Alojamento turístico português voltou a ter mais de um milhão de hóspedes, com aumento de portugueses

15-09-2020 (15h54)

O alojamento turístico português acolheu em Julho, pela primeira vez desde Fevereiro, mais de um milhão de hóspedes, graças a um aumento em 25,8% dos residentes em Portugal, que assim perfizeram 71,1% do total, quando há um ano tinham representado 20,3%.

Os dados publicados hoje pelo INE confirmam não só a percepção da ‘fuga’ para destinos menos procurados como também a opção por destinos de proximidade, nomeadamente domésticos.

Em Julho, tradicionalmente um dos meses em que o alojamento turístico português recebe mais turistas estrangeiros, este ano chegaram menos quase 1,5 milhões, tendo uma quebra em 83,4%, para escassos 296 mil, com quebras acima da centena de milhares por parte dos residentes no Reino Unido (menos 212,3 mil), Espanha (menos 187,4 mil), Estados Unidos (menos 132,8 mil), Brasil (menos 128,7 mil), França (menos 113,4 mil) e Alemanha (menos 100,7 mil).

Mas não houve um único dos 16 maiores emissores para Portugal que em Julho não tivesse uma grande quebra de hóspedes no alojamento turístico português, em oito deles acima de 90%: Reino Unido, com -91%, Brasil, com -91,8%, Estados Unidos, com -95,9%, Irlanda, com -92,5%, Canadá, com -95,4%, Polónia, com -90,9%, China, com -96,4%, e Dinamarca, com -91,9%, a que se junta o conjunto de mercados não especificados, com uma queda média em 91,1%.

Dos restantes principais emissores, as quebras foram superiores a 69%, que foi a quebra de turistas residentes na Suíça.

Em dormidas, os dados do INE indicam que as quebras foram até mais violentas, pela quebra da estada média dos turistas, que baixou 11,3% em Julho.

Assim, o alojamento turístico português sofreu em Julho uma quebra de 5,6 milhões de dormidas (-68,1%, para 2,62 milhões), com menos 4,83 milhões de pernoitas de residentes no estrangeiro (-84,5%, para 889,1 mil) e menos 772,2 mil de residentes em Portugal (-30,8%, para 1,73 milhões).

Os mercados internacionais com as quebras mais fortes foram Reino Unido (-92,9%), Brasil (-91,1%), Estados Unidos (-95,6%), Irlanda (-93,2%), Canadá (-96%), Polónia (-93,1%), China (-96%) e Dinamarca (-94,5), a que acresce o conjunto de emissores não especificados, cuja quebra média foi de 91,1%.

Com quebras inferiores a 90%, mas ainda superiores ao decréscimo médio (-84,5%) estiveram apenas as dormidas de residentes na Suécia (-85,9%).

As quebras menos fortes foram nas dormidas de residentes na Suíça, com -67,6%, na Bélgica, com -71,9%, em Espanha, com -72,1%, em França, com -74,4%, nos Países Baixos, com -74,7%, e na Alemanha, com -75%.

Para ler mais clique:



 

Clique para mais notícias: Alojamento turístico português

Clique para mais notícias: Hotelaria

Clique para mais notícias: Portugal

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

Governo lança programa de incentivo ao turismo interno com 50 milhões de euros

29-09-2020 (13h50)

O Governo criou um programa para estimular o turismo interno com uma dotação de 50 milhões de euros, que se materializa na comparticipação de descontos em alojamento e actividades turísticas, disponíveis no portal Visita Portugal.

Hangar de manutenção em Beja começa a funcionar faseadamente em Outubro

29-09-2020 (13h04)

O hangar da empresa Mesa para manutenção de aviões no aeroporto de Beja vai começar a funcionar em Outubro, após um investimento de 30 milhões de euros, revelou à agência Lusa o presidente do grupo proprietário.

Governo vai abrir concursos para explorar estações ferroviárias desactivadas para fins turísticos

29-09-2020 (12h24)

O Governo anunciou hoje que vai abrir concursos para a recuperação e exploração para fins turísticos de estações ferroviárias desactivadas, uma nova vertente do Programa Revive Natureza que designou “Revive Ferrovia”.

V Cimeira CTP: Marcelo Rebelo de Sousa pede aos portugueses que continuem a fazer turismo em Portugal

29-09-2020 (11h56)

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, pediu hoje aos portugueses que continuem a fazer turismo em Portugal até ao fim do próximo Verão, para ajudar esse sector e também a restauração e o comércio.

Meliá sinaliza confiança na China com novo hotel em Chengdu

29-09-2020 (11h32)

A Meliá Hotels International inaugurou um hotel da sua marca Gran Meliá em Chengdu, na China, país que considera pioneiro na recuperação da crise provocada pela pandemia da covid-19.

Ultimas Noticias

Opinião e Análise