Dominicana sofre queda de 261 mil turistas estrangeiros em 2019

20-01-2020 (19h34)

Imagem: www.godominicanrepublic.com
Imagem: www.godominicanrepublic.com

A República Dominicana, que em 2019 enfrentou um desgaste de imagem pela ocorrência de mortes não explicadas de turistas estrangeiros, nomeadamente residentes nos Estados Unidos, terminou o ano com menos 261 mil turistas estrangeiros (-4,6%) que em 2018.

A quebra de turistas não residentes ficou, ainda assim, em 1,9% ou 122,8 mil, porque o número de dominicanos residentes no estrangeiro aumentou 14,5% ou 138,1 mil.

Assim, de acordo com os dados do Banco Central da República Dominicana, o país recebeu no ano passado 6,44 milhões de turistas não residentes, incluindo 5,357 milhões de estrangeiros e 1,088 milhões de dominicanos residentes fora.

A mesma informação mostra que a quebra de 260,1 mil turistas estrangeiros não residentes deveu-se maioritariamente à quebra do seu maior emissor, os Estados Unidos, de onde recebeu 2,186 milhões de turistas, em quebra de 6,3% ou 148,2 mil em relação a 2018.

A segunda maior quebra foi do conjunto de mercados europeus, de onde teve menos 66,6 mil turistas (-5%) que em 2018, ficando em 1,265 milhões, destacando-se as quebras de chegadas de residentes na Alemanha (-17,4% ou menos 37,6 mil, para 178,9 mil), em Inglaterra (-15,8% ou menos 29,3 mil, para 156,5 mil), em França (-4,5% ou menos 9,8 mil, para 211,1 mil), na Rússia (-4,6% ou menos praticamente dez mil, para 208,9 mil).

Essas quebras, no entanto, foram parcialmente compensadas por aumentos de chegadas de residentes em Espanha (+4,1% ou mais 6,5 mil, para 165,7 mi), na Holanda (+24,2% ou mais 6,5 mil, para 33,7 mil), em Itália (+9,8% ou mais 7,5 mil, para 83,9 mil) e na Ucrânia (+51,2% ou mais 7,8 mil, para 23,2 mil).

Estas subidas, no entanto, ficaram aquém das quedas de outros emissores como a Argentina (-14,9% ou menos 32,6 mil, para 186,4 mil), o Brasil, -17,6% ou menos 22,9 mil, para 107,1 mil) e sobretudo Canadá, tradicionalmente segundo maior emissor (-1,4% ou menos 12,5 mil, para cerca de 892 mil.

Entre os mercados de onde a Dominicana, pelo contrário, teve crescimentos mais significativos contam-se também Porto Rico (+5% ou mais 5,4 mil, para 114 mil), México (+22,3% ou mais nove mil, para 49,4 mil), Haiti (+14,3% ou mais 5,1 mil, para 17,5 mil), e Venezuela (+6,9% ou mais 6,5 mil, para 101,8 mil)

Para ler mais clique:

Dominicana teve menos 11,8% de turistas residentes em Portugal no ano de 2019

 

Clique para mais notícias: República Dominicana

Clique para mais notícias: Caraíbas

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

República Dominicana volta a estado de emergência devido à covid-19

16-07-2020 (17h02)

O presidente da República Dominicana, principal destino de férias dos portugueses nas Caraíbas, para onde recentemente os operadores cancelaram os charters que tinham programado, pediu ao Congresso Nacional autorização para declarar novamente o estado de emergência, por 45 dias, devido ao aumento de infectados com o novo coronavírus no país.

Jamaica já recebeu 35.000 visitantes e espera mais 30.000

14-07-2020 (11h03)

A Jamaica recebeu cerca de 35.000 visitantes desde a reabertura das suas fronteiras a 15 de Junho, depois do encerramento em Março, devido à pandemia de Covid-19, anunciou o ministro jamaicano do Turismo, Edmund Bartlett, que espera receber mais 30.000 até ao final do ano.

América Latina e Caraíbas tornam-se segunda região do mundo com mais mortes por covid-19

13-07-2020 (16h50)

A região da América Latina e Caraíbas tornou-se hoje a segunda mais afectada pela pandemia de covid-19 no mundo em número de mortos, depois da Europa, com mais de 144 mil óbitos oficialmente declarados, segundo uma contagem da agência France-Presse.

Charters para as Caraíbas cancelados em Julho e Agosto

08-07-2020 (18h44)

As praias e resorts das Caraíbas, tanto da Dominicana como do México e de Cuba, que todos os anos atraem milhares de portugueses que viajam com pacotes turísticos, este ano não os vão ter, pelo menos nos meses de ‘pico’ de Verão, pois os voos charter já estão cancelados.

Havana começa a desconfinar e Cayos podem abrir ao turismo internacional na sexta-feira

02-07-2020 (09h31)

Havana vai iniciar a primeira fase do programa de desconfinamento esta sexta-feira, dia 3, enquanto as restantes províncias, excepto Matanzas, passam à segunda etapa, que significa que os Cayos podem reabrir ao turismo internacional, “dependendo da procura”.

Opinião e Análise