easyJet retoma ligações entre Genebra e Lisboa e Porto a 15 de Junho

21-05-2020 (11h39)

Foto: H. Goussé, Airbus
Foto: H. Goussé, Airbus

As ligações entre Genebra, na Suíça, e Lisboa e Porto fazem parte do lote de "pequeno número de voos, principalmente domésticos", em 20 aeroportos europeus, que a easyJet vai retomar a partir de 15 de Junho.

Em comunicado, a companhia aérea low cost adianta que as rotas a retomar a partir de meados do próximo mês – após a paragem determinada pela pandemia de covid-19 - serão operadas a partir de Gatwick, Belfast, Glasgow, Edimburgo, Liverpool, Ilha de Man, Inverness, Bristol, Newcastle e Birmingham, no Reino Unido.

(Veja também: easyJet anuncia retoma de alguns voos em 15 de junho)

“Adicionalmente, também serão retomados os voos em França desde Nice, Paris Charles de Gaulle, Toulouse, Bordéus, Nantes e Lille, além de operações desde Genebra, na Suíça, para Barcelona, Porto e Lisboa, e desde Milão, em Itália”, refere.

Inicialmente apenas focada na reativação de voos domésticos e de algumas rotas internacionais, a easyJet “espera aumentar o número de voos à medida que a procura dos clientes começar a aumentar e as restrições diminuírem”.

“Durante o período de confinamento, a frota ficou em terra, mas os aviões foram mantidos em condições de recomeçarem a voar assim que a companhia determinasse que havia condições para tal”, assegura.

Os voos a retomar em Junho estarão sujeitos a “novas medidas de bio-segurança”, incluindo a “limpeza e desinfecção rigorosa” dos aviões, a obrigação de uso de máscara para passageiros e tripulação e a ausência de serviço de alimentação a bordo dos voos.

Citado no comunicado, o presidente executivo (CEO) da easyJet, Johan Lundgren, afirma que estas medidas permanecerão em vigor “pelo tempo necessário para garantir que os clientes e a tripulação possam voar com segurança, enquanto o mundo continua a recuperar-se do impacto da pandemia”.

“Continuaremos a avaliar de perto a situação na Europa, para que, quando forem levantadas mais restrições, o plano de voos continue a aumentar ao longo do tempo para atender à procura e, ao mesmo tempo, garantir que estamos a operar com eficiência e em rotas que os nossos clientes desejam”, acrescenta.

(PressTUR com Agência Lusa)

Clique para ver mais: Aviação

Clique para ver mais: Portugal

Clique para ver mais: Europa

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

Noruega autoriza viagens profissionais para os países nórdicos sem quarentena

29-05-2020 (17h25)

Os noruegueses que se desloquem aos países nórdicos por motivos profissionais ou os trabalhadores estrangeiros provenientes desses países vão deixar de ser submetidos a regime de quarentena a partir de segunda-feira, e as pessoas que estiveram em contacto directo com os casos confirmados da covid-19 vão ser testadas duas vezes, respectovamente três e sete dias após o contacto.

Louvre, Torre Eiffel e Versailles vão continuar fechados aos turistas

29-05-2020 (16h55)

O museu do Louvre, a Torre Eiffel e o Palácio de Versailles são alguns dos monumentos icónicos franceses cujas visitas continuarão interditas, mesmo quando o país levantar as restrições relativas à pandemia da covid-19 na próxima semana.

easyJet vai eliminar 4.500 postos de trabalho

28-05-2020 (10h03)

A companhia aérea britânica easyJet anunciou hoje que vai eliminar 4.500 postos de trabalho, quase um terço dos seus efectivos, para lidar com as quebras provocadas pela pandemia de covid-19.

Agência Europeia da Aviação Civil monitoriza orientações de segurança

27-05-2020 (17h38)

A Agência Europeia para a Segurança da Aviação (EASA, na sigla em inglês) lançou um programa para monitorizar a implementação das orientações de segurança relativas à pandemia de covid-19 pelos aeroportos e pelas companhias aéreas europeias, foi hoje anunciado.

Governo alemão adia decisão de levantar advertência para viagens na Europa

27-05-2020 (17h14)

O Governo alemão adiou até à próxima quarta-feira a decisão de retirar a sua recomendação contra viagens para o estrangeiro devido à pandemia do novo coronavírus, informou hoje o grupo mediático Redaktionsnetzwerk Deutschland (RND).

Opinião e Análise