São Tomé e Príncipe prorroga estado de calamidade até 30 de Setembro

15-09-2020 (15h30)

O Governo de São Tomé e Príncipe prorrogou até 30 de Setembro o estado de calamidade pública que vigora no país, devido ao "alto risco da prorrogação da pandemia de covid-19 que ainda prevalece".

"Constatando que a situação da pandemia no país não se encontra ainda totalmente controlada, pese embora a declaração da Organização Mundial da Saúde (OMS) que atesta que São Tomé e Príncipe já ultrapassou a fase aguda (…) é prorrogada a situação de calamidade pública em todo o território nacional até o dia 30 de Setembro de 2020", anunciou o Governo em comunicado.

O executivo lembra que o espaço aéreo do país "está totalmente aberto desde o dia 15 de Julho", mas lamentou que "se tem verificado o aumento de casos positivos de covid-19 nos principais mercados emissores de turismo e de residência das maiores comunidades são-tomenses no estrangeiro".

O início do ano lectivo "que tem implicado a movimentação diária de milhares de crianças e jovens" foi também usado como justificação para o Governo prorrogar o estado de calamidade pública.

"Durante a vigência da situação de calamidade, todas as ações de base sanitária, social, financeira e económica serão coordenadas pelo Comité de Crise do Governo", criado em fevereiro, e presídio pelo primeiro-ministro, Jorge Bom Jesus, lê-se no comunicado do conselho de ministros.

De acordo com o executivo, "as novas medidas de prevenção e controlo para evitar a propagação da doença serão regulamentadas por decretos".

De acordo com o Ministério da Saúde, nas últimas 48 horas São Tomé e Príncipe não registou qualquer caso positivo do novo coronavírus, em 82 testes realizados, mantendo-se as infeções acumuladas em 906.

Os doentes recuperados são agora 870, mas dois pacientes continuam internados no hospital de campanha instalado no centro de estágio da Federação São-tomense de Futebol (FSF), no centro da cidade de São Tomé.

Pelo menos 19 pessoas continuam em isolamento domiciliar com casos positivos de covid-19.

(PressTUR com Agência Lusa)

 

Clique para ver mais: África

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

Viajantes para províncias angolanas obrigados a ficar em Luanda pelo menos oito dias

01-10-2020 (16h52)

Os passageiros cujo destino em Angola não seja Luanda são obrigados a cumprir uma quarentena de 8 a 14 dias na capital, em local autorizado pelas autoridades sanitárias, antes de poderem viajar para outras províncias.

South African Airways suspende todas as operações por dificuldades financeiras

30-09-2020 (14h40)

A companhia de aviação sul-africana South African Airways suspendeu todas as suas operações depois de ter falhado o plano de salvamento que envolvia um financiamento de 10 mil milhões de rands (507 milhões de euros).

TAAG volta a não aceitar kwanzas para pagar viagens iniciadas fora de Angola

22-09-2020 (14h50)

A TAAG - Linhas Aéreas de Angola volta a não aceitar a divisa angolana, o kwanza, para pagamento de bilhetes de viagens que se iniciam fora de Angola.

TAP retoma voos regulares entre Lisboa e Luanda na 2.ª feira

20-09-2020 (16h41)

A TAP anunciou que vai retomar os voos regulares entre Portugal e Angola, a partir de segunda-feira, dia 21, quando no seu website tinha avançado a informação que recomeçaria a 9 de Setembro, mas que decorre da data em que o Governo angolano reabre o espaço aéreo a voos internacionais.

Emirates retoma voos para Angola a 1 de Outubro

18-09-2020 (16h19)

A Emirates anunciou que vai retomar a rota Dubai – Luanda no dia 1 de Outubro, com um voo por semana.

Opinião e Análise