Hong Kong proíbe entrada de não residentes a partir de dia 25

23-03-2020 (14h45)

Foto: Unsplash / Dan Freeman
Foto: Unsplash / Dan Freeman

Hong Kong vai proibir a entrada a todos os não residentes, a partir de quarta-feira e durante 15 dias, afirmou a chefe do Executivo local, como parte das medidas para tentar conter a propagação do novo coronavírus.

Carrie Lam ordenou ainda que todos os restaurantes e bares parem de servir álcool.

O número de pessoas infetadas em Hong Kong duplicou, nas últimas duas semanas, e atingiu os 318 casos, sobretudo após o retorno de pessoas da Europa e da América do Norte, onde o surto assumiu maior proporção nas últimas semanas.

Até à data, e apesar da proximidade com a China continental, o "centro" financeiro internacional tinha conseguido evitar o surto do novo coronavírus, em particular graças às precauções tomadas pela população local, como o uso de máscara, lavar as mãos e manter a distância social.

"A partir da meia-noite de 25 de março, todos os não residentes de Hong Kong que chegarem de avião do exterior não poderão entrar na cidade", disse Carrie Lam.

A medida vigorará durante duas semanas, podendo ser prolongada no final desse período.

O trânsito de passageiros pelo aeroporto da cidade - a oitava mais movimentada do mundo - também será interdita, acrescentou.

O Governo de Macau anunciou, na semana passada, uma medida idêntica, com excepção para trabalhadores não residentes que residam na China continental, Hong Kong e Taiwan, o que afecta parte da comunidade portuguesa.

Em Hong Kong o Executivo ditou ainda que cerca de 8.600 restaurantes e bares licenciados permanecerão abertos, mas não poderão mais servir bebidas alcoólicas.

As autoridades de saúde estavam preocupadas com o agrupamento de pessoas em alguns dos bairros movimentados da cidade.

Na semana passada, uma série de contaminações foi registada entre as pessoas que se encontravam no distrito de Lan Kwai Fong, conhecido pela vida nocturna.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da covid-19, já infetou mais de 324 mil pessoas em todo o mundo, entre as quais mais de 14.300 morreram.

Depois de surgir na China, em Dezembro passado, o surto espalhou-se por todo o mundo, o que levou a Organização Mundial da Saúde (OMS) a declarar uma situação de pandemia.

(PressTUR com Agência Lusa)

Clique para ver mais: Ásia & Pacífico

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

Macau anuncia voos para permitir a alunos universitários regressarem à Europa

07-08-2020 (13h31)

As autoridades de Macau anunciaram hoje a realização de cinco voos para a Europa a partir do aeroporto do território, para permitir o regresso dos estudantes inscritos em universidades no estrangeiro no próximo ano lectivo, incluindo portugueses.

Emirates vai retomar voo em A380 para Guangzhou a partir de Sábado

05-08-2020 (18h39)

A Emirates, uma das maiores transportadoras aéreas do Médio Oriente, com base no Dubai, anunciou a retoma de voos em aeronave A380 para Guangzhou, na China, a partir de Sábado.

Virgin Australia encerra filial lowcost e corta 3.000 postos de trabalho

05-08-2020 (17h49)

A companhia aérea Virgin Australia anunciou hoje que vai fechar a sua filial Tigerair Australia e suprimir 3.000 postos de trabalho, devido à crise de Covid-19 que afectou drasticamente as empresas de aviação.

Ocupação hoteleira em Macau cai 77,6 pontos percentuais em Junho

29-07-2020 (17h27)

A ocupação hoteleira em Macau foi de 12,3% em Junho e 27,2% no primeiro semestre, menos 77,6 e 63,9 pontos percentuais, respectivamente, comparando com os períodos homólogos de 2019, informaram hoje as autoridades.

Emirates retoma voos para as Seychelles

27-07-2020 (13h06)

A companhia aérea Emirates vai retomar os seus voos para as ilhas Seychelles a partir de 1 de Agosto, data na qual o destino vai voltar a receber turistas.

Opinião e Análise