao conceito ‘edutainment’ através de actividades interactivas com o objectivo de educar e entreter.
Para eventos e reuniões, o hotel conta com uma grand ballroom, em formato open-space, com mais de 2.700 metros quadrados de área.
O The Ritz-Carlton Macau que na sua decoração incorpora aspectos da arquitectura portuguesa visíveis em Macau, como os tradicionais azulejos, é o primeiro hotel da marca que dispõe apenas de suites, e em qualquer uma das 250 suites os hóspedes são recebidos com pastéis de nata, cookies de amêndoa e chocolate e um marcador com detalhes sobre Macau.
Antes do check-in os hóspedes também são convidados a experimentar um pouco da cultura local através de chás e snacks locais.
As unidades de restauração do The Ritz-Carlton Macau, que também contam com a gestão do chef executivo Bruno Correa, incluem o Lai Heen, de gastronomia cantonesa clássica, o The Ritz-Carlton Bar & Lounge para cocktails e chás, o The Ritz-Carlton Café, com um ambiente descontraído e exótico, e o The Ritz-Carlton Pool Bar, com comida orgânica e marisco.
As instalações do hotel ainda incluem o ESPA, um Spa com design inspirado na arquitectura portuguesa com dez salas de tratamento e três suites de casal, uma piscina exterior com vista sobre Cotai, e 900 metros quadrados de área para eventos, que podem ser utilizados com o apoio de uma equipa de organização de eventos.
Para além das actividades possíveis nas duas unidades, a Marriott Internacional destaca alguns pontos de interesse em Macau, como o Parque Seac Pai Va, o Macau Giant Panda Pavilion e o Parque Natural da Taipa Grande, para os amantes da natureza, a Macau Tower Convention & Exhibition Centre e karting em Coloane para actividades de desporto radical e aventura.
O Templo A-MA, as Ruínas de São Paulo e a Praça do Senado, declarados Património Mundial pela UNESCO, para os turistas mais interessados em conhecer a história de Macau, e para os mais boémios, a vida nocturna macaense conta com espectáculos, entretenimento e eventos socias até de madrugada.

Continua:
JW Marriott e Ritz-Carlton Macau em fotos  

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

Um olhar sobre a aviação comercial perante a pandemia de covid-19

20-05-2020 (20h51)

Há pouco mais de três meses muitas das companhias aéreas do mundo debatiam-se com problemas de falta de aviões que assegurassem as suas estratégias de crescimento e melhoria da sua eficiência. Reclamavam e pediam compensações da Boeing, pelo atraso no regresso à operação do B737 Max, bem como da Airbus, pelos sucessivos atrasos na entrega de novas aeronaves. Hoje, entre muitas outras, as dificuldades passam por encontrar lugar para parquear as suas frotas e em determinar quando as irão colocar novamente nos céus. Quase ninguém quer ouvir falar em ter mais aviões.

Nunca acreditaram. Sempre falaram e… nada fizeram!...

19-05-2020 (18h00)

Uns disseram que «não haveria lei dos vouchers», claro que não, pois se «os agentes de viagens não têm voz em Portugal»…

IAG adia mudanças na gestão de topo

16-03-2020 (11h23)

O IAG, segundo maior grupo europeu de aviação, anunciou hoje o adiamento das alterações da sua gestão de topo, nomeadamente a substituição de Willie Walsh como CEO por Luis Gallego, justificando com a pandemia de covid-19 e designadamente a sua evolução em Espanha.

Minor promove Miguel Garcia a director de Operações para hotéis urbanos em Portugal

26-02-2020 (14h57)

A Minor Hotels, proprietária da rede hoteleira Tivoli, promoveu Miguel Garcia para o cargo de director regional de Operações para Urban Hotels Portugal.

Minor contrata ex-director do Bairro Alto Hotel para hotel manager do Tivoli Avenida Liberdade

26-02-2020 (14h55)

A Minor Hotels contratou o ex-director do Bairro Alto Hotel, João Prista von Bonhost, para o cargo de hotel manager do Tivoli Avenida Liberdade.

Opinião e Análise