França subiu em 2020 a primeiro emissor para Espanha, com mais de um quinto das chegadas

04-02-2021 (14h28)

Barcelona
Barcelona

Um em cada cinco turistas estrangeiros que visitaram Espanha em 2020 residia em França, que assim, em ano de pandemia de covid-19, destronou o Reino Unido e Alemanha, na liderança das origens de turistas estrangeiros no país, de acordo com os dados do INE espanhol.

A informação indica que Espanha recebeu 3,87 milhões de turistas residentes em França durante o ano de 2020, o que representa 20,5% do total de turistas residentes no estrangeiro recepcionados ao longo de um ano em que o turismo foi o sector mas penalizado, ao ponto de nos meses de Abril e Maio as chegadas a Espanha terem estado interditas.

Os dados recolhidos pelo PressTUR mostram que França foi dos principais emissores para Espanha o que teve o decréscimo mais fraco, com -65,2%, representando um decréscimo em 7,26 milhões, enquanto do Reino Unido e Alemanha, os dois maiores emissores em 2019, as quebras foram em 14,83 milhões (-82,4%, para 3,17 milhões) e em 8,74 milhões (-78,4%, para 2,41 milhões).

Assim, enquanto França subiu de 13,3% das chegadas de turistas estrangeiros a Espanha em 2019 para 20,5% em 2020, o Reino Unido baixou de 21,6% para 16,7% e a Alemanha baixou de 13,4% para 12,7%.

O conjunto dos países nórdicos foi a terceira maior origem de turistas estrangeiros em Espanha, com 1,17 milhões (6,2% do total), à frente de Itália, com 948,3 mil (5% do total), e Países Baixos, com 922,7 mil (4,9% do total).

Relativamente a 2019, no ano passado as chegadas dos países nórdicos baixaram 78,8% ou 4,35 milhões, a quebra de chegadas de Itália foi em 79,1% ou 3,58 milhões e dos Países Baixos foi de 75% ou 2,76 milhões.

A quebra mais forte, entre os mercados com dados publicados pelo INE, foi das chegadas de turistas residentes na Rússia, com -89,5%, representando uma quebra em 1,17 milhões, para 138,2 mil.

Quanto às chegadas de fora da Europa, o INE indica que Espanha teve uma quebra em 81,6% ou 10,39 milhões, para 2,34 milhões, com decréscimos em 87,8% ou 2,9 milhões das chegadas dos Estados Unidos, para 405 mil, em 76,1% ou 2,86 milhões das chegadas dos restantes países do continente americano, para 899,8 mil, e em 81,6% ou 10,39 milhões do conjunto que denomina “Resto do Mundo”, para 1,04 milhões.

Para ler mais clique:

Chegadas de turistas internacionais a Espanha desceram 77,3%

Turistas portugueses em Espanha baixaram 1,67 milhões em 2020

 

Clique para mais notícias: Espanha

 

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

World2Fly adia começo das operações para o início do Verão

23-02-2021 (11h08)

A World2Fly, nova companhia aérea da World2Meet, do Grupo Iberostar, que tinha previsto começar a voar para de Lisboa e Madrid para as Caraíbas na Primavera, adiou o começo das suas operações para o início do Verão.

Globalia e Barceló pedem mais 80 milhões de euros para fusão das suas divisões de viagens

16-02-2021 (15h55)

Os grupos Globalia e Barceló pediram mais 80 milhões de euros à holding de participações estatais SEPI para concretizar a fusão das suas divisões de viagens, elevando assim o empréstimo para 320 milhões de euros.

Governo espanhol e Globalia escolhem ex-quadro da Iberia Express para CEO da Air Europa

10-02-2021 (11h15)

A holding espanhola de participações estatais SEPI e a Globalia concordaram esta semana em nomear Valentín Lago para liderar a Air Europa, um executivo experiente no sector da aviação com mais de dez anos ao serviço da Air Nostrum e da Iberia Express.

Espanha prolonga até Março medidas restritivas nas fronteiras com Portugal

09-02-2021 (10h56)

O Governo espanhol prolongou até 1 de Março as restrições nas fronteiras terrestres com Portugal, devido à pandemia de covid-19, de acordo com uma resolução publicada hoje no Boletim Oficial do Estado espanhol.

World2Fly também quer operar voos regulares para os EUA

08-02-2021 (12h40)

A World2Fly, a nova companhia aérea da World2Meet, do Grupo Iberostar, que tem programado voar de Lisboa e de Madrid para as Caraíbas, formalizou um pedido às autoridades norte-americanas para operar voos regulares e voos charter para os EUA.

Opinião e Análise