MSC World Europa “determinará os padrões para o cruzeiro do futuro”

30-06-2020 (15h20)

Foto: MSC Cruzeiros
Foto: MSC Cruzeiros

A MSC Cruzeiros celebrou ontem a colocação da quilha no MSC World Europa, um navio que “determinará os padrões para o cruzeiro do futuro” segundo o director-geral dos estaleiros Chantier de l’Atlantique, Laurent Castaing.

“É com muito orgulho que iniciamos a construção de um navio que determinará os padrões para o cruzeiro do futuro”, Laurent Castaing, citado num comunicado, acrescentando que “é um marco essencial” na história da cooperação de 20 anos com a MSC Cruzeiros.

O navio, que terá mais de 200 mil toneladas e deverá começar a navegar em 2022, será o primeiro da frota da MSC Cruzeiros a ser movido a gás natural liquefeito (GNL).

“Será um dos navios de cruzeiro movidos a GNL mais avançados tecnológica e ambientalmente da sua classe e o primeiro a ser construído em França”, sublinha um comunicado da empresa.

O MSC World Europa, acrescenta o comunicado, terá “um novo sistema demonstrador de 50 quilowatts que incorpora a tecnologia de célula de combustível de óxido sólido (SOFC) e utiliza o GNL para produzir electricidade e calor a bordo, a primeira vez que uma célula de combustível movida a GNL será usada num navio de cruzeiro”.

Esta solução “reduzirá as emissões de gases de efeito estufa (GEE) em cerca de 30% em comparação com um motor GNL convencional, sem emissões de óxidos de nitrogénio, óxidos de enxofre ou partículas finas”, salienta a MSC Cruzeiros, acrescentando que o navio terá ainda a “vantagem de ser compatível com GNL, bem como vários combustíveis baixos em carbono, como tipos de metanol, amónia e hidrogénio”.

O sistema de tratamento de águas residuais do navio também “supera alguns dos padrões regulamentados mais rigorosos do mundo, para além de outras tecnologias ambientais de última geração”, acrescenta a empresa.

“O MSC World Europa é mais uma prova do nosso compromisso para com a gestão ambiental, pois está preparado para reduzir as emissões de carbono ainda mais do que muitos outros navios de cruzeiro existentes movidos a GNL, que é actualmente o combustível mais ecológico para operações marítimas comerciais”, afirmou Pierfrancesco Vago, executive chairman da MSC Cruises, citado no comunicado.

Em 2021, antes de receber o MSC World Europa, a companhia de cruzeiros prevê receber o navio MSC Virtuosa, actualmente em construção em Saint-Nazaire.

A MSC Cruzeiros tem ainda encomendas fixas com os Chantiers de l'Atlantique para mais dois navios movidos a GNL, um para cada uma das classes de navios, MSC World e Meraviglia.

 

Clique para ver mais: Cruzeiros

Clique para ver mais: MSC Cruzeiros

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

TAP marca passo apesar de “interesse público”

10-07-2020 (15h34)

Uma semana depois de o Governo anunciar mudanças de fundo da TAP, entre elas a do CEO da companhia, inerentes ao reforço da sua posição para mais de 70% do capital, ainda nada mudou e é Antonoaldo Neves que continua a comandar a transportadora aérea.

SATA faz balanço "muito positivo" da retoma gradual das operações

10-07-2020 (15h25)

A SATA anunciou que a taxa de ocupação média dos seus voos “rondou os 40%” em Junho, fazendo assim um balanço "muito positivo" da retoma gradual das operações, que estiveram suspensas devido à pandemia da covid-19.

LATAM Brasil entra com processo de reestruturação da dívida nos EUA

10-07-2020 (15h10)

A LATAM Brasil entrou com um pedido de reestruturação da dívida nos EUA para conter os impactos da pandemia da covid-19, anunciou a empresa, acrescentando que continuará a “operar normalmente".

Bestravel leva agentes de viagens à Madeira para “transmitir confiança aos clientes”

10-07-2020 (14h49)

A Bestravel organizou uma viagem à Madeira com dez agentes de viagens para experienciarem “todo o processo que este novo normal implica” e “transmitir confiança aos clientes”.

Ryanair pede dados a clientes que reservaram em OTAs não autorizadas para os reembolsar

10-07-2020 (14h07)

A Ryanair está a pedir aos clientes que reservaram os seus voos em agências de viagens online (OTAs) não autorizadas, e que estão tentar obter reembolsos, para enviarem os seus dados e receberem directamente da companhia um voucher, alteração do voo ou devolução do dinheiro.

Opinião e Análise