França adia meta de 100 milhões de turistas para 2022

23-10-2019 (15h36)

A França adiou o objectivo de receber 100 milhões de turistas estrangeiros em 2020 para 2022, devido ao movimento de contestação social ‘coletes amarelos’, dissuasor para alguns visitantes, e à desvalorização da libra esterlina no contexto do 'Brexit'.

"A França ainda tem como objectivo acolher 100 milhões de turistas estrangeiros", mas "empurrou o alvo, dada a situação atual, para 2022", diz um documento oficial divulgado ontem.

A meta dos 100 milhões de visitantes internacionais em 2020 - contra 89 milhões em 2018 - foi estabelecida em 2014 pelo Governo, antes dos ataques 'jihadistas' de 2015 que interromperam a tendência de crescimento do número de visitantes.

Ontem, o documento dedicado à política de turismo no âmbito do projecto de lei financeira para 2020 destaca o facto de que "os indicadores para os primeiros meses do ano de 2019 sugerirem uma diminuição no tráfego internacional de turistas no primeiro semestre".

"Esta tendência pode ser explicada em grande parte pelos movimentos sociais à escala nacional que atingiram largamente o país no início do ano e que tiveram impacto nas reservas a médio e longo prazo, bem como os efeitos do declínio da libra, sendo o Reino Unido o nosso primeiro mercado turístico", precisa.

"A previsão de 2019 exige, portanto, uma atualização em baixa", refere o documento.

Segundo o Instituto Nacional de Estatística e Estudos Econômicos francês (INSEE), o impacto das manifestações associadas aos 'coletes amarelos' foi sentido claramente no setor de turismo a partir de dezembro de 2018 e continuou no primeiro trimestre de 2019, com uma queda de 2,5% da ocupação de hotéis e uma queda particularmente acentuada nas dormidas na região de Paris (-4,6%).

(PressTUR com Agência Lusa)

 

Clique para ver mais: Europa

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

Aviação já vai ganhando ‘altitude’ e Wizz Air sobressai

02-06-2020 (17h35)

A aviação mundial dá claros sinais de estar a levantar voo, que se traduz num aumento esta semana dos lugares disponíveis em cerca de 16%, de acordo com a consultora OAG, que não deixa de notar que se a comparação for com a semana homóloga de 2019, então a quebra ainda é dramática.

Lufthansa aceita novo acordo com a Comissão Europeia para receber financiamento

01-06-2020 (15h58)

A Lufthansa aceitou ceder até 24 slots diários nos aeroportos de Frankfurt e de Munique a outras companhias aéreas para receber um pacote de ajuda superior a nove mil milhões de euros.

Noruega autoriza viagens profissionais para os países nórdicos sem quarentena

29-05-2020 (17h25)

Os noruegueses que se desloquem aos países nórdicos por motivos profissionais ou os trabalhadores estrangeiros provenientes desses países vão deixar de ser submetidos a regime de quarentena a partir de segunda-feira, e as pessoas que estiveram em contacto directo com os casos confirmados da covid-19 vão ser testadas duas vezes, respectovamente três e sete dias após o contacto.

Louvre, Torre Eiffel e Versailles vão continuar fechados aos turistas

29-05-2020 (16h55)

O museu do Louvre, a Torre Eiffel e o Palácio de Versailles são alguns dos monumentos icónicos franceses cujas visitas continuarão interditas, mesmo quando o país levantar as restrições relativas à pandemia da covid-19 na próxima semana.

easyJet vai eliminar 4.500 postos de trabalho

28-05-2020 (10h03)

A companhia aérea britânica easyJet anunciou hoje que vai eliminar 4.500 postos de trabalho, quase um terço dos seus efectivos, para lidar com as quebras provocadas pela pandemia de covid-19.

Opinião e Análise