euroAtlantic faz três voos entre China e Angola com material sanitário

20-05-2020 (17h04)

Foto: euroAtlantic
Foto: euroAtlantic

A companhia de aviação portuguesa euroAtlantic está a operar o que designa por “ponte aérea” entre a China e Angola, num total de três voos, com material sanitário.

Os voos foram contratados pela angolana BestFly e transportam material sanitário de Wenzhou, na província de Zhejiang, e de Changsha, na província de Hunan.

Os voo realizados pela euroAtlantic com destino a Luanda, capital de Angola, fazem escala em Colombo, no Sri Lanka.

 

Clique para ver mais: Aviação

Clique para ver mais: euroAtlantic

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

TAAG volta a não aceitar kwanzas para pagar viagens iniciadas fora de Angola

22-09-2020 (14h50)

A TAAG - Linhas Aéreas de Angola volta a não aceitar a divisa angolana, o kwanza, para pagamento de bilhetes de viagens que se iniciam fora de Angola.

TAP retoma voos regulares entre Lisboa e Luanda na 2.ª feira

20-09-2020 (16h41)

A TAP anunciou que vai retomar os voos regulares entre Portugal e Angola, a partir de segunda-feira, dia 21, quando no seu website tinha avançado a informação que recomeçaria a 9 de Setembro, mas que decorre da data em que o Governo angolano reabre o espaço aéreo a voos internacionais.

Emirates retoma voos para Angola a 1 de Outubro

18-09-2020 (16h19)

A Emirates anunciou que vai retomar a rota Dubai – Luanda no dia 1 de Outubro, com um voo por semana.

África do Sul autoriza entrada de visitantes a partir de 1 de Outubro

17-09-2020 (13h07)

O presidente da África do Sul disse hoje que o país vai voltar a autorizar as viagens internacionais a partir de 1 de Outubro depois de o número de casos de infecção de covid-19 ter baixado nas últimas semanas.

São Tomé e Príncipe prorroga estado de calamidade até 30 de Setembro

15-09-2020 (15h30)

O Governo de São Tomé e Príncipe prorrogou até 30 de Setembro o estado de calamidade pública que vigora no país, devido ao "alto risco da prorrogação da pandemia de covid-19 que ainda prevalece".

Opinião e Análise