Porto do Funchal e os cruzeiros são tema do fogo-de-artifício na Madeira

23-12-2013 (12h18)

Em festa desde 1 de Dezembro, a Madeira atinge o ponto alto das comemorações da quadra natalícia com o fogo-de-artifício que celebra a entrada no novo ano, e cujo tema vai estar relacionado com os cruzeiros e o 100º aniversário do Porto do Funchal.

O espectáculo pirotécnico que em 2006 foi reconhecido oficialmente pelo livro de recordes do Guiness, como 'o maior espectáculo de fogo-de-artifício do mundo', começa à meia-noite perante uma plateia de milhares de pessoas, incluindo os turistas de cruzeiros, que 'fazem pontaria' para estarem atracados no porto ou ao largo da ilha, para obterem uma melhor vista.

O ex-libris do cartaz turístico da Região Autónoma para a época terá uma duração de cerca de oito minutos, está distribuído por um total de 35 postos de queima de fogo, 22 deles estão localizados no anfiteatro do Funchal, oito estão na orla marítima e baixa citadina, quatro estão no mar e um na Ilha do Porto Santo.

O tema, diz o site do Turismo da Madeira, está relacionado com navios de cruzeiro, "numa homenagem à celebração do centésimo aniversário do porto do Funchal, pela criação do primeiro organismo para a gestão das infra-estruturas portuárias da Madeira".
Este ano, no dia 31 de Dezembro, o Funchal terá dez navios de cruzeiros atracados, embora dois deles tenham como horário de partida as 23h00, de acordo com os dados publicados pelos Portos da Madeira.

Em terra firme o público em geral distribui-se pelos miradouros do Funchal, pela avenida marginal, no cais e nos hotéis para à meia-noite assistirem ao espectáculo que invade o céu com cor, som e nostalgia.

Além do espectáculo de fogo-de-artifício, o novo ano continua a comemorar-se com animação e festa nos hotéis, bares e festas particulares.
O Funchal começa a despedir-se de 2013 logo a partir das 10h00 e até às 20h00 com actuações de bandas filarmónicas e grupos folclóricos na baixa da cidade, bem com outras animações como coro infantil às 19h00 na placa central frente à Sé e entre as 21h00 e as 04h00 haverá o espectáculo 'Noite de Passagem de Ano' pela orquestra ligeira da Madeira na Praça do Mar.

 

Para aceder à programação do fim-do-ano na Madeira, clique aqui

Réveillon

Madeira

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

Marriott apresenta novo director-geral do Penha Longo Resort

11-08-2020 (13h45)

A Marriott International, maior rede hoteleira do mundo, designou o britânico Oliver Key, “com mais de 25 anos de experiência nalguns dos melhores hotéis no Reino Unido, Estados Unidos da América, Emirados Árabes Unidos e Indonésia”, para dirigir o seu resort 5-estrelas em Portugal, o Penha Longo, da marca Ritz Carlton.

Ávoris promove Johan Tyren para liderar operadores turísticos

23-07-2020 (10h17)

O Grupo Ávoris, que em Portugal tem o operador turístico Jolidey e as agências B the Travel Brand, entre outras marcas, promoveu Johan Tyren para liderar a área de operação turística, após as saídas de Enric Riera, José Segura e Fernando Sánchez Doctor.

Pedro Oliveira nomeado director financeiro do IHG para a Península Ibérica

21-07-2020 (12h51)

Pedro Oliveira, que conta sete anos como funcionário do InterContinental Hotels Group, foi promovido a area director of finance and business support para a região da Península Ibérica.

Um olhar sobre a aviação comercial perante a pandemia de covid-19

20-05-2020 (20h51)

Há pouco mais de três meses muitas das companhias aéreas do mundo debatiam-se com problemas de falta de aviões que assegurassem as suas estratégias de crescimento e melhoria da sua eficiência. Reclamavam e pediam compensações da Boeing, pelo atraso no regresso à operação do B737 Max, bem como da Airbus, pelos sucessivos atrasos na entrega de novas aeronaves. Hoje, entre muitas outras, as dificuldades passam por encontrar lugar para parquear as suas frotas e em determinar quando as irão colocar novamente nos céus. Quase ninguém quer ouvir falar em ter mais aviões.

Nunca acreditaram. Sempre falaram e… nada fizeram!...

19-05-2020 (18h00)

Uns disseram que «não haveria lei dos vouchers», claro que não, pois se «os agentes de viagens não têm voz em Portugal»…

Opinião e Análise