Macau desiste de avançar com taxa turística

07-05-2020 (10h08)

Macau descartou a possibilidade de avançar com a cobrança de uma taxa turística no território, algo que estava a ser analisado desde o início do ano passado, anunciaram hoje as autoridades.

“Tendo em conta os objectivos do desenvolvimento sustentável da indústria turística de Macau, o estudo concluiu que controlar o crescimento do número de visitantes através da cobrança de uma taxa turística não é a medida mais adequada e eficaz para Macau”, informou em comunicado a Direcção dos Serviços de Turismo (DST).

As autoridades justificaram a decisão por a indústria turística ser “suscetível de ser afectada por factores externos” e “a primeira a ser atingida”, afectando múltiplos sectores, em especial em territórios muito dependentes do turismo, como é o caso de Macau, que no ano passado recebeu quase 40 milhões de visitantes, a esmagadora maioria da China Continental.

Os protestos pró-democracia em Hong Kong desde Junho de 2019 e a pandemia da covid-19 revelaram isso mesmo, segundo a DST de Macau.

Os confrontos em Hong Kong levaram a que “de um aumento mensal de dois dígitos durante os primeiros sete meses de 2019”, o número de visitantes começasse “progressivamente a descer, registando um decréscimo na ordem dos dois dígitos no final de 2019”.

Já este ano, com a covid-19, “o número de visitantes diminuiu de um total de 2,85 milhões em Janeiro, para 210 mil em Março, registando uma descida superior a 90%”, de acordo com a mesma nota.

Ou seja, “com base nos resultados do estudo, mediante uma análise global das características e das mudanças na atual conjuntura da indústria turística de Macau, o Governo da RAEM [Região Administrativa Especial de Macau] decidiu dar por finda a consideração da cobrança de uma taxa turística”.

As conclusões do estudo divulgadas em Janeiro, de resto, já mostravam “divergências nas opiniões”, indicaram as autoridades.

Se a esmagadora maioria dos residentes era a favor da implementação de uma taxa turística em Macau, 80% dos operadores do sector manifestaram oposição.

O estudo de viabilidade de Macau passar a cobrar a taxa turística “mostrou divergências” após a DST ter recolhido um total de 14.900 questionários.

Por outro lado, pouco mais de metade dos visitantes inquiridos afirmaram que se uma taxa turística fosse implementada em Macau tal afectaria a vontade de visitar o território.

Uma das conclusões do estudo apontou que “a cobrança de uma taxa turística reduz a vontade dos visitantes em visitar Macau, o que não favorece a integração de Macau no desenvolvimento da Grande Baía” Guangdong-Hong Kong-Macau.

Um dado importante, já que se trata de um projecto de Pequim de desenvolver uma metrópole mundial, juntando Macau, Hong Kong e nove cidades da província chinesa de Guangdong, uma prioridade para o antigo território administrado por Portugal.

No mesmo estudo referia-se que as razões de cobrança de uma taxa turística variam nos territórios que adoptaram a medida, mas que “não há casos em que o controlo do fluxo de visitantes seja a finalidade”.

Finalmente, “na análise dos casos estudados, verificou-se que apenas na fase inicial da cobrança de uma taxa turística há um ligeiro abrandamento do crescimento do número de visitantes”, concluía o estudo.

Em Março de 2019, em entrevista à Lusa, a directora dos Serviços de Turismo, Helena de Senna Fernandes, disse que estava a ser feito um estudo para a possível aplicação de uma taxa turística no território, como acontece atualmente em Veneza (Itália) e no Japão.

Macau, um território de cerca de 30 quilómetros quadrados, registou em 2018 mais de 35 milhões de turistas e quase 40 no ano seguinte.

(PressTUR com Agência Lusa)

 

Clique para ver mais: Macau

Clique para ver mais: Ásia&Pacífico

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

Macau vence quatro prémios da Associação de Turismo da Ásia Pacífico

24-09-2020 (17h47)

O Governo de Macau venceu quatro dos Gold Awards da Associação de Turismo da Ásia Pacífico, um recorde para o território, por iniciativas em diferentes áreas da atividade turística.

Chegadas da China proporcionam ligeira recuperação do turismo em Macau

21-09-2020 (13h01)

A atenuação da quebra da chegada de residentes na China, designadamente de visitantes oriundos das nove cidades do Delta do Rio das Pérolas da Grande Baía, permitiu a Macau alcançar em Agosto um aumento de visitantes em 206,9%, ficando, no entanto, ainda 93,7% abaixo do mês homólogo de 2019.

Voo da euroAtlantic para Timor já prepara regresso a Portugal

21-09-2020 (12h26)

O Boeing B767ER da euroAtlantic que ontem saiu de Lisboa para Timor, com 191 passageiros, já está a preparar o regresso a Portugal, onde está previsto que aterre na noite de amanhã, terça-feira.

Número de visitantes cresce em Macau mas ainda está longe dos valores habituais

21-09-2020 (10h56)

O número de visitantes em Macau em Agosto foi de 227.113, mais 206,9% em relação ao mês anterior, devido ao início da emissão de vistos da China continental, mas ainda muito longe dos números habituais no território.

Voo da euroAtlantic para Timor já iniciou última etapa

20-09-2020 (16h19)

O voo da euroAtlantic para Timor, que além de portugueses transporta também passageiros oriundos de Cuba, Brasil e Reino Unido, já está a efectuar a última etapa, entre o Dubai, onde aterrou às 5h17 locais procedente de Lisboa, e Dili.

Opinião e Análise