Investimento público vai chegar aos 10 mil milhões de euros em quatro anos, Pedro Siza Vieira

30-10-2019 (21h53)

O ministro da Economia e da Transição Digital, Pedro Siza Vieira, afirmou no parlamento, no debate do Programa de Governo, que haverá 10 mil milhões de euros para investimento público durante a legislatura.

"O investimento público, em várias áreas, crescerá a um ritmo superior a 10% ao ano durante a legislatura, atingindo um valor de 10.000 milhões de euros no quadro da legislatura", afirmou Pedro Siza Vieira num discurso na Assembleia da República, em Lisboa.

A este montante "somar-se-ão mais de 3.000 milhões de euros de investimento privado nos portos e no reforço da capacidade aeroportuária em Lisboa e no Porto", o que segundo o também ministro de Estado e número dois do Governo, "constituirá, por si só, um factor de crescimento da economia".

Mas apesar do Governo "estar atento ao contexto externo e de ajustar a política económica, de forma responsável, à evolução da conjuntura", as "políticas públicas têm mesmo que apoiar o reforço do investimento público e privado".

"O Governo pretende usar os recursos ao seu dispor para o efeito", assegurou o ministro.

Pedro Siza Vieira disse que esses recursos compreendem "acelerar o ritmo do investimento público em áreas críticas, para assegurar infraestruturas modernas ao serviço das empresas e dos cidadãos".

De acordo com o programa de Governo, o investimento público compreende "a aposta na ferrovia, concluindo até ao fim da legislatura os investimentos previstos no ferrovia 2020, como o investimento previsto no corredor interior Norte, no corredor interior Sul e no corredor Norte-Sul".

O programa inclui ainda "o investimento na expansão dos metros de Lisboa e Porto e no sistema de mobilidade ligeira do Mondego", em "material circulante para aumentar a capacidade de resposta" nos metros, CP, Transtejo e sistema de mobilidade do Mondego.

O investimento público inclui ainda obras de renovação de vias, o programa nacional de regadios, no Serviço Nacional de Saúde (SNS) e na modernização e requalificação de escolas.

Durante o seu discurso, Pedro Siza Vieira frisou o contexto de incerteza económica mundial, referindo que "a tensão mantém-se entre as principais economias mundiais".

"Portugal tem continuado a crescer acima da média europeia, mas a um ritmo inferior aos anos anteriores", reconheceu o número dois do Governo.

(PressTUR com Agência Lusa)

 

Clique para ver mais: Portugal

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

António Costa desafia britânicos a passar férias em segurança no Algarve

03-07-2020 (21h01)

O primeiro-ministro, António Costa, desafiou os britânicos “a passar umas férias em segurança no Algarve”, destacando que a região portuguesa tem menos infecções de covid-19 por 100 mil habitantes que o Reino Unido.

TAP informa mercado sobre acordo de princípio entre Estado e privados

03-07-2020 (19h02)

A TAP informou hoje o mercado, através de um comunicado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), do acordo de princípio atingido esta quinta-feira à noite entre os privados e o Estado, para viabilizar a empresa.

Frasquilho avisa que próximos tempos na TAP serão difíceis, mas superados

03-07-2020 (18h57)

O presidente do Conselho de Administração da TAP, Miguel Frasquilho, alertou os trabalhadores numa mensagem a que o PressTUR teve acesso que os próximos tempos serão difíceis, mas serão superados “com alguns sacrifícios”.

Reino Unido declara Açores e Madeira destinos seguros, mas mantém quarentena obrigatória no regresso

03-07-2020 (18h06)

O Reino Unido anunciou hoje que Açores e Madeira deixaram de representar “um risco inaceitavelmente alto” para os viajantes britânicos, no mesmo dia em que revelou que Portugal está fora da lista de países para onde os ingleses podem viajar sem ter de cumprir 14 dias de quarentena no regresso.

Inglaterra exclui Portugal dos corredores de viagem que permitem evitar quarentena

03-07-2020 (16h07)

Portugal foi excluído dos "corredores de viagem internacionais" com destinos turísticos que Inglaterra vai abrir para permitir aos ingleses passarem férias sem cumprir quarentena no regresso, foi hoje confirmado.

Opinião e Análise