Covid-19 já matou 1,350 milhões de pessoas em todo o mundo

19-11-2020 (16h37)

Foto: Unsplash / H Shaw
Foto: Unsplash / H Shaw

A pandemia de covid-19 já matou pelo menos 1.350.275 pessoas no mundo desde Dezembro, segundo o balanço diário divulgado pela agência France-Presse (AFP), citado pela Lusa.

Os dados indicam que foram diagnosticados oficialmente mais de 56.234.440 pessoas infectadas com o novo coronavírus, das quais 36.029.400 foram consideradas curadas.

Ontem foram registadas mais 11.013 mortes e mais 582.654 pessoas infectadas em todo o mundo.

O número de casos diagnosticados só reflecte uma fração do número real de infeções, dado que alguns países só testam os casos graves, outros utilizam os testes sobretudo para rastreamento e muitos países pobres dispõem de limitadas capacidades de despistagem.

Os países que registaram mais mortes no último dia foram, e de acordo com os respetivos balanços, os Estados Unidos da América (EUA) com 1.751 óbitos, o Brasil com 756 óbitos e Itália (753).

Os Estados Unidos são o país mais afectado pela pandemia, tanto em número de mortos como de casos, com um total de 250.548 mortos entre 11.529.818 casos diagnosticados, segundo o balanço da universidade norte-americana Johns Hopkins.

No mesmo país, pelo menos 4.350.789 pessoas foram declaradas como curadas.

Depois dos Estados Unidos, os países mais afectados são o Brasil com 167.455 mortos em 5.945.849 casos, a Índia com 131.578 mortos (8.958.483 casos), o México com 99.528 mortos (1.015.071 casos) e o Reino Unido com 53.274 mortos (1.430.341 casos).

Ainda entre os países mais afectados, a Bélgica é o que conta com mais mortos em relação à sua população, com 130 óbitos por cada 100.000 habitantes, seguido pelo Peru (107), Espanha (90) e Argentina (80).

A China (sem os territórios de Hong Kong e Macau) declarou oficialmente um total de 86.381 casos (12 nas últimas 24 horas), bem como 4.634 mortes (nenhuma no último dia) e 81.433 recuperações.

Por regiões, a América Latina e as Caraíbas totalizavam até hoje (às 12h00 hora de Lisboa) 428.767 mortes em 12.227.735 casos de infeção, a Europa 354.124 mortes (15.440.652 casos), os Estados Unidos e o Canadá 261.701 mortes (11.838.887 casos), a Ásia 184.739 mortes (11.652.379 casos), o Médio Oriente 71.635 mortes (3.028.240 casos), a África 48.368 mortes (2.016.461 casos) e a Oceânia 941 mortes (30.088 casos).

O balanço foi realizado a partir de dados recolhidos pelas delegações da AFP junto das autoridades nacionais competentes e de informações da Organização Mundial da Saúde (OMS).

Devido a correções feitas pelas autoridades ou a notificações tardias, o aumento dos números diários pode não corresponder exatamente aos dados publicados no dia anterior, segundo referiu a AFP.

 

Clique para ver mais: Covid-19

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

KLM reduz oferta de voos para Lisboa e Porto em Dezembro

27-11-2020 (12h43)

A companhia de aviação holandesa KLM anunciou uma redução de 15% da sua oferta de voos de Amesterdão para Lisboa e Porto durante o mês de Dezembro.

Disney vai despedir mais de 30 mil trabalhadores

27-11-2020 (10h05)

A Walt Disney Company anunciou que vai despedir 32 mil trabalhadores, principalmente funcionários dos seus parques temáticos, devido à pandemia de covid-19.

Meliá vai transformar um palácio em Milão num hotel de luxo

25-11-2020 (10h03)

A Meliá Hotels International vai transformar o Palazzo Venezia no seu quarto hotel na cidade de Milão, previsto inaugurar em 2023 com a sua marca de luxo Gran Meliá.

Quarentena à chegada a Inglaterra pode ser reduzida para cinco dias com teste negativo

24-11-2020 (12h49)

As novas regras para as pessoas que chegam a Inglaterra a partir de 15 de Dezembro incluem a redução do período de isolamento de duas semanas para cinco dias, mediante a apresentação de um teste de covid-19 negativo, que tem um custo de pelo menos 65 libras (73 euros).

CEO da Booking alerta hotelaria para aumento da procura de alojamento alternativo

23-11-2020 (12h51)

Glenn Fogel, presidente e CEO da Booking, está a alertar o mercado da hotelaria para uma nova tendência da procura em 2021, em que os tradicionais clientes dos hotéis também vão passar a considerar os alojamentos alternativos nas suas pesquisas.

Opinião e Análise