Variante Delta do coronavírus é 60% mais transmissível, Estudo britânico

11-06-2021 (17h59)

Foto: Unsplash / Ibrahim Boran
Foto: Unsplash / Ibrahim Boran

O Reino Unido, que registou 17 mortes e 8.125 casos de covid-19 nas últimas 24 horas, de acordo com os dados oficiais mais recentes, informou hoje que a chamada variante Delta do coronavírus é 60% mais transmissível, e não apenas 40%.

Um estudo publicado hoje pela direção geral de Saúde de Inglaterra (Public Health England, PHE), e citado pela Agência Lusa, indica que a estimativa é superior à anterior, referida pelo ministro da Saúde, Matt Hancock, no início da semana, de ser 40% mais contagiosa em comparação com a variante Alpha, ela própria mais transmissível do que as variantes iniciais do novo coronavírus.

De acordo com a PHE, foram identificados 42.323 casos desta variante detectada primeiro na Índia, contra 29.892 há uma semana atrás, representando mais de 90% do total de infeções no país.

O organismo, no entanto, considera "encorajador" observar que a progressão da variante não é acompanhada por um aumento das hospitalizações nas mesmas proporções.

Menos de mil pacientes com o novo coronavírus estão actualmente em hospitais britânicos, e das 42 mortes com infectados por esta variante, 23 não estavam vacinados.

"Os dados indicam que o programa de vacinação continua a mitigar o impacto desta variante" em populações onde é elevado o número de pessoas que receberam duas doses da vacina, sublinha o organismo público.

Estes diferentes factores vão fundamentar a decisão do primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, na próxima semana de avançar ou não para a quarta etapa do plano de desconfinamento a 21 de junho, em que se previa poderem ser levantadas todas as restrições em Inglaterra.

A subida do índice de transmissibilidade (Rt) entre 1,2 e 1,4 em Inglaterra reflecte o impacto da variante Delta no país, que vinha a registar um declínio no número de casos desde Janeiro.

Na quinta-feira tinham sido notificadas sete mortes e 7.393 casos.

Nos últimos sete dias, entre 5 e 11 de Junho, a média diária foi de nove mortes e 6.556 casos, o que corresponde a uma subida de 10,9% no número de mortes e de 58,1% no número de infecções relativamente aos sete dias anteriores.

Desde dezembro foram inoculadas 41.088.485 pessoas com uma primeira dose de uma vacina contra a covid-19, o que corresponde a 78% da população adulta.

Um total de 29.165.140 pessoas, ou 55,4% da população adulta, já receberam também a segunda dose.

Desde o início da pandemia, foram notificados 127.884 óbitos de covid-19 num total de 4.550.944 infecções confirmadas no Reino Unido.

 

Clique para mais notícias: Covid-19

Clique para mais notícias: Reino Unido

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

Estudo da Oliver Wyman prevê falta de pilotos na Europa em 2022

03-08-2021 (15h17)

De acordo com um estudo da consultora Oliver Wyman, a Europa vai ter falta de pilotos em 2022, mais precisamente menos 790 pilotos do que aqueles que serão necessários.

Portugal é dos primeiros países a receber verbas de pré-financiamento do PRR

03-08-2021 (14h05)

A Comissão Europeia desembolsou hoje 2,2 mil milhões de euros a Portugal referente ao pré-financiamento de 13% do Plano de Recuperação e Resiliência (PRR), num montante global de 16,6 mil milhões de euros, aprovado no mês passado.

Iberia ultrapassou British Airways e foi a companhia do IAG líder em tráfego de passageiros

02-08-2021 (16h36)

A Iberia foi a companhia do IAG que mais tráfego de passageiros transportou no segundo trimestre, superando a British Airways, tradicionalmente a líder, nomeadamente pela liderança no transporte entre a Europa e a América do Norte.

IAG prevê ter este trimestre 45% da capacidade de transporte de passageiros de 2019

02-08-2021 (16h31)

O IAG, grupo que integra a British Airways, a Iberia, a Vueling, a Aer Lingus e a Level, anunciou que prevê aumentar a sua capacidade de transporte de passageiros dos 21,9% do período homólogo de 2019 no segundo trimestre para “cerca de 45%” este trimestre, época alta no Hemisfério Norte.

Visitantes à Alemanha necessitam de vacinação ou teste negativo

02-08-2021 (13h23)

A Alemanha exige um teste negativo para todos os viajantes com 12 anos ou mais que pretendam entrar no país e não tenham a vacinação completa contra a covid-19 ou o certificado de recuperação da doença.

Opinião e Análise