Bruxelas aprova apoio alemão de 840 milhões para cobrir vouchers de viagens canceladas

31-07-2020 (12h09)

Foto: Didier Weemaels / Unsplash
Foto: Didier Weemaels / Unsplash

A Comissão Europeia deu hoje ‘luz verde’ a um apoio estatal da Alemanha de 840 milhões de euros para cobrir vouchers emitidos por operadores turísticos para compensar cancelamentos de viagens devido à covid-19, visando tornar esta numa opção mais “fiável”.

O executivo comunitário, que tem feito campanha contra os vouchers nomeadamente por parte de companhias aéreas, informou em comunicado que aprovou, ao abrigo das regras da União Europeia (UE) em matéria de auxílios estatais, um esquema de garantia estatal alemão no valor de 840 milhões de euros para cobrir vouchers para compensar pacotes turísticos reservados antes de 8 de Março de 2020 e cancelados devido à covid-19.

Numa altura em que muitas empresas do setor dos transportes e do turismo enfrentam sérias dificuldades de liquidez e em que há também alguma contestação ao sistema dos vouchers, Bruxelas explica que a ajuda estatal alemã hoje aprovada visa tornar os vouchers “numa alternativa atraente e fiável aos reembolsos em dinheiro”, como recomendado pela Comissão Europeia.

Dados enviados por Berlim a Bruxelas na notificação desta medida revelam que esta cobertura estatal deverá permitir que as operadoras de viagem alemãs emitam cerca de “1,5 mil milhões de euros de vales de viagem seguros para compensar os clientes pelos pacotes de viagem cancelados”.

Em causa estão pacotes de viagem reservados, e entretanto cancelados, cujo valor total ascende a cerca de seis mil milhões de euros.

Apesar de uma parte destes clientes já ter recebido um reembolso em dinheiro, outra parte deverá optar pelos vouchers, com a medida hoje aprovada a implicar, então, uma cobertura a 100% pelo estado alemão perante situações como falências ou insolvências.

Os vales dos operadores turísticos abrangidas têm validade até 31 de Dezembro de 2021, e se não forem usados até então, têm de ser convertidos em dinheiro, como ditam as regras comunitárias.

“A Comissão considerou que o regime é necessário, adequado e proporcional para sanar uma perturbação grave na economia alemã”, diz a informação do executivo comunitário.

Em causa estão regras mais flexíveis de Bruxelas para as ajudas estatais, implementadas devido ao surto de covid-19.

(PressTUR com Agência Lusa)

 

Clique para mais notícias: Agências&Operadores

Clique para mais notícias: Europa

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

ATA investe em campanha publicitária no Reino Unido

12-08-2020 (17h38)

A Associação Turismo do Algarve (ATA) vai reforçar a mensagem de que a região é um destino seguro junto do Reino Unido, através de uma campanha publicitária que será emitida na estação de televisão Channel 5, foi hoje anunciado.

França estima em mais de 30.000 milhões de euros as perdas imediatas no turismo

10-08-2020 (17h16)

O Governo francês admitiu hoje que a pandemia de covid-19 provocou perdas imediatas no setor do turismo de, pelo menos, 30.000 a 40.000 milhões de euros.

UE retira Marrocos da lista de países sem restrições de viagens devido à covid-19

08-08-2020 (09h07)

A União Europeia retirou Marrocos da lista de países isentos de restrições de viagens por causa de um recrudescimento de casos de infeções com covid-19, anunciou o Conselho, em comunicado.

Noruega desaconselha todas as viagens para o exterior devido a aumento de casos

07-08-2020 (18h25)

O Governo norueguês desaconselhou hoje quaisquer viagens para o estrangeiro, inclusive para os destinos de onde é possível regressar sem fazer uma quarentena, devido ao aumento de casos Covid-19 em todo o continente europeu.

Aeroportos europeus perderam perto de 1.000 milhões de passageiros até ao fim de Julho

07-08-2020 (13h04)

Julho foi mais um mês de grande quebra de passageiros nos aeroportos europeus, informou hoje o Airports Council International (ACI), que avançou a estimativa de uma quebra de 208 milhões no mês, acrescentando que, dessa forma, desde o início do ano os aeroportos europeus estão com menos 969 milhões e passageiros que no período homólogo de 2019.

Opinião e Análise