Viajantes para São Tomé devem ter teste de covid-19 negativo feito 72 horas antes da partida

17-06-2020 (11h22)

Os passageiros que viajem de avião para São Tomé e Príncipe devem ter testes negativos de covid-19 realizados até 72 horas antes da partida, anunciou o Instituto da Aviação Civil (IAC) são-tomense.

Os viajantes passam a ser obrigados a apresentar um atestado que comprove que não contraíram infeção pelo novo coronavírus, segundo um comunicado divulgado pelo IAC.

São Tomé e Príncipe passou ontem para situação de calamidade pública, após 90 dias em estado de emergência, prevendo três fases de alívio das medidas de contenção para prevenir a propagação da covid-19 no arquipélago.

Na primeira fase, até dia 30 deste mês, será reaberto o espaço aéreo apenas para voos comerciais excepcionais de repatriamento, exclusivo para passageiros nacionais ou cidadãos estrangeiros residentes em São Tomé e Príncipe.

O director da Empresa Nacional de Segurança e Navegação Aérea (ENASA) disse à Lusa que no final desta semana será realizado um voo da STP Airways, entre Lisboa e São Tomé, transportando "materiais e passageiros".

"Será um voo meio humanitário e meio comercial que vai transportar sobretudo os passageiros prioritários com problemas de saúde", disse Gaudêncio Costa.

Num comunicado publicado na sua página na rede social Facebook, a embaixada de São Tomé e Príncipe em Lisboa refere que os passageiros que embarquem neste voo poderão realizar o teste à covid-19 no Centro de Medicina Laboratorial Germano de Sousa, em Lisboa, com o qual as autoridades são-tomenses celebraram "um acordo de colaboração". O custo do teste é de 87,95 euros.

Segundo a embaixada, o voo parte de Lisboa às 00h00 de sexta-feira, dia 19, e regressa de São Tomé no dia seguinte, prevendo-se a chegada a Portugal às 14h05.

Na segunda fase do desconfinamento, entre 1 e 15 de Julho, será reaberto o espaço aéreo e autorizados voos comerciais provenientes dos países da Comunidade de Países de Língua Portuguesa (CPLP), respeitando as regras gerais e os regulamentos internacionais.

Na terceira fase deste processo, entre 16 e 31 de Julho, o Governo estabelece o retorno às ligações aéreas entre as duas ilhas - de São Tomé e do Príncipe - e do transporte dos passageiros por barco e alargará a autorização dos voos comerciais provenientes de todos os países.

O país regista até ao momento 671 casos e 12 mortos devido à covid-19.

(PressTUR com Agência Lusa)

 

Clique para ver mais: São Tomé e Príncipe

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

Situação pandémica melhora na Tunísia e OMS pede para acelerar vacinação

03-08-2021 (15h07)

A situação pandémica está a melhorar ligeiramente na Tunísia, anunciou a Organização Mundial da Saúde (OMS), pedindo àquele país do norte de África que “acelere” a campanha de vacinação, após o pico de infecções por covid-19 ter passado.

Cabo Verde aprovou três hotéis avaliados em mais de 400M euros no final de Julho

03-08-2021 (14h52)

O Governo cabo-verdiano aprovou na última semana de Julho convenções de estabelecimento para a construção de três empreendimentos turísticos no arquipélago, ultrapassando 400 milhões de euros de investimento privado.

Governo cabo-verdiano acusa administração islandesa da TACV de irregularidades

02-08-2021 (14h01)

O Governo cabo-verdiano revelou que a administração islandesa da TACV, entretanto renacionalizada, ameaçou imobilizar em Portugal a aeronave com que pretendia retomar os voos internacionais e iniciou um processo disciplinar à vice-presidente nomeada pelo Estado.

Investidores islandeses vão recorrer da renacionalização dos TACV

29-07-2021 (16h03)

A Loftleidir Cabo Verde, de investidores islandeses, anunciou hoje que pretende reverter a renacionalização da companhia Transportes Aéreos de Cabo Verde (TACV), feita este mês pelo Governo, e ser “ressarcida pelos prejuízos causados” pela decisão.

Cabo Verde aprova projecto para um ‘hotel design’ de 5-estrelas na Ilha do Sal

28-07-2021 (16h16)

O Governo de Cabo Verde aprovou o projecto da sociedade Flor de Sal para construir um hotel de 5-estrelas com 137 quartos em Santa Maria, na Ilha do Sal, com um investimento de 38 milhões de euros.

Opinião e Análise