EUA restringem voos para Cuba para cortar receitas do turismo

13-01-2020 (12h07)

Foto: Jordan Sanchez / Unsplash
Foto: Jordan Sanchez / Unsplash

Os Estados Unidos restringiram os voos entre o seu território e Cuba, para reduzir as receitas do turismo da ilha, que Havana usa, diz Washington, para apoiar o regime de Nicolas Maduro na Venezuela. Cuba diz que medida viola os direitos humanos.

O chefe da diplomacia dos Estados Unidos, Mike Pompeo, disse em comunicado que os voos charter passam a ser autorizados apenas a viajar para a capital de Cuba, Havana, e não para outros aeroportos do país, uma medida já aprovada em 25 de Outubro para voos comerciais.

"Hoje [10 de Janeiro], a meu pedido, o Departamento de Transportes dos EUA suspendeu todos os voos públicos entre os Estados Unidos e destinos cubanos que não o Aeroporto Internacional de Havana até novo aviso", revelou Pompeo, acrescentando que mesmo os voos para Havana serão limitados a "um número apropriado" que não especificou.

"Nove aeroportos cubanos que actualmente recebem voos charter dos EUA serão afectados" pela decisão, anunciou o secretário de Estado, acrescentando que as companhias aéreas têm 60 dias para cessar as operações.

De acordo com Pompeo, esta medida "reduzirá ainda mais a capacidade do regime cubano de beneficiar das receitas do turismo, que usa para financiar a repressão do povo cubano e dar o seu apoio injustificável ao ditador Nicolas Maduro na Venezuela".

Cuba considera que a suspensão dos voos charter dos Estados Unidos viola gravemente os direitos humanos dos cidadãos norte-americanos e dificulta a reunificação familiar entre os cubanos dentro e fora do país.

“É uma grave violação dos direitos humanos, da liberdade de viajar dos norte-americanos e obstaculiza a reunificação familiar”, sublinhou o chefe da diplomacia cubana, Bruno Rodríguez, através do Twitter.

A administração do Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, que já havia rompido com a política de aproximação do seu antecessor Barack Obama, vem fortalecendo o embargo económico a Cuba, em vigor desde 1962, para forçar Havana a renunciar ao seu apoio ao líder venezuelano.

(PressTUR com Agência Lusa)

 

Clique para ver mais: Aviação

Clique para ver mais: Cuba

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

Jamaica já recebeu 35.000 visitantes e espera mais 30.000

14-07-2020 (11h03)

A Jamaica recebeu cerca de 35.000 visitantes desde a reabertura das suas fronteiras a 15 de Junho, depois do encerramento em Março, devido à pandemia de Covid-19, anunciou o ministro jamaicano do Turismo, Edmund Bartlett, que espera receber mais 30.000 até ao final do ano.

América Latina e Caraíbas tornam-se segunda região do mundo com mais mortes por covid-19

13-07-2020 (16h50)

A região da América Latina e Caraíbas tornou-se hoje a segunda mais afectada pela pandemia de covid-19 no mundo em número de mortos, depois da Europa, com mais de 144 mil óbitos oficialmente declarados, segundo uma contagem da agência France-Presse.

Charters para as Caraíbas cancelados em Julho e Agosto

08-07-2020 (18h44)

As praias e resorts das Caraíbas, tanto da Dominicana como do México e de Cuba, que todos os anos atraem milhares de portugueses que viajam com pacotes turísticos, este ano não os vão ter, pelo menos nos meses de ‘pico’ de Verão, pois os voos charter já estão cancelados.

Havana começa a desconfinar e Cayos podem abrir ao turismo internacional na sexta-feira

02-07-2020 (09h31)

Havana vai iniciar a primeira fase do programa de desconfinamento esta sexta-feira, dia 3, enquanto as restantes províncias, excepto Matanzas, passam à segunda etapa, que significa que os Cayos podem reabrir ao turismo internacional, “dependendo da procura”.

República Dominicana reabre hoje ao turismo com “fortes medidas sanitárias”

01-07-2020 (16h52)

O Turismo da República Dominicana anunciou que o país reabriu hoje ao turismo internacional, tendo implementado “fortes medidas sanitárias” nos aeroportos, que são a principal porta de entrada dos turistas.

Opinião e Análise