Hotéis espanhóis tiveram -61,1% dormidas em Março, com quebra maior do mercado doméstico

23-04-2020 (15h43)

Os estabelecimentos hoteleiros espanhóis tiveram uma quebra das dormidas em 61,1% em Março, mês em que devido à pandemia de covid-19 as unidades começaram a suspender a actividade no dia 19, tendo encerrado completamente a 26.

A dimensão da quebra está assim em grande medida em linha com o impacto da covid-19 no sector hoteleiro de Espanha, que é um dos países mais afectados pela pandemia provocada pelo novo coronavírus, com a particularidade de ter atingido maiores proporções no mercado dos residentes em Espanha do que nos residentes no estrangeiro.

De acordo com os dados do INE espanhol, a quebra em 61,1%, significando menos 13,15 milhões de dormidas, ocorreu por quebra em 64,6% por parte dos residentes no país, que fizeram menos 5,47 milhões de pernoitas, ficando em três milhões, enquanto da parte dos turistas residentes no estrangeiro o decréscimo foi de 58,9%, com menos 7,67 milhões de pernoitas que há um ano, baixando para 5,36 milhões.

Os dados mostram que a maior quebra relativa foi de dormidas de turistas residentes em Itália, que tiveram uma quebra de 80%, seguindo-se o conjunto “resto do mundo” (excluindo Europa, América e África e Japão), com -78,2%, e Portugal, com uma quebra em 70,5%.

Em valor absoluto, a maior quebra foi nas dormidas de residentes no Reino Unido e na Alemanha, que baixaram, respectivamente, 1,68 milhões e 1,41 milhões.

Os dados do INE espanhol indicam que com esta evolução no mês de Março os hotéis espanhóis também ficaram ‘no vermelho’ no conjunto do primeiro trimestre, com quebras de 21,9% em número de hóspedes e de 21,6% em número de dormidas.

Os mercados internacionais baixaram 23,3% em número de hóspedes e 20,8% em número de dormidas, enquanto o mercado doméstico teve quebras de 20,7% em número de hóspedes e de 22,8% em número de dormidas.

Os hotéis de Espanha tiveram assim um total de 42 milhões de dormidas de 14,67 milhões de hóspedes no primeiro trimestre, com 26,31 milhões de dormidas de 6,66 milhões de turistas residentes no estrangeiro e 15,72 milhões de dormidas de oito milhões de turistas residentes em Espanha.

Do mercado português, os hotéis espanhóis tiveram um total de 444,3 mil dormidas de 211,1 mil hóspedes, com quebras de 15,4% e de 16,3%, respectivamente.

 

Clique para mais notícias: Espanha

Clique para mais notícias: Hotelaria

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

CEO da TUI elogia “clareza” de Espanha sobre reabertura ao turismo

26-05-2020 (10h47)

O CEO da TUI, maior grupo turístico europeu, elogiou a “clareza” de Espanha sobre o início da temporada de férias, por garantir a “milhões de turistas” que podem fazer férias no país.

TAP adia para o ano o início dos voos Lisboa – Santiago de Compostela

20-05-2020 (15h32)

A rota de Santiago de Compostela, cujo começo esteve marcado para 5 de Junho foi inicialmente adiado para 1 de Julho e seguidamente para 25 de Outubro e, agora, para 28 de Março, início do chamado Verão IATA de 2021.

Air Nostrum retoma voos nas Baleares após financiamento de 130 milhões de euros

18-05-2020 (12h53)

A companhia aérea regional espanhola Air Nostrum retoma a 24 de Maio os voos entre ilhas nas Baleares, depois de ter obtido um financiamento de 130 milhões de euros com garantia pública.

Tráfego aéreo entre Espanha e Portugal reduzido a 26 passageiros em todo o mês de Abril

15-05-2020 (18h25)

O forte agravamento em Abril do impacto da pandemia de covid-19 na Europa e come especial ênfase em Espanha traduziu-se numa redução de 99,99% do número de passageiros em ligações aéreas entre Espanha e Portugal, com apenas 26 passageiros transportados, quando há um nao tinham sido 463,8 mil.

Aeroportos espanhóis tiveram este Abril menos de 1% dos passageiros de há um ano

15-05-2020 (17h34)

Os aeroportos de Espanha, que tem sido um dos países mais fortemente atingidos pela pandemia de covid-19, tiveram apenas 141 mil passageiros em Abril, o que significa apenas 0,6% do que tiveram no mês homólogo de 2019, em que tinham somado 23,3 milhões.

Opinião e Análise