Dominicana sofre queda de 261 mil turistas estrangeiros em 2019

20-01-2020 (19h34)

Imagem: www.godominicanrepublic.com
Imagem: www.godominicanrepublic.com

A República Dominicana, que em 2019 enfrentou um desgaste de imagem pela ocorrência de mortes não explicadas de turistas estrangeiros, nomeadamente residentes nos Estados Unidos, terminou o ano com menos 261 mil turistas estrangeiros (-4,6%) que em 2018.

A quebra de turistas não residentes ficou, ainda assim, em 1,9% ou 122,8 mil, porque o número de dominicanos residentes no estrangeiro aumentou 14,5% ou 138,1 mil.

Assim, de acordo com os dados do Banco Central da República Dominicana, o país recebeu no ano passado 6,44 milhões de turistas não residentes, incluindo 5,357 milhões de estrangeiros e 1,088 milhões de dominicanos residentes fora.

A mesma informação mostra que a quebra de 260,1 mil turistas estrangeiros não residentes deveu-se maioritariamente à quebra do seu maior emissor, os Estados Unidos, de onde recebeu 2,186 milhões de turistas, em quebra de 6,3% ou 148,2 mil em relação a 2018.

A segunda maior quebra foi do conjunto de mercados europeus, de onde teve menos 66,6 mil turistas (-5%) que em 2018, ficando em 1,265 milhões, destacando-se as quebras de chegadas de residentes na Alemanha (-17,4% ou menos 37,6 mil, para 178,9 mil), em Inglaterra (-15,8% ou menos 29,3 mil, para 156,5 mil), em França (-4,5% ou menos 9,8 mil, para 211,1 mil), na Rússia (-4,6% ou menos praticamente dez mil, para 208,9 mil).

Essas quebras, no entanto, foram parcialmente compensadas por aumentos de chegadas de residentes em Espanha (+4,1% ou mais 6,5 mil, para 165,7 mi), na Holanda (+24,2% ou mais 6,5 mil, para 33,7 mil), em Itália (+9,8% ou mais 7,5 mil, para 83,9 mil) e na Ucrânia (+51,2% ou mais 7,8 mil, para 23,2 mil).

Estas subidas, no entanto, ficaram aquém das quedas de outros emissores como a Argentina (-14,9% ou menos 32,6 mil, para 186,4 mil), o Brasil, -17,6% ou menos 22,9 mil, para 107,1 mil) e sobretudo Canadá, tradicionalmente segundo maior emissor (-1,4% ou menos 12,5 mil, para cerca de 892 mil.

Entre os mercados de onde a Dominicana, pelo contrário, teve crescimentos mais significativos contam-se também Porto Rico (+5% ou mais 5,4 mil, para 114 mil), México (+22,3% ou mais nove mil, para 49,4 mil), Haiti (+14,3% ou mais 5,1 mil, para 17,5 mil), e Venezuela (+6,9% ou mais 6,5 mil, para 101,8 mil)

Para ler mais clique:

Dominicana teve menos 11,8% de turistas residentes em Portugal no ano de 2019

 

Clique para mais notícias: República Dominicana

Clique para mais notícias: Caraíbas

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

Noruega desaconselha todas as viagens para o exterior devido a aumento de casos

07-08-2020 (18h25)

O Governo norueguês desaconselhou hoje quaisquer viagens para o estrangeiro, inclusive para os destinos de onde é possível regressar sem fazer uma quarentena, devido ao aumento de casos Covid-19 em todo o continente europeu.

Sopa da Pedra e Caralhotas de Almeirim conquistam certificações

07-08-2020 (17h50)

A Sopa da Pedra e as Caralhotas de Almeirim (pão pequeno cozido no forno a lenha) conquistaram selos de certificação em Portugal, anunciou o município de Almeirim, apontando um "reconhecimento da genuinidade" e uma "mais valia económica e turística".

Tourism Explorers regressa a Setúbal para encontrar empreendedores

07-08-2020 (17h29)

O programa nacional de criação e aceleração de startups na área do turismo, Tourism Explorers, vai regressar a Setúbal para apostar “na capacitação de empreendedores”, informou o Instituto Politécnico de Setúbal (IPS).

Macau anuncia voos para permitir a alunos universitários regressarem à Europa

07-08-2020 (13h31)

As autoridades de Macau anunciaram hoje a realização de cinco voos para a Europa a partir do aeroporto do território, para permitir o regresso dos estudantes inscritos em universidades no estrangeiro no próximo ano lectivo, incluindo portugueses.

Aeroportos europeus perderam perto de 1.000 milhões de passageiros até ao fim de Julho

07-08-2020 (13h04)

Julho foi mais um mês de grande quebra de passageiros nos aeroportos europeus, informou hoje o Airports Council International (ACI), que avançou a estimativa de uma quebra de 208 milhões no mês, acrescentando que, dessa forma, desde o início do ano os aeroportos europeus estão com menos 969 milhões e passageiros que no período homólogo de 2019.

Opinião e Análise