Áustria abre amanhã todas as fronteiras excepto com Itália

03-06-2020 (13h07)

Foto: Dan Visan / Unsplash
Foto: Dan Visan / Unsplash

A Áustria vai abrir na quinta-feira as suas fronteiras terrestres com excepção da que partilha com a Itália, três meses depois de as ter encerrado para conter a pandemia do novo coronavírus, disse hoje o Governo.

“A partir de amanhã [quinta-feira], os controlos tornam-se pontuais e já não serão automáticos”, disse o ministro dos Negócios Estrangeiros, Alexandre Schallenberg, em conferência de imprensa realizada em Viena.

Segundo adiantou, as restrições nas fronteiras com a Itália serão, no entanto, mantidas, explicando a decisão que o número de infecções por covid-19 ainda registadas naquele país.

A abertura das fronteiras da Áustria acontece mais cedo do que tinha sido planeado, já que o Governo tinha anunciado que iria restaurar a total liberdade de movimentos com os seus vizinhos do leste e do norte a partir de 15 de Junho.

As restrições mantidas à circulação com Itália contrastam com o anúncio do Governo italiano, que decidiu abrir, a partir de hoje, as fronteiras com o resto da União Europeia (clique para ler: Itália abre circulação interna e fronteiras no espaço Schengen).

Na segunda-feira, o ministro dos Negócios Estrangeiros de Itália, Luigi Di Maio, disse que manteria as fronteiras fechadas aos países que impusessem restrições de entrada a cidadãos italianos, devido ao princípio da reciprocidade.

A posição tomada pelo Governo italiano nesse dia constituiu uma resposta ao anúncio grego, feito na sexta-feira anterior, de um primeiro grupo de 29 países cujos cidadãos poderiam voar sem restrições para os aeroportos de Atenas e Salónica a partir de 15 de Junho, entre os quais não se encontrava a Itália (nem Portugal).

Mais tarde foi esclarecido que, com base nas informações da Agência Europeia para a Segurança da Aviação (EASA), os cidadãos de áreas consideradas “de risco” podem visitar a Grécia, mas têm de ser submetidos a uma quarentena de sete ou 14 dias, dependendo se o teste der negativo ou positivo para a infecção do coronavírus.

Em Itália, as zonas que foram consideradas “de risco” são as regiões do norte da Emília-Romanha, Lombardia, Piemonte e Veneto.

No entanto, o ministro Luigi Di Maio manteve a posição, afirmando que iria aplicar o princípio da reciprocidade.

“Não queremos gerar polémica, mas se alguém planeia fechar-nos a porta, devido apenas aos seus próprios interesses, teremos de responder”, sublinhou.

O ministro lembrou que a Itália “se distinguiu pela transparência” em relação aos dados da pandemia da covid-19 e que os actuais números “são muito reconfortantes”.

Desde que foi detetada na China, em Dezembro passado, a pandemia de covid-19 já provocou mais de 377 mil mortos e infetou mais de 6,3 milhões de pessoas em 196 países e territórios, segundo um balanço da agência de notícias AFP.

Mais de 2,6 milhões de doentes foram considerados curados.

(PressTUR com Agência Lusa)

 

Clique para ver mais: Europa

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

Grécia reabre a voos do Reino Unido mas exige teste negativo à covid-19

13-07-2020 (13h48)

A Grécia vai reabrir os seus aeroportos a voos do Reino Unido a partir de quarta-feira, mas exigirá aos passageiros a apresentação de um teste negativo ao novo coronavírus realizado até três dias antes.

Solférias promove webinar sobre a Disneyland Paris amanhã

13-07-2020 (13h35)

O operador turístico Solférias promove amanhã, dia 14 de Julho, um webinar sobre a Disneyland Paris, que tem abertura prevista para esta quarta-feira, dia 15, com uma série de medidas para conter a propagação do novo coronavírus.

Comissão Europeia aprova ajuda estatal holandesa de 3,4 mil milhões de euros à KLM

13-07-2020 (12h21)

A Comissão Europeia aprovou hoje uma ajuda estatal da Holanda à companhia aérea holandesa KLM, um apoio urgente à liquidez na forma de garantia estatal e um empréstimo público devido à crise gerada pela covid-19.

Ryanair pede dados a clientes que reservaram em OTAs não autorizadas para os reembolsar

10-07-2020 (14h07)

A Ryanair está a pedir aos clientes que reservaram os seus voos em agências de viagens online (OTAs) não autorizadas, e que estão tentar obter reembolsos, para enviarem os seus dados e receberem directamente da companhia um voucher, alteração do voo ou devolução do dinheiro.

Segurança no turismo depende de “combinação” de factores, OMS

10-07-2020 (11h20)

A segurança no turismo depende de “uma combinação” de factores, variáveis no tempo e no espaço, afirmou um conselheiro da Organização Mundial da Saúde (OMS), destacando que é necessário um equilíbrio entre os riscos e as medidas de mitigação.

Opinião e Análise