Hotéis espanhóis tiveram -61,1% dormidas em Março, com quebra maior do mercado doméstico

23-04-2020 (15h43)

Os estabelecimentos hoteleiros espanhóis tiveram uma quebra das dormidas em 61,1% em Março, mês em que devido à pandemia de covid-19 as unidades começaram a suspender a actividade no dia 19, tendo encerrado completamente a 26.

A dimensão da quebra está assim em grande medida em linha com o impacto da covid-19 no sector hoteleiro de Espanha, que é um dos países mais afectados pela pandemia provocada pelo novo coronavírus, com a particularidade de ter atingido maiores proporções no mercado dos residentes em Espanha do que nos residentes no estrangeiro.

De acordo com os dados do INE espanhol, a quebra em 61,1%, significando menos 13,15 milhões de dormidas, ocorreu por quebra em 64,6% por parte dos residentes no país, que fizeram menos 5,47 milhões de pernoitas, ficando em três milhões, enquanto da parte dos turistas residentes no estrangeiro o decréscimo foi de 58,9%, com menos 7,67 milhões de pernoitas que há um ano, baixando para 5,36 milhões.

Os dados mostram que a maior quebra relativa foi de dormidas de turistas residentes em Itália, que tiveram uma quebra de 80%, seguindo-se o conjunto “resto do mundo” (excluindo Europa, América e África e Japão), com -78,2%, e Portugal, com uma quebra em 70,5%.

Em valor absoluto, a maior quebra foi nas dormidas de residentes no Reino Unido e na Alemanha, que baixaram, respectivamente, 1,68 milhões e 1,41 milhões.

Os dados do INE espanhol indicam que com esta evolução no mês de Março os hotéis espanhóis também ficaram ‘no vermelho’ no conjunto do primeiro trimestre, com quebras de 21,9% em número de hóspedes e de 21,6% em número de dormidas.

Os mercados internacionais baixaram 23,3% em número de hóspedes e 20,8% em número de dormidas, enquanto o mercado doméstico teve quebras de 20,7% em número de hóspedes e de 22,8% em número de dormidas.

Os hotéis de Espanha tiveram assim um total de 42 milhões de dormidas de 14,67 milhões de hóspedes no primeiro trimestre, com 26,31 milhões de dormidas de 6,66 milhões de turistas residentes no estrangeiro e 15,72 milhões de dormidas de oito milhões de turistas residentes em Espanha.

Do mercado português, os hotéis espanhóis tiveram um total de 444,3 mil dormidas de 211,1 mil hóspedes, com quebras de 15,4% e de 16,3%, respectivamente.

 

Clique para mais notícias: Espanha

Clique para mais notícias: Hotelaria

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

Iberia reduz estrutura para enfrentar a crise provocada pela covid-19

17-09-2020 (16h31)

A Iberia está a reorganizar a sua estrutura para enfrentar a crise provocada pela pandemia de covid-19 e preparar a recuperação gradual da procura, tendo reduzido número de direcções da sua comissão directiva.

TAP tem quebra de passageiros mais forte que o mercado dos voos Portugal – Espanha

14-09-2020 (17h43)

A TAP, que interrompeu totalmente os voos de/para Espanha nos meses de Abril a Junho, inclusive, está a ter uma retoma difícil, com quebras mais fortes que o tráfego total entre os dois países ibéricos.

Quebra de passageiros em voos entre Espanha e Portugal atingiu 80,9% em Agosto

14-09-2020 (17h32)

Os voos entre Espanha e Portugal, que entre Junho e Setembro do ano passado superaram sempre o meio milhão de passageiros por mês, este Agosto ficaram nuns escassos 109,5 mil, com uma quebra homóloga em 80,9% ou 464,1 mil.

Espanha atinge novo recorde diário de novos casos de covid-19 com 12.183

11-09-2020 (17h43)

Espanha contabilizou hoje 12.183 novos casos de covid-19, o número diário mais elevado desde o início da pandemia, e atinge o total de 566.326 infectados, segundo números divulgados pelo Ministério da Saúde espanhol.

Javier Sánchez-Prieto volta à Iberia como presidente e CEO

10-09-2020 (11h45)

O IAG formalizou a nomeação de Javier Sánchez-Prieto como presidente e CEO da Iberia, substituindo no cargo Luis Gallego, que assumiu a gestão executiva do grupo.

Opinião e Análise