Primeiro-ministro da Guiné-Bissau apoia isenção de visto para turistas portugueses

10-03-2017 (15h36)

O primeiro-ministro da Guiné-Bissau, Umaro Sissoco Embaló, em reunião com operadores turísticos portugueses participantes da famtrip ao seu país promovida pela euroAtlantic e com o Ministro do Turismo e do Artesanato, Fernando Vaz, manifestou o seu apoio em relação à isenção de vistos de turismo para portugueses.

O ministro do Turismo e do Artesanato da Guiné-Bissau, Fernando Vaz, vai anunciou então que vai apresentar uma proposta no Conselho de Ministros para a isenção de visto de 15 dias para turistas portugueses, afirmando que "facilita muito o turismo".

"É uma boa proposta, é uma forma de incentivar e motivar as pessoas para virem à Guiné", declarou nessa reunião o primeiro-ministro Umaro Embaló, enfatizando assim o seu apoio à proposta apresentada por Fernando Vaz. "Estou plenamente de acordo contigo e posso dizer que já tens o meu apoio", declarou.

No que diz respeito à relação com Portugal, o PM guineense afirmou que a "Guiné-Bissau e Portugal têm um laço que nos une, que é muito secular, que ultrapassa a relação entre as pessoas".

José Caetano Pestana, director de relações externas da euroAtlantic, aproveitou a ocasião para fazer dois pedidos ao governo da Guiné-Bissau, o primeiro é que "incentive os investidores portugueses a olharem para a Guiné-Bissau" e o segundo relaciona-se com a certificação do Aeroporto Internacional da Guiné-Bissau, com infra-estruturas de alfândega, para a exportação de carga.

"Nós não queremos só levar o bronzeado da Guiné-Bissau, o calor e o carinho. Queremos que amanhã os super-mercados portugueses tenham manga avião da Guiné-Bissau, queremos que os restaurantes de Lisboa possam ter na ementa camarões da Guiné-Bissau e peixe fresco da Guiné-Bissau", afirmou.

 

O PressTUR viajou para a Guiné-Bissau a convite da euroAtlantic, no âmbito da primeira famtrip de operadores turísticos portugueses ao país


Ver também:

Turistas portugueses “vão sentir-se em casa” na Guiné Bissau, ministro do Turismo e do Artesanato

Bissau, a porta de entrada para a Guiné, a apenas quatro horas de de Lisboa

Arquipélago dos Bijagós: Pérolas de preservação cultural e natural na África Ocidental

“Ensinem o meu povo que ele precisa, sabendo que isso vos pode ajudar a ganhar dinheiro”, presidente da República da Guiné-Bissau

Ministro do Turismo e do Artesanato divulga condições para o investimento na Guiné-Bissau

Parque Nacional de Orango

Alojamento em Bissau (1)

Alojamento em Bissau (2)

Alojamento na Ilha de Bubaque

Alojamento na Ilha de Rubane


Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

Cabo Verde perde 536 mil turistas e pode recuar a níveis de 2009

01-07-2020 (12h57)

A procura turística em Cabo Verde deve recuar este ano a níveis de 2009, devido à pandemia de covid-19, com uma perda de 536 mil turistas face à previsão inicial do Governo, que apontava para um crescimento de 6,6% relativamente aos 819 mil turistas recebidos em 2019, ano no qual foi registado um máximo histórico de receitas turísticas de 389 milhões de euros, que em 2020 deve cair para 136 milhões de euros.

STP Airways retoma voos directos Lisboa - São Tomé esta sexta-feira

29-06-2020 (18h48)

A STP Airways vai retomar as ligações directas entre Lisboa e São Tomé esta sexta-feira, dia 3 de Julho, em voos operados pela euroAtlantic airways.

Sonhando anuncia ofertas para férias em São Tomé este Verão

25-06-2020 (10h47)

O operador turístico Sonhando anunciou ao mercado propostas para férias em São Tomé este Verão, desde 758 euros por pessoa em quarto duplo, com voos e sete noites de alojamento.

Número de mortos por covid-19 em África sobe para 8.856 em mais de 336 mil casos

25-06-2020 (10h03)

O número de mortos em África devido à covid-19 subiu para 8.856, mais 238 nas últimas 24 horas, em cerca de 336 mil casos, segundo os dados mais recentes sobre a pandemia no continente.

Cabo Verde adia retoma dos voos internacionais para Agosto – Governo

24-06-2020 (13h35)

O Governo cabo-verdiano decidiu adiar de Julho para Agosto a retoma dos voos internacionais de/para o arquipélago, alegando o recrudescimento de casos de covid-19 na Europa, nomeadamente em Portugal, que no entanto foi apenas o 4º maior emissor para o país em 2019.

Opinião e Análise