Brasil foi o destino com a maior queda de gastos turísticos dos portugueses em 2018

21-02-2019 (16h37)

O Brasil, que enfrentou vários desafios em 2018, nomeadamente uma sucessão presidencial turbulenta, foi o país que teve a maior quebra de gastos turísticos dos portugueses, entre 61 com dados publicados pelo Banco de Portugal, mas conseguiu ainda assim manter-se no Top10 dos destinos.

Os dados consultados pelo PressTUR mostram que o Brasil, que em 2014 ainda tinha sido o 6º país com maior montante de gastos dos portugueses em turismo contabilizados pelo Banco de Portugal, com 124,57 milhões de euros, caiu no ano passado para 10º, com 92,82 milhões, menos 23,98 milhões (-20,5%) que em 2017.

Depois do Brasil, a segunda maior queda do ano ocorreu com a Irlanda, com menos 6,55 milhões de euros (-11,3%, para 51,17 milhões), e seguiram-se Angola, com menos 5,3 milhões (-12,5%, para 37,2 milhões), Canadá, com menos 1,88 milhões (-6,2%, para 28,33 milhões), Moçambique, com menos 1,22 milhões (-6,2%, para 18,53 milhões), e Colômbia, com menos 1,11 milhões (-15,5%, para 6,04 milhões).

Os dados recolhidos pelo PressTUR mostram que no ano passado apenas tiveram queda de gastos turísticos dos portugueses 16 de 61 destinos com dados publicados pelo Banco de Portugal e que apenas em seis essas quedas foram superiores a um milhão de euros.

Quanto aos aumentos, os destinos com maiores aumentos relativos, uma medida que ‘favorece’ os que têm menores valores absolutos, pois pequenos aumentos levam a grande variações, a Nigéria liderou, com um aumento em 169,2%, para 0,7 milhões de euros, que a posicionou como 61º destino.

Seguiram-se os aumentos de gastos na Tunísia, na Turquia e no Egipto, três destinos que começaram a recuperar no ano passado depois de anos turbulentos.

Os gastos de turistas portugueses na Tunísia subiram 154,3%, para 10,53 milhões de euros, o aumento na Turquia foi em 129,8%, para 14,43 milhões, e no Egipto foi em 116%, para 4,06 milhões.

A Tunísia, que foi o 26º destino com mais gastos dos portugueses em 2014, no ano passado ainda ficou em 36º, a Turquia que foi 17º em 2014 ficou no ano passado em 29º, e o Egipto que em 2014 caiu para 60º, no ano passado subiu para 44º.

As outras variações mais fortes do ano de 2018 foram dos gastos em São Tomé e Príncipe, em 72,7%, para 11,66 milhões, Rússia, em 70,9%, para 24,12 milhões, Lituânia, em 67%, para 3,69 milhões, Chipre, em 65,5%, para 5,46 milhões, Estónia, em 64,7%, para 2,8 milhões, Marrocos, em 52,3%, para 35,54 milhões, e Malta, em 51,9%, para 10,57 milhões.

 

Para ler mais clique:

Espanha já fica com praticamente 30% dos gastos dos portugueses em turismo no estrangeiro

Gastos dos portugueses em turismo no estrangeiro completam 72 meses consecutivos de aumentos

 

Clique para mais notícias: Balança portuguesa das Viagens e Turismo

Clique para ver mais: Portugal

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

Brasil somou mais de mil mortos e 20 mil infectados com o novo coronavírus em 24 horas

28-05-2020 (14h49)

O Brasil registou 1.086 mortes e 20.599 infectados pelo novo coronavírus nas últimas 24 horas, estando ainda a ser investigada a eventual relação de 4.108 óbitos com a covid-19, informou hoje o executivo.

LATAM Brasil programa retomar voos para Lisboa a 17 de Julho

26-05-2020 (10h44)

A LATAM Brasil (antiga TAM), maior companhia de aviação brasileira em voos internacionais e que começou a voar entre o seu hub em São Paulo Guarulhos e Lisboa a 3 de Setembro de 2019, tem programado retomar esta rota a partir de 17 de Julho.

Trump proíbe entrada nos EUA de estrangeiros que tenham estado no Brasil

25-05-2020 (11h00)

O Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, decretou a proibição de entrada no país de todos os estrangeiros que tenham estado no Brasil nos 14 dias anteriores à tentativa de entrada.

Oásis Atlântico divulga medidas para prevenir a propagação da covid-19 nos seus hotéis

22-05-2020 (11h22)

O grupo português Oásis Atlântico, que tem hotéis em Cabo Verde, Marrocos e Brasil, está a divulgar as medidas que implementou nos seus hotéis para prevenir a propagação da covid-19, incluindo reforço da limpeza e redução de capacidade em restaurantes e bares.

Latam pretende retomar progressivamente 18% da actividade em dois meses

21-05-2020 (10h35)

A companhia aérea Latam, uma das principais na América Latina, anunciou na quarta-feira que entre Junho e Julho vai tentar retomar parte da operação internacional, que ficou suspensa em cerca de 95% desde Abril por causa da pandemia.

Opinião e Análise