Azul sofre revés na disputa da hegemonia da GOL e LATAM na ‘ponte aérea’ São Paulo - Rio de Janeiro

11-07-2019 (14h24)

GOL e LATAM, as duas maiores companhias de aviação brasileiras ganharam em leilão os slots da falida Avianca Brasil, da família Efromovich, que interessavam também à ‘irmã brasileira da TAP, a Azul de David Neeleman, que os via como um activo para disputar a hegemonia das outras duas, nomeadamente na ‘ponte aérea’ São Paulo - Rio de Janeiro, que já foi uma das rotas mais voadas em todo o mundo.

Segundo informação divulgada hoje, a Gol adquiriu 83 slots nos aeroportos de Congonhas e Guarulhos, em São Paulo, e Santos Dumont, no Rio de Janeiro, por 77,31 milhões de dólares (68,63 milhões de euros).

A LATAM, por sua vez, comprou, por cerca de 70 milhões de dólares (62 milhões de euros), 67 slots nesses três aeroportos.

A Azul, uma das três principais companhias aéreas brasileiras, apesar de registada para o leilão dos activos da Avianca Brasil, optou por não enviar nenhum representante à licitação por não “acreditar na legitimidade do processo”, segundo declarou em comunicado.

O leilão da Avianca Brasil ocorreu após uma intensa actividade judicial, já que as suas dívidas milionárias levaram a diversas acções em tribunais, o que acabou por suspender a oferta em várias ocasiões, devido a recursos interpostos por alguns dos credores.

Especialistas acreditam que a concentração no sector aéreo possa causar um aumento nos preços dos bilhetes devido à falta de concorrência.

Nesse sentido, o Conselho Administrativo de Defesa Económica (Cade), órgão que monitoriza e previne os monopólios, alertou em Abril passado para os riscos existentes na venda dos activos da Avianca, no que à concorrência leal no mercado de transportes aéreos diz respeito.

Um estudo do Cade concluiu que a aviação brasileira conta com uma “alta concentração do sector” e “já apresenta características suficientes para despertar preocupações”.

O resultado do leilão de activos e slots da Avianca está ainda rodeado de incertezas, dependendo ainda de questões judiciais, e poderá ser contestado por companhias aéreas e agências reguladoras, entre outros interessados, porque, segundo a resolução 487 da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), publicada em Agosto do ano passado, os slots “não integram o património da empresa de transporte aéreo ou do operador aéreo” e, portanto, é “vedada a sua comercialização ou cessão, gratuita ou onerosa”.

(PressTUR com Agência Lusa)

 

Clique para mais notícias: Aviação

Clique para mais notícias: Brasil

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

Air Europa retoma a 15 de Julho ligações com Lisboa, Porto e 15 destinos intercontinentais

02-06-2020 (17h31)

A Air Europa vai retomar as ligações com Lisboa e Porto, com voos diários de Madrid, no dia 15 de Julho, o mesmo dia em que tem programado voltar a operar 15 rotas intercontinentais a partir da capital espanhola.

Abril foi pior mês de sempre para as agência corporate brasileiras, ABRACORP

02-06-2020 (15h46)

As agências corporate brasileiras tiveram em Abril uma “queda sem precedentes” da sua actividade, informou ontem a sua associação, a ABRACORP, que enfatiza que se tratou de uma queda que “supera até mesmo os dados das semanas que sucederam ao fatídico atentado às torres gémeas, em 2001, nos EUA”.

Brasil somou mais de mil mortos e 20 mil infectados com o novo coronavírus em 24 horas

28-05-2020 (14h49)

O Brasil registou 1.086 mortes e 20.599 infectados pelo novo coronavírus nas últimas 24 horas, estando ainda a ser investigada a eventual relação de 4.108 óbitos com a covid-19, informou hoje o executivo.

LATAM Brasil programa retomar voos para Lisboa a 17 de Julho

26-05-2020 (10h44)

A LATAM Brasil (antiga TAM), maior companhia de aviação brasileira em voos internacionais e que começou a voar entre o seu hub em São Paulo Guarulhos e Lisboa a 3 de Setembro de 2019, tem programado retomar esta rota a partir de 17 de Julho.

Trump proíbe entrada nos EUA de estrangeiros que tenham estado no Brasil

25-05-2020 (11h00)

O Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, decretou a proibição de entrada no país de todos os estrangeiros que tenham estado no Brasil nos 14 dias anteriores à tentativa de entrada.

Opinião e Análise