Croácia reabre fronteiras de forma plena para 10 países da UE

29-05-2020 (18h43)

Foto: Mario Romulić/Dražen Stojčić/Turismo da Croácia
Foto: Mario Romulić/Dražen Stojčić/Turismo da Croácia

A Croácia reabriu hoje as fronteiras, de forma plena, para os cidadãos de 10 países da União Europeia (UE), numa tentativa de retomar a actividade turística, sector fundamental para a economia croata e fortemente atingido pela actual pandemia.

A revogação da “proibição temporária de passagem de fronteira para os cidadãos de vários países" foi anunciada pelo primeiro-ministro croata, Andrej Plenkovic, durante uma reunião do executivo.

"Estamos a abrir (...) para o turismo", declarou Andrej Plenkovic.

Entre os 10 países da UE abrangidos pela nova medida estão a Alemanha, a Eslovénia e a Áustria, cujos cidadãos constam entre os principais visitantes e consumidores do sector do turismo da Croácia.

República Checa, Estónia, Hungria, Letónia, Lituânia, Polónia e Eslováquia são os restantes países que integram a lista.

Com uma população de 4,2 milhões de pessoas, a Croácia registou, até à data, pouco mais de 2.000 casos de infecção pelo novo coronavírus e uma centena de vítimas mortais associadas à doença covid-19.

O Governo croata espera que estas circunstâncias, menos graves quando comparadas com outros países europeus, possam atrair turistas durante o Verão.

O primeiro-ministro croata explicou que estes 10 países foram escolhidos tendo em conta a respectiva situação e tendência epidemiológica, muito semelhante à da Croácia.

A Croácia começou a reabrir as fronteiras em 20 de Maio, permitindo, desde essa data, a entrada de cidadãos de todos os países da UE, mas sob algumas condições de carácter obrigatório.

As pessoas só podem entrar se viajarem por motivos profissionais ou se possuírem imóveis, embarcações ou reservas de alojamento na Croácia.

A partir de agora, os cidadãos destes 10 países não são obrigados a justificar a sua deslocação ao território croata.

Antes de viajar, estes cidadãos terão, no entanto, de enviar os respectivos dados pessoais para um ‘site’ idealizado para este fim, de forma a reduzirem o tempo de espera na fronteira croata.

País membro da UE desde Julho de 2013, a Croácia registou, em 2019, quase 20 milhões de turistas, dos quais cerca de 90% eram cidadãos estrangeiros.

Especialistas estimam que as receitas geradas pelo sector do turismo, que representa cerca de 20% do Produto Interno Bruto (PIB) da Croácia, possam cair 70% no ano corrente devido aos efeitos da pandemia.

(PressTUR com Agência Lusa)

Clique para ver mais: Europa

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

Travelport ‘devolve’ Locomote aos seus fundadores

06-07-2020 (18h54)

A multinacional Travelport, identificada principalmente pela sua plataforma para o comércio de viagens, vendeu a agência de viagens corporate australiana Locomote aos seus fundadores, de acordo com a imprensa internacional, que diz que o montante do negócio não foi divulgado.

Covid-19 em Lisboa e Vale do Tejo revela “uma ligeira tendência decrescente”

06-07-2020 (18h50)

A situação sobre os casos de covid-19 na região de Lisboa e Vale do Tejo regista “uma estabilidade” nos últimos dias, verificando-se “uma ligeira tendência decrescente”, disse hoje o secretário de Estado da Saúde.

Portugal tem mais seis mortes e 232 casos de covid-19

06-07-2020 (18h49)

Os dados divulgados hoje pela Direcção-Geral da Saúde (DGS) indicam que Portugal contabilizou ontem mais seis óbitos e mais 232 casos de covid-19, dos quais 195 na região de Lisboa e Vale do Tejo.

Grécia reabre aeroportos a voos do Reino Unido dia 15 de Julho

06-07-2020 (18h41)

A Grécia vai reabrir no dia 15 de Julho os seus aeroportos aos voos directos provenientes do Reino Unido, mas manterá ainda o encerramento à Suécia e à Sérvia.

Três ruas no centro histórico de Lisboa passam a pedonais

06-07-2020 (18h33)

As ruas dos Bacalhoeiros, Nova da Trindade e João das Regras, na freguesia de Santa Maria Maior, em Lisboa, vão passar a ser pedonais, numa decisão tomada na sequência da crise provocada pela covid-19.

Opinião e Análise