MSC anuncia nove cruzeiros de e para o Funchal e prevê “aceitação bastante forte” em Portugal

27-09-2013 (15h39)

Entre Novembro de 2013 e Março de 2014

A MSC Cruzeiros Portugal anunciou hoje ao mercado que já tem à venda cruzeiros de e para o Funchal de Novembro a Março, que é um dos períodos de maior actividade no porto madeirense, com o seu director geral, Eduardo Cabrita a prever “aceitação bastante forte” do mercado português, até porque a MSC será “a única companhia a permitir embarques e desembarques no Funchal neste período”.

Os cruzeiros, nove deles de 15 dias, serão efectuados no MSC Armonia, que pode acolher cerca de três mil passageiros e que a empresa descreve como um navio que “espelha o estilo italiano” e que é uma das melhores opções para cruzeiros em família.
Os cruzeiros com partida e chegada ao Funchal, indica uma informação divulgada pela MSC Cruzeiros Portugal, vão ter escalas em Santa Cruz de La Palma, Tenerife, Las Palmas, Agadir, Casablanca, Arrecife de Lanzarote e San Sebastian, com preços a partir de 660 euros por pessoa em cabina com ocupação dupla.
As partidas são a 12 e 26 de Novembro, 10 e 24 de Dezembro, 7 e 21 de Janeiro, 4 e 18 de Fevereiro e 4 de Março.
Além destes cruzeiros, a empresa propõe ainda um mini-cruzeiro  de quatro dias com partida de Las Palmas a 9 de Novembro e destino ao Funchal e um mini-cruzeiro de cinco dias com saída do Funchal a 18 de Março para Las Palmas, referindo que estão previstos voos da SATA no próprio dia do embarque e desembarque com valores a partir de €100 (taxas incluídas – sujeitos a disponibilidade).
“Consideramos ser uma excelente oportunidade para o mercado madeirense, uma vez que é um itinerário diferente dos que já tivemos na ilha, mas também para o mercado continental que pode assim usufruir de um itinerário diferente dos disponíveis com embarque em Lisboa, com preços bastante atractivos juntando apenas o voo de/para o Funchal”, salienta Eduardo Cabrita, citado no comunicado.
Na mesma declaração, o director-geral da MSC Cruzeiros Portugal explica que no seguimento da decisão de alterar a programação do Armonia, retirando-o do Mar Vermelho e colocando-o nas Canárias ( MSC tira Armonia do Mar Vermelho no Inverno e coloca-o em dois itinerários a partir de Las Palmas), a companhia “desenvolveu todos os esforços para levar este produto até ao mercado nacional, permitindo o embarque e desembarque no Funchal”.
A MSC passou a ser, assim, “a única companhia a permitir embarques e desembarques no Funchal” nos meses de Novembro a Março, sublinhou ainda Eduardo Cabrita.
A MSC indicou que na segunda quinzena de Outubro terá nas agências de viagens uma mini-brochura com os cruzeiros do Funchal, a qual já pode ser consultada online (para aceder clique aqui).

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

PressTUR com problemas de ligação

10-05-2021 (11h16)

O website do PressTUR está com problemas técnicos de acesso devido a uma falha na verificação dos nossos dados por parte da empresa Sectigo, que esperamos ver resolvida ao longo desta semana.

SAS anuncia Anko Van der Werff como presidente e CEO

30-04-2021 (16h53)

A companhia aérea SAS, que conta com hubs em Copenhaga, Estocolmo e Oslo, anunciou Anko Van der Werff como presidente e CEO, tomando posse, no máximo, a partir de 15 de Julho.

CWT anuncia nova CEO

29-04-2021 (18h12)

A empresa de gestão de viagens de negócios CWT nomeou Michelle McKinney Frymire, que trabalha com a companhia desde 2019, como chief executive officer (CEO).

Ricardo Nascimento é novo Chief Operating Officer da Savoy Signature

12-04-2021 (14h42)

A Savoy Signature promoveu Ricardo Nascimento para o cargo de Chief Operating Officer, ficando responsável por supervisionar na Comissão Executiva o dia-a-dia das funções operacionais do negócio.

Marriott já tem novo CEO

23-02-2021 (18h10)

A Marriott, maior rede hoteleira do mundo, anunciou a escolha de Anthony Capuano, um veterano com mais de 25 anos na companhia que era presidente para o desenvolvimento global, design e operações, para substituir o falecido Arne Sorenson à frente da gestão executiva.

Opinião e Análise