Instituto Tony Blair estima impacto das restrições de viagens na Europa no turismo em África

20-10-2020 (17h52)

Arquipélago dos Bijagós
Arquipélago dos Bijagós

As restrições de viagem de países europeus relacionadas com a pandemia de covid-19 poderão fazer o continente africano perder entre 7,6 e 17,4 milhões de empregos e entre 45 a 102 mil milhões de euros até ao final do ano, segundo um relatório do Instituto Tony Blair.

O relatório estima o impacto económico de restrições impostas aos viajantes internacionais, nomeadamente a quarentena obrigatória de 14 dias na chegada de países considerados de risco, nos sectores do turismo e transporte aéreo africanos até ao final deste ano.

De acordo com o estudo, 51% dos turistas em África chegam da Europa, mas a necessidade de cumprir quarentena no regresso está a reduzir o turismo.

Os autores, Rajkumar Mayank Singh e Jonathan Said, estimam que na, melhor das hipóteses, os países africanos vão perder 7,6 milhões de empregos e 53 mil milhões de dólares (45 mil milhões de euros), mas o pior cenário admite a perda de 17,4 milhões de empregos e 120 mil milhões de dólares (102 mil milhões de euros).

“Dada a dependência da África das viagens intercontinentais, especialmente para o turismo, essas restrições correm o risco de prejudicar a capacidade de o continente recuperar dos efeitos económicos da pandemia”, vinca Said, responsável de estudos sobre Crescimento Inclusivo do Instituto para a Transformação Global, fundado pelo antigo primeiro-ministro britânico.

O relatório urge que governos de países africanos, da UE e do Reino Unido trabalhem “o mais rápido possível” num quadro de regras e medidas que envolvam distanciamento social, teste e rastreamento de contactos em aeroportos e voos para permitir que o fluxo de viagens seja retomado.

Tal como apoio financeiro dado aos países africanos, através de subvenções ou suspensão das dívidas, "reiniciar totalmente as viagens aéreas com nações africanas pode ser igualmente importante”, vincou Said.

(PressTUR com Agência Lusa)

Clique para ver mais: África

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

Privatização da TAAG deverá estar concluída em 2022, ministro

25-11-2020 (16h08)

O ministro dos Transportes de Angola, Ricardo de Abreu, prevê que a privatização da companhia de aviação TAAG esteja concluída em 2022, segundo a Rádio Nacional de Angola.

Cabo Verde fica com mais de uma dezena de imóveis dos antigos TACV

18-11-2020 (17h30)

O Estado de Cabo Verde vai ficar com mais de uma dezena de imóveis que eram propriedade dos TACV, entre terrenos, edifícios e apartamentos, incluindo em Portugal, no âmbito da privatização da companhia áerea.

Aeroportos de Cabo Verde acumulam quebra de 1,5 milhões de passageiros até Outubro

18-11-2020 (17h11)

Os aeroportos de Cabo Verde tiveram nos primeiros dez meses deste ano menos 1,557 milhões de passageiros que no período homólogo do ano passado, segundo os dados oficiais.

Cabo Verde Connect também vai ligar Lisboa ao Sal e a São Vicente

18-11-2020 (14h44)

A Cabo Verde Connect, que fará o seu primeiro voo a 2 de Dezembro entre as capitais portuguesa e cabo-verdiana, tem programado começar ainda este ano a voar entre Lisboa e as ilhas do Sal e de São Vicente, e entre a cidade da Praia e Paris e Boston, via Ponta Delgada.

África ultrapassa 1,9 milhões de infectados com o novo coronavírus

11-11-2020 (12h01)

Os países africanos somaram ontem mais 13.076 pessoas infectadas com o novo coronavírus, elevando o total desde o início da pandemia para 1.904.820, segundo o Centro de Controlo e Prevenção de Doenças da União Africana (África CDC).

Opinião e Análise