Arquipélago dos Bijagós: Pérolas de preservação cultural e natural na África Ocidental

10-03-2017 (15h37)

O Arquipélago dos Bijagós, principal cartaz turístico da Guiné-Bissau, deslumbra pela grande diversidade de flora e fauna, com destaque para espécies que evoluíram através da adaptação a meios salinos, e oferece a oportunidade de conhecer mais sobre a cultura do povo Bijagó e a sua ligação à Natureza.

O Arquipélago, declarado Reserva da Biosfera pela UNESCO em 16 de Abril de 1996, é constituído por 88 ilhas e ilhéus, 21 das quais habitadas por cerca de 35.000 pessoas.

A sua formação resulta da inundação do delta do Rio Geba que criou essas ilhas, bancos de areia, e mangais, labirintos de água ladeados por vegetação no interior das ilhas, enquanto em terra, a paisagem é de savana, bosques de palmeiras e florestas meio-secas, com variedade e abundância de flora.

A fauna é outro dos grandes destaques do Arquipélago dos Bijagós, que tem na ilha de Orango uma das espécies de animais mais curiosas que passou pelo processo de adaptação ao meio salino para garantir a sua sobrevivência, os hipopótamos de água salgada, enquanto na ilha de Poilão conta com um dos principais pontos de desova da tartaruga-verde de toda a África Ocidental.

Nas ilhas de Orango e Poilão encontram-se, respectivamente, o Parque Nacional de Orango e o Parque Nacional João Vieira Poilão, sendo que o arquipélago conta ainda com a Área Marinha Protegida Comunitária das Ilhas Formosa, Nago e Tchedia.

Esta região também conta com uma das maiores populações de manatins na África Ocidental, diferentes espécies de crocodilos, golfinhos, e uma grande variedade de espécies de aves, entre os quais, flamingos e pelicanos, sendo que centenas de milhares de aves migratórias passam pela região.

As ilhas são habitadas principalmente pelo povo Bijagó (cerca de 90%), que vive em comunidades caracterizadas pela sua dinâmica matriarcal, em pequenas vilas, cuja subsistência é assegurada através da agricultura, pesca e apanha de moluscos, entre outras actividades.

Os Bijagós dedicam cerca de cem dias do ano a rituais e cerimónias tradicionais e religiosas, que em grande parte estão relacionadas com a vida selvagem.

A diversidade étnica nas ilhas, segundo o Instituto da Biodiversidade e das Áreas Protegidas, inclui ainda a presença de Balantas, Papeis, Manjacos e Mandingas, bem como Nhomincas, provenientes do Senegal, e comunidades de naturais da Serra Leoa, Guiné-Conacri e Gana.

A ligação entre Bissau e o Arquipélago dos Bijagós pode ser feita de barco, a partir dos portos de Bubaque e Bolama, ou de avião, numa viagem de cerca de 15 minutos que liga a capital da Guiné-Bissau ao aeroporto de Bubaque.

 

O PressTUR viajou para a Guiné-Bissau a convite da euroAtlantic, no âmbito da primeira famtrip de operadores turísticos portugueses ao país

Ver também:

Turistas portugueses “vão sentir-se em casa” na Guiné Bissau, ministro do Turismo e do Artesanato

Bissau, a porta de entrada para a Guiné, a apenas quatro horas de de Lisboa

Primeiro-ministro da Guiné-Bissau apoia isenção de visto para turistas portugueses

“Ensinem o meu povo que ele precisa, sabendo que isso vos pode ajudar a ganhar dinheiro”, presidente da República da Guiné-Bissau

Ministro do Turismo e do Artesanato divulga condições para o investimento na Guiné-Bissau

Parque Nacional de Orango

Alojamento em Bissau (1)

Alojamento em Bissau (2)

Alojamento na Ilha de Bubaque

Alojamento na Ilha de Rubane


Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

São Tomé e Príncipe registou queda de 69,3% na entrada de turistas em 2020

26-01-2021 (12h40)

A pandemia de covid-19 provocou uma quebra de 69,3% na chegada de turistas a São Tomé e Príncipe no ano de 2020, relativamente a 2019,  com um registo de 10.718 chegadas, na sua maioria de portugueses (51,3%).

HBD reabre Sundy Praia e Roça Sundy na Ilha do Príncipe a 28 de Junho

22-01-2021 (13h24)

A HBD anunciou que vai reabrir os seus hotéis Sundy Praia e Roça Sundy, na Ilha do Príncipe, no dia 28 de Junho, após mais de um ano de encerramento devido à pandemia de covid-19.

Seychelles abre as fronteiras para turistas vacinados contra a covid-19

21-01-2021 (18h27)

As ilhas Seychelles reabriram as suas fronteiras para visitantes que estejam vacinados contra a covid-19 e que apresentem um teste PCR negativo, anunciou o ministro dos Negócios Estrangeiros e do Turismo, Sylvestre Radegonde.

RIU abre resort de mil quartos na Ilha do Sal em Fevereiro, diz Governo

21-01-2021 (18h01)

O vice-primeiro-ministro cabo-verdiano, Olavo Correia, anunciou que o grupo hoteleiro RIU deverá abrir em Fevereiro o resort de 5-estrelas Riu Palace Santa Maria, na Ilha do Sal, com 1.001 quartos e com um investimento superior a 100 milhões de euros.

Decameron abre este ano hotel de 5-estrelas na Ilha do Sal, diz Governo

18-01-2021 (17h18)

O vice-primeiro-ministro cabo-verdiano, Olavo Correio, anunciou que o grupo Decameron planeia abrir ainda este ano um hotel de 5-estrelas na Ilha do Sal, com um investimento de 130 milhões de euros.

Opinião e Análise