Hong Kong proíbe entrada de não residentes a partir de dia 25

23-03-2020 (14h45)

Foto: Unsplash / Dan Freeman
Foto: Unsplash / Dan Freeman

Hong Kong vai proibir a entrada a todos os não residentes, a partir de quarta-feira e durante 15 dias, afirmou a chefe do Executivo local, como parte das medidas para tentar conter a propagação do novo coronavírus.

Carrie Lam ordenou ainda que todos os restaurantes e bares parem de servir álcool.

O número de pessoas infetadas em Hong Kong duplicou, nas últimas duas semanas, e atingiu os 318 casos, sobretudo após o retorno de pessoas da Europa e da América do Norte, onde o surto assumiu maior proporção nas últimas semanas.

Até à data, e apesar da proximidade com a China continental, o "centro" financeiro internacional tinha conseguido evitar o surto do novo coronavírus, em particular graças às precauções tomadas pela população local, como o uso de máscara, lavar as mãos e manter a distância social.

"A partir da meia-noite de 25 de março, todos os não residentes de Hong Kong que chegarem de avião do exterior não poderão entrar na cidade", disse Carrie Lam.

A medida vigorará durante duas semanas, podendo ser prolongada no final desse período.

O trânsito de passageiros pelo aeroporto da cidade - a oitava mais movimentada do mundo - também será interdita, acrescentou.

O Governo de Macau anunciou, na semana passada, uma medida idêntica, com excepção para trabalhadores não residentes que residam na China continental, Hong Kong e Taiwan, o que afecta parte da comunidade portuguesa.

Em Hong Kong o Executivo ditou ainda que cerca de 8.600 restaurantes e bares licenciados permanecerão abertos, mas não poderão mais servir bebidas alcoólicas.

As autoridades de saúde estavam preocupadas com o agrupamento de pessoas em alguns dos bairros movimentados da cidade.

Na semana passada, uma série de contaminações foi registada entre as pessoas que se encontravam no distrito de Lan Kwai Fong, conhecido pela vida nocturna.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da covid-19, já infetou mais de 324 mil pessoas em todo o mundo, entre as quais mais de 14.300 morreram.

Depois de surgir na China, em Dezembro passado, o surto espalhou-se por todo o mundo, o que levou a Organização Mundial da Saúde (OMS) a declarar uma situação de pandemia.

(PressTUR com Agência Lusa)

Clique para ver mais: Ásia & Pacífico

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

Finnair relata quebra de tráfego em 96% em Junho, com Ásia a zeros

08-07-2020 (16h55)

Sem tráfego de/para a Ásia, sua principal aposta, a companhia de aviação finlandesa Finnair indicou ter duplicado em Junho o número de passageiros transportados em Maio, mas ficar ainda assim 96% abaixo do mês homólogo de 2019.

Seicheles reabrem fronteiras, mas barram entrada a visitantes de Portugal

06-07-2020 (16h45)

As Seicheles começaram a reabrir as fronteiras aos turistas estrangeiros, mas os viajantes procedentes de Portugal estão impedidos de entrar.

Casinos de Macau caíram em Junho para novo mínimo mensal de receitas de jogo

01-07-2020 (12h46)

Os Casinos de Macau, que formam o maior destino mundial de jogo, atingiram em Junho um novo mínimo mensal de receitas de jogo, com apenas 716 milhões de patacas (cerca de 79,8 milhões de euros ao câmbio de hoje), menos 38 milhões do que o mínimo fixado em Abril.

Companhia aérea australiana Qantas suprime 6.000 postos de trabalho

25-06-2020 (08h50)

A companhia aérea australiana Qantas anunciou que vai suprimir cerca de 6.000 postos de trabalho, uma das medidas do plano de reestruturação para ultrapassar a crise provocada pela pandemia de covid-19.

Maldivas reabrem ao turismo a partir de 15 de Julho

24-06-2020 (11h36)

As Maldivas vão reabrir ao turismo a partir de 15 de Julho, depois de vários meses com os hotéis encerrados devido à pandemia de covid-19.

Opinião e Análise